Por que tanto ódio no coração?

Publicado em   10/nov/2012
por  Caio Hostilio

Como é de costume, sempre me comunico com meus parentes em Brasília e no Rio de Janeiro, nos finais de semana. Falei agora pouco com uma sobrinha, que mora em Brasília e ela disse-me que estava muito abalada com que viu no Núcleo Bandeirante (não se pode chamar de cidade satélite do Distrito Federal, pois fica próximo ao aeroporto internacional), o assassinato de um travesti sem que ele estivesse feito algo para merecer morrer com três tiros. Apenas disse a ela que os seres humanos carregam em seus corações muitos preconceitos advindos de suas próprias lutas internas.

Então, pensei em republicar um texto que postei aqui no dia 02 de abril de 2011 “O racismo e os preconceitos estão enraizados”, onde tento explicar essas causas psíquicas dos seres humanos.

Vamos ao texto:

Falar sobre racismo e preconceitos no Brasil é bastante difícil, mas necessário, principalmente depois das declarações do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e do Pastor deputado Marco Feliciano (PSC-SP). O primeiro passo para que a discussão possa acontecer, é assumirmos, que trazemos enraizados em nós mesmos: o racismo e os preconceitos.

Mesmo que digamos o contrário, não sou racista, não tenho preconceito, vamos perceber que infelizmente, não estamos livres de algum tipo de preconceito. Isto porque como já disse, está enraizado, faz parte do imaginário coletivo, está no nosso dia a dia e quase não nos damos conta disso.

Contudo, vale ressaltar que o racismo e os preconceitos estão enraizados, velados, disfarçados, mas sempre violentos, acontecem em nossa sociedade brasileira. Por outro lado, esquecem que somos todos mestiços, como pode haver racismo e preconceitos?

Quanto aos preconceitos com gays é algo estranho – só se o preconceituoso tem vontade de experimentar e ataca -, visto que a existência dos gays, não implica em ter de namorar eles ou beijá-los. Conviver não quer dizer fazer as mesmas coisas!!! Se não é a sua identidade sexual, natural, pois a homossexualidade, a heterossexualidade e a bissexualidade são apenas a identidade natural sexual das pessoas, significa apenas aceitar, que existem pessoas que gostam de pessoas do mesmo sexo e respeitar a necessidade delas de se relacionarem intimamente com pessoas do mesmo sexo. Isso não está prejudicando em nada quem não faz parte dessas opções sexuais.

Portanto, persegui-las ou excluí-las, apenas por terem a sexualidade diferente da heterossexualidade é algo desumano. É necessário se libertar desses preconceitos, que só geram mazelas, miséria, conflito, exclusão. Ninguém nasce preconceituoso, todos podemos nos livrar dos preconceitos ou tentar conviver pacificamente com eles.

Há uma espécie de preconceito espontâneo em relação a tudo que é diferente ou desconhecido. É preciso “des-preconceituar”, O preconceito pode ser motivado pelo medo.

Alguns preconceitos étnicos: “Todo cigano é ladrão.”  “O judeu é perverso”. “Os índios em geral são improdutivos e preguiçosos”.  “Todo negro é adepto de feitiçaria”. “Todo gay estimula os outros a praticar seus desejos sexuais”.  Outros preconceitos: a mulher no volante e o velho vagaroso são ridicularizados e acabam excluídos. Há patrões que defendem: “A todo operário falta à inteligência”. O pobre que “nada tem” (não contribui financeiramente, não compra, não paga imposto) e “nada sabe”, é marginalizado na sociedade. Não vendo a sua participação valorizada, ausenta-se. Em seguida, os pobres são acusados de apatia, preguiça, ingenuidade e de fuga nas festas. Finalmente lembramos aqui os preconceitos moralistas contra o corpo nu, contra a dança, a umbigada. E o preconceito contra a magia.

Como se ver, existe preconceito para tudo. O ser humano é, na verdade, movido aos conceitos e preconceitos.

  Publicado em: Governo

4 Responses to Por que tanto ódio no coração?

  1. Antonio Lima disse:

    Professor, uma pessoa querida por todos da sua comunidade foi barbaramente executada dentro do seu estabelecimento de trabalho em nossa Capital; falo daquele comerciante da “loja de guaraná”, que fora friamente executada e não se viu uma só palavra, uma só reação de indignação desse Espaço.
    Existe diferença entre se executar uma pessoas só por ter orientação sexual diferente daquilo que a natureza e as pessoas aceitam como normal?
    Aqui executaram uma ser humano, que trabalhava honestamente e cumpria com as suas obrigações e ninguém manifestou nenhuma revolta pelo ocorrido, o que é um absurdo, inclusive deste espaço, que indiferente nem retratou o trágico ocorrido, agora, misteriosamente se manifesta quanto à execução de uma pessoa, simplesmente pelo fato de ter uma orientação sexual “diferente”.
    Qual a diferença entre a atrocidade daqui com a que ocorreu em Brasília?
    É só a orientação sexual?
    Esse negócio de defender o “politicamente correto”, certas horas fazem as pessoas caírem no ridículo.
    A defesa da vida é uma obrigação de todos aqueles que acreditam que as pessoas são iguais independentemente da sua orientação sexual, da sua religião, da sua cor…, da sua condição socioeconômica e intelectual.
    Existe diferença entre a vida de um trabalhar e um “travesti”?

    • Caio Hostilio disse:

      Não antonio!!! Eu não acompanho as notícias policiais, mas sou contra todo tipo de violência e sou solidário a você.

  2. Paulo Cesar disse:

    O preconceito está em tudo e em todos. Tenho uma amiga que vivi postando coisas relacionadas a defesa das mulheres e direito de ter o corpo que quiser, seja gorda ou magra. Uma semana atrás me encontrei com ela no supermercado e a primeira coisa que ela falou foi que eu estava gordinho e deveria fazer academia…..rsrsrs me deu vontade de mandar ela para aquele lugar..

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog