A república se consolida

Publicado em   06/ago/2011
por  Caio Hostilio

Mauro Santayana

O ministro Nelson Jobim, respeitemos os fatos, é um político singular na história recente do país. Ele surge no cenário nacional em 1987, ao eleger-se para a Câmara dos Deputados. Rapidamente, impressionou seus pares pelo desembaraço. Suavida acadêmica é rica: professor-adjunto de direito da Universidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em que se formou, nela também obteve o mestrado em filosofia analítica e lógica matemática.

Não obstante esses títulos, Jobim é intelectualmente discreto: nunca demonstra todo o seu saber nos pronunciamentos políticos ou em seus escritos. A vaidade, ele a guarda para a prática cotidiana da política. É um homem que, em todos os atos, parece dizer que nasceu para mandar. Mas, pelo que vemos, não entende que o poder depende da legitimidade. Em seu caso, a legitimidade é conferida pela confiança da presidente. Quando falta legitimidade a qualquer poder, ele é tão sólido quanto uma nuvem de verão.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Busca no Blog