Notícias

Publicado em   13/jul/2015
por  Caio Hostilio

Péssima gestão!!! Por falta de cumprimento dos ditames 1018 alunos de Dom Pedro ficarão sem bolsa família.

11143412_1459461377709554_7480534944740060157_nCom informações do Blog do Galo – A cidade de Dom Pedro foi a que menos atendeu as prerrogativas exigidas pelo programa Bolsa Família no Maranhão. No município, apenas 77,1% do esperado foi alcançado. Por isso, 1.018 alunos podem ter benefícios bloqueados e suspensos. 69 dos beneficiários não foram acompanhados. A informação consta no resultado de acompanhamento do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), divulgado nesta segunda-feira (13). De todas as 217 cidades avaliadas, apenas 40 cumpriram 100% das exigências do programa. Para receber o benefício é indispensável, entre outras questões, presença regular nos estudos. Dados referentes ao bimestre de abril e maio deste ano mostram que 4% deixou de cumprir o mínimo de aulas necessárias. “Famílias com crianças e adolescentes que deixaram de ir às escolas por motivos justificáveis, como doença ou insuficiência de vaga no serviço educacional, não sofrem bloqueio no benefício”, destaca o coordenador geral de Acompanhamento de Condicionalidades do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Rodrigo Lofrano. As famílias devem ainda manter atualizadas as informações no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, principalmente em situações de mudança de escola.

Municípios maranhenses registrarão, este mês, maior perda de recursos do FPM

foto 1-1As cidades maranhenses amargarão neste mês de julho a maior perda, até o momento, de recursos oriundos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujos repasses são feitos pelo Governo Federal. Levantamento elaborado pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), com base em informações e previsões do Tesouro Nacional, aponta que, até o fim deste mês, será registrada uma queda estimada em cerca de R$ 43 milhões em relação aos primeiros seis meses de 2015. A parcela depositada nas contas das prefeituras na última sexta-feira (10), correspondente ao primeiro decênio de julho, apresentou queda de 38% referente as primeiras parcelas de cada mês neste primeiro semestre. E a previsão do Tesouro Nacional é de que as próximas duas parcelas a serem depositadas nos dias 20 e 30 sofram novos déficits. Ainda segundo o Tesouro, agosto e setembro, juntos, deverão registrar perdas de recursos ainda maiores e que poderão chegar a quantia de R$ 84 milhões. A queda brutal de recursos do FPM no começo deste mês fez com que prefeitos e prefeitas não obtivessem nenhum fôlego financeiro, muito embora o Governo Federal tenha depositado a complementação de 0,5% do Fundo. “O complemento de 0,5% estava sendo visto como um fôlego para a crise financeira vivida, hoje, pelas cidades maranhenses e do Brasil. No entanto, juntamente com o complemento veio a redução drástica de 38% do repasse obrigatório, o que nos deixou atônitos, preocupados. Ou seja, o Governo Federal deu com uma mão e retirou muito mais com a outra”, afirmou o presidente da Famem, prefeito Gil Cutrim (São José de Ribamar). Ele explicou que a entidade municipalista continua orientando os gestores municipais a se manterem atentos com relação a situação de crise ocasionada pela queda de recursos. “Estamos permanentemente passando orientações aos gestores para que estes tentem manter a máquina administrativa operando de maneira mais do que enxuta. Infelizmente, a situação, a cada mês, se agrava e quem sofre com esta política financeira perversa do Governo Federal é o povo, que perde investimentos nas mais diversas áreas, dentre elas saúde, educação e infraestrutura”, disse Cutrim.

Ribamar Alves e representantes da Caixa Econômica Federal vistoriam Residencial Sol Nascente

IMG_1623Mais uma vez o Executivo Municipal de Santa Inês intercedeu pelos moradores junto aos responsáveis pela construção do Residencial Sol Nascente, bairro construído pelo programa Minha Casa Minha Vida no município. O residencial apresenta graves problemas, principalmente os relacionados à infraestrutura e esgotamento. Na última quinta-feira (09), o prefeito Ribamar Alves reuniu-se em seu gabinete com representantes da Caixa Econômica Federal (CEF) e das construtoras responsáveis pela execução das obras no Sol Nascente, logo após realizar, in loco, uma vistoria no residencial,  constatando inúmeros problemas. Na oportunidade, Ribamar expôs as reclamações dos moradores e relembrou que a questão foi mostrada em encontros ocorridos em março deste ano e, por isso, precisa de uma solução imediata. As equipes percorreram o bairro e ouviram as reclamações dos próprios moradores acerca dos problemas na infraestrutura das ruas; entupimentos da rede de esgoto, que inclusive, resultam em inundações (quando chove), onde as famílias têm ainda mais o seu sofrimento aumentado. Os fiscais da Caixa Econômica constataram e registraram os problemas do residencial e a Prefeitura de Santa Inês está elaborando um novo relatório para que os problemas sejam resolvidos.

  Publicado em: Governo

Uma comentário para Notícias

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos