No dia em que o STF míngua a Lava Jato, o Senado consegue número suficiente para instalação da CPI “Lava Toga”

Publicado em   15/mar/2019
por  Caio Hostilio

E agora? O Senado terá coragem para peitar os todos poderosos ministros do STF? O STF mostrou que continua dando as cartas no Brasil e que todos têm por obrigação obedecer a suas sentenças sem questionar, pois ali estão os deuses brasileiros!!!

Com isso, por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu enviar para a Justiça Eleitoral processos comuns que tem conexões com as eleições, como o crime de caixa 2. Essa possibilidade foi duramente criticada por procuradores da força-tarefa da Lava-Jato no Paraná.

Mas vale ressaltar que os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Carmen Lúcia votaram para que as ações penais continuassem na Justiça Federal, enquanto que Marco Aurélio, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandoski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Dias Toffoli votaram pela condução à Justiça Eleitoral.

O interessante foi ver o pedido de CPI da Lava Toga, no dia da votação pelo STF, conseguir 27 assinatura de senadores, que constitui 1/3 da Casa, mínimo necessário para ser instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito.

O requerimento é do senador Alessandro Vieira (PPS-SE). O congressista não definiu quando o requerimento será protocolado na Secretaria Geral da Mesa, pois espera novas assinaturas. Fica claro que o medo dos “deuses brasileiros” pode levar para o espaço essa tentativa de abrir a caixa preta do judiciário brasileiro. É bom lembrar que o primeiro requerimento apresentado em fevereiro foi arquivado.

Esse é o segundo requerimento apresentado pelo senador. O 1º, apresentado em fevereiro, foi arquivado.

Mostrando coragem para peitar o SFT, que promete investigá-lo, o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, afirmou em rede social que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quinta-feira, 14, sobre a competência exclusiva da Justiça Eleitoral para julgar casos de crimes comuns em que houver crime eleitoral envolvido, começa a “fechar a janela de combate à corrupção política que se abriu há 5 anos”.

“Hoje, começou a se fechar a janela de combate à corrupção política que se abriu há 5 anos, no início da Lava Jato”, escreveu o procurador em sua conta no Twitter, no meio da tarde, na expectativa de uma possível derrota no STF.

Tudo leva a crer que a impunidade prevalecerá no Brasil… O ministro Marco Aurélio já afirmara que muitas condenações podem ser nulas!!!

Eita Brasil!!!

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Busca no Blog