Arquivo de outubro de 2013

Vamos deixar de blábláblá… Holandão quer o rompimento com o famigerado PCdoB de Flávio Dino

Postado por Caio Hostilio em 29/out/2013 - 6 Comentários

edivaldo holanda pai e filho {A06E27A8-BB4D-49BA-A534-9B782270C250}_diplomaPara o pai do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, o ex-deputado Edvaldo Holanda, segundo informações precisas, o seu filho tem que dá por fim a aliança com o PCdoB de Flávio, por ser o grande sanguessuga da gestão que aí está.

flaviotadinoca5O informante disse que o Holandão acha que o governo do filho se tornou refém das manobras maquiavélicas do PCdoB, que só pensa nas eleições de 2014 e que detém todos os poderes sobre as principais pastas, principalmente as de educação e saúde, cujos recursos são manipulados.

Segundo o informante, a gestão patina devido ao acordo firmado para que nesse primeiro ano fossem dadas totais condições econômicas para a campanha de 2014 e que somente após isso o governo Edivaldo Holanda Junior poderia ficar livre das pressões.

Mas parece que o Holandão não quer mais que o filho cumpra com esse acordo, haja vista que é a vida política do filho que passou a definhar devido ao péssimo governo que todos estão vendo e que Flávio Dino se afasta como se a gestão fosse leprosa, coisa que ele a fez adoecer.

“O Holanda pai já chegou ao seu limite e o Holanda filho já não agüenta mais, coisa que vem gerando brigas constantes entre os grupos que compõe o governo de Holanda Junior”, afirmou o informante ao blog.

O informante disse, ainda, que todos acham que já formaram caixa suficiente para disputar a eleição de 2014 e que não precisaria mais saquear tanto os cofres da Prefeitura, através de tantas dispensas de licitações.

Caso as informações sejam coerentes, verifica-se que tanto o Holandão quanto o Holandinha estão mais que certos em romper com quem está destruída uma gestão que poderia ser promissora…

Mas como? Não seria Marina com a menor rejeição? Vai entender pesquisas!!!

Postado por Caio Hostilio em 29/out/2013 - Sem Comentários

Dilma lidera e Aécio Neves tem menor rejeição, mostra pesquisa. Pesquisa mostra petista em 1º, mas vantagem em relação ao tucano fica menor entre os que conhecem os candidatos

Juliana Cipriani

resultadopesquisaSe as eleições fossem hoje, a presidente Dilma Rousseff (PT) venceria os adversários em todos os cenários, segundo pesquisa do Instituto Sensus feita entre os dias 17 e 21 de outubro em 136 municípios de cinco regiões do Brasil. O levantamento mostra, porém, que entre os eleitores que de fato conhecem os candidatos, a vantagem da petista diminui e quem mais cresce é o senador Aécio Neves (PSDB). O tucano é também o menos rejeitado entre os 2 mil eleitores pesquisados. Nesse quesito, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) seria a pior opção do partido, por apresentar rejeição de quase metade dos entrevistados.

No primeiro cenário pesquisado, Dilma teria 40,2%, contra 18% do senador Aécio Neves e 10,6% do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Indecisos, votos brancos e nulos somaram 31,3%. A margem de erro do levantamento encomendado pelo PSDB é de 2,2%. Quando são avaliados os mesmos nomes, mas entre os 1.117 entrevistados que declararam conhecer os três, a preferência por Dilma cai para 33,5% e a por Aécio sobe para 19,2%. Já as intenções de voto em Eduardo Campos atingem 13.

Quando a ex-senadora Marina Silva é o nome do PSB, Dilma tem 38,2% das intenções de voto, Marina 18,4% e Aécio 17,8%. Nesse cenário, entre os que declaram conhecê-los, Dilma cairia para 33,5%, Aécio subiria para 21,3% – uma diferença de 12,2 pontos percentuais – e Marina para 19,9%. Se o nome do PDDB for José Serra, a presidente vence com 38,8% dos votos. Nesse cenário, o tucano paulista teria 18,6% e Eduardo Campos 13,3%. Considerando o conhecimento dos eleitores sobre os nomes, Dilma teria 32,5%, Campos 18,5 e Serra 18,1%. Ainda com Serra na disputa, mas contra Marina pelo PSB, Dilma teria 38,2% dos votos, seguida por Serra com 18,3% e a candidata do PSB com 18%.

Em um eventual segundo turno, Dilma também venceria, mas Aécio é o que tem o melhor desempenho no embate entre os adversários. Com o mineiro candidato, ele teria 27%, contra 45,2% da petista. Essa diferença cai quando são considerados apenas os que declaram conhecer os candidatos. Nesse caso, Dilma teria 41,7% contra 30,2% de Aécio – 11,5 pontos percentuais. Para o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, os dados da comparação entre conhecimento e voto são importantes pois mostram uma tendência de votação. “Hoje, a maior tendência, com o desenvolvimento do tempo e das campanhas , é termos um segundo turno entre Dilma e Aécio”, prevê.

Outro ponto importante que o PSDB deve observar, segundo o responsável pelo levantamento, são os índices de rejeição. Nesse critério, 47,4% dos entrevistados afirmaram que não votariam de modo algum em José Serra. Em seguida aparece Eduardo Campos, com rejeição de 39,7%, e Marina Silva, de 39,4%. Na ponta estão Dilma Rousseff, rejeitada por 36,1% e Aécio Neves, por 34,6%. “A rejeição é um dos indicadores fundamentais da pesquisa, pois mostra um percentual do eleitorado que não votaria de jeito nenhum no candidato. Quem tem 40% ou mais está muito dificultoso no processo eleitoral”, afirmou Ricardo Guedes.

O pesquisador destacou que, além de Serra, Marina e Eduardo Campos aparecem com percentuais próximos de 40%. “Quem tem entre 36% e 38% de rejeição é mais fácil, pois temos que, de 100% do eleitorado, 20% vão para branco, nulo ou abstenção. Os 80% restantes, se dividirmos por dois, dá 40%. Então, quem tem 40% ou mais não passa para o segundo turno”, explicou. O levantamento Sensus avaliou também as preferências partidárias. Preferem o PT 17,3% dos entrevistados e o PSDB 7,6%. Sobre o governo Dilma Rousseff, 39,4% consideram o resultado positivo e 38,1% regular. Para 20,8% a gestão da petista é considerada negativa.

Empate

O senador Aécio Neves (PSDB) e a presidente Dilma Rousseff (PT) estão empatados na preferência dos eleitores do Espírito Santo para a sucessão presidencial em 2014. Segundo levantamento feito pela empresa Enquet, de Vitória, e publicado pelo jornal A Tribuna, Dilma tem 26,8% das intenções de voto, contra 26,5% de Aécio, uma diferença de 0,3 ponto percentual. O terceiro colocado nesse cenário, o governador do Pernambuco Eduardo Campos (PSB), aparece com 12,4% . Outros 14,4% responderam que votariam nulo ou em branco e 19,9% não souberam ou não opinaram. Quando o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB), é o candidato tucano, Dilma aparece no Espírito Santo com 27,5% contra 21,1% do rival. Nessa hipótese, Eduardo Campos tem 17,1%, brancos ou nulo 12,9% e não sabe ou não opinou 21,4%. Dilma apresenta também a maior rejeição naquele estado, com 40,1% dos entrevistados dizendo que não votariam nela. Foram ouvidas 1.400 pessoas. A margem de erro é 2,7% para mais ou para menos.

Isso é coisa de petista de araque!!! Candidatos a presidente do PT criticam o governo

Postado por Caio Hostilio em 29/out/2013 - Sem Comentários

Quanta idiotice!!! Então, esses idiotas não estão acompanhando o quanto a presidenta Dilma e o país vêm sendo espionados? Ainda esquecem que o Pré-Sal é a maior reserva de petróleo já descoberta nesse planeta? Se fosse nos USA esses idiotas achariam tudo normal!!! Essa prática foi coerente e precisa, pois assegurou a soberania do país…

ptcovardeCandidatos das correntes minoritárias do PT que disputam a presidência do partido criticaram nesta segunda (28) o governo Dilma Rousseff por ter utilizado tropas do Exército e da Força Nacional para fazer a segurança do leilão do campo de Libra do pré-sal, no Rio, na segunda-feira passada.

Os seis concorrentes ao comando petista participaram de debate em São Paulo quatro dias após um encontro acalorado realizado em Brasília. Na ocasião, diante de uma plateia exaltada, o presidente do partido, Rui Falcão, disse que parecia que a sigla fazia oposição ao governo.

No debate de ontem, sem a presença de claques, a maior fonte de críticas à Dilma foi o leilão de Libra. Ao defender a aproximação do PT com movimentos sociais, os candidatos Serge Goulart, Renato Simões, Markus Sokol e Valter Pomar atacaram o envio de tropas federais ao Rio.

Falcão, que concorre à reeleição com o apoio das principais correntes do PT, disse que é preciso “não mistificar” os movimentos e que apenas 400 pessoas foram protestar na porta do leilão, “uma mobilização pequena para a oposição que existia”.

A Força Nacional usou bombas e balas de borracha no protesto contra o leilão.

Sokol afirmou que a declaração de Falcão o “desqualificava” como dirigente do PT pelo “desprezo com os 400 manifestantes”.

Já Renato Simões qualificou o uso do Exército como “equívoco grave”.

Pergunta que não pode calar: O que diz a CPL sobre as dispensas licitatórias de Holanda Junior?

Postado por Caio Hostilio em 29/out/2013 - Sem Comentários

Cadê os 15% da Saúde?Por mais que se procure encontrar culpados para as ilicitudes licitatórias da gestão Holanda Junior, apenas um setor tem a total responsabilidade por todos esses atos que vão de encontro aos princípios da Lei 8666/93, a sua Central Permanente de Licitações.

Avaliar um processo licitatório é preciso vê-lo de capa a capa, pois para se ter a compreensão coerente é necessária que se consulte do pedido de compra ou serviço, sua justificativa, o prazo da necessidade, o parecer técnico e, principalmente, o andamento do certame pela CPL.

A maioria esmagadora dos vícios licitatórios está dentro da CPL em comunhão com o gestor, coisa que facilita o beneficiamento das empresas amigas.

É a CPL que determina se a compra será por inexigibilidade e muito das vezes por urgência e emergência, pois deixou que o prazo se exaurisse exatamente para usar o artigo 24º da lei 8666/93, principalmente quando se trata de Tomada de Preço e Concorrência Pública, mesmo através de Pregão, visto que escolherão o presencial!!!

Diversos casos do governo Holanda Junior, isso através de consultas, pude observar que as práticas adotadas foram visando levar o processo licitatório para a dispensa de licitação e, assim, beneficiar as empresas amigas.

Ora bolas!!! A CPL tem que está em sintonia com os setores de suprimentos de todos os órgãos, pois assim poderá efetuar a licitação dentro do prazo de entrega, visando o estoque mínimo e de segurança.

O mesmo ocorre com os setores de manutenção e patrimônio, cujas responsabilidades são os acompanhamentos das datas dos vencimentos dos contratos de manutenção e serviços, solicitando antecipadamente a renovação ou a substituição através de um processo licitatório regular.

Isso se aplica, ainda, ao setor de obras, que deve planejar com antecedência o que deve ser feito e, assim, solicitar a CPL em tempo hábil, para que de fato ocorra um processo licitatório limpo e transparente.

Portanto, como podem dizer que são o “Novo e a Mudança” que sequer conseguem impor essa rotina tão fácil de colocar em prática?

Que a CPL de Holanda Junior se explique isso com argumentos plausíveis!!!

O que não faz o jogo pelo poder!!! ‘Se ganharmos, vamos governar com os melhores do PT, PMDB e PSDB’, diz Marina

Postado por Caio Hostilio em 28/out/2013 - 4 Comentários

De repente todos dão razão ao ex-presidente Lula, que não titubeou em se aliar a todos os seguimentos políticos para poder governar e, assim, alavancar o país em nas mais diversas áreas sociais e econômicas… Agora, todos querem seguir o exemplo dele e quiçá conseguir o apoio dos maiores partidos desse país!!!

Você acreditou!!!

Você acreditou!!!

Em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (28) em São Paulo, durante um “encontro programático” entre PSB e Rede Sustentabilidade, a ex-senadora Marina Silva –fundadora da Rede e filiada à sigla socialista– afirmou que, caso o candidato da coalizão vença as eleições presidenciais em 2014, os partidos farão uma “composição programática” com outras legendas.

“Quando falo de uma aliança programática, não significa governar sozinho. Nenhum país tem condições de ser governado sozinho. O problema é quando isso é feito fora da ideia de programa. Temos que governar em composição, mas uma composição programática”, disse, ao lado do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, favorito do PSB para a disputa presidencial.

Segundo Marina, a composição inclui uma aproximação com setores dos três maiores partidos do país : PT, PMDB e PSDB. “Se a gente ganhar, queremos governar com os melhores do PT, com os melhores do PMDB e com os melhores do PSDB. Acreditamos que em todos os partidos tem bons políticos”, disse.

Marina disse ainda que a “composição programática” não resultará no loteamento de cargos a partidos aliados. “Não vai ser a distribuição de cargo pela distribuição da cargo, vai ser em cima das necessidades do cargo.”

“Em cima de ideias, de propostas, a gente pode fazer uma composição programática. Isso não é erro, não é fisiologismo, é assim que as democracias maduras se comportam. É como fazem os partidos maduros na Alemanha, na Inglaterra.”

Afinal, a UFMA seguiu esse rito para ceder Flávio Dino ao Ministério do Turismo?

Postado por Caio Hostilio em 28/out/2013 - Sem Comentários

flávio dinoAté agora não entendi nada, nadica de nada, sobre esse imbróglio de que o ex-juiz Flávio Dino ganha remuneração tanto da UFMA quanto da EMBRATUR.

Não entrei nesse debate por não acreditar que houvesse um erro dessa natureza, haja vista que o cadastro dos servidores públicos federais são controlados de uma forma que faz cruzamentos, principalmente no que tange ao imposto de renda.

Por isso, aguardei que se esgotassem todas as notícias e, assim, pudesse fazer o questionamento que se faz necessário, haja vista que todas as justificativas da UFMA e as de Flávio Dino não condizem com os ditames que requer para esse caso.

Então, é preciso saber se esse rito abaixo foi seguido e se está sendo obedecido dentro dos parâmetros legais:

Houve um ofício da autoridade interessada na cessão do servidor à UFMA, especificando o motivo da requisição, o período e a responsabilidade ônus? Cadê esse ofício? Quem assinou? Quem recebeu? Quem deliberou? A cargo de quem ficou o ônus?

Um documento exigido é a publicação no Diário Oficial da União. Parece que existe tal publicação, pois foi publicado em diversos blogs.

Vale ressaltar que o ônus da remuneração será da entidade cessionária (aquela que recebe o servidor), podendo continuar a receber pelo órgão de origem, mediante reembolso pelo órgão cessionário. Isso acontece quando a remuneração do órgão de origem é maior do que o órgão que solicitante. Por outro lado, existe o reembolso pelo órgão de origem e a gratificação pelo cargo ocupado no órgão solicitante. Isso não teria ocorrido no caso de Flávio Dino? Na hipótese de o servidor cedido para empresa pública ou sociedade de economia mista optar pela remuneração do cargo efetivo, a entidade cessionária efetuará o reembolso das despesas realizadas pelo órgão cedente.

É certo afirmar que a requisição de Flávio Dino foi requisição que implica no reembolso pela Administração Pública Federal direta e foi para o exercício de cargo em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores – DAS, níveis 4, 5 e 6, e de Natureza Especial ou equivalentes.

Por outro lado, está confuso como Flávio Dino vem sendo remunerado, haja vista que o reembolso: restituição ao cedente das parcelas da remuneração ou salário, já incorporadas à remuneração ou salário do cedido, de natureza permanente inclusive encargos sociais.  O valor a ser reembolsado será apresentado mensalmente ao cessionário pelo cedente, discriminado por parcela remuneratória e servidor, e o reembolso será efetuado no mês subseqüente.

Caso isso não venha ocorrendo, os órgãos envolvidos deverão adotar as providências necessárias para o retorno do servidor, mediante notificação. O não atendimento da notificação implicará suspensão do pagamento da remuneração a partir do mês subseqüente.

Portanto, que a UFMA e o Ministério do Turismo apresentem os documentos necessários, pois só assim teremos a certeza de que tudo foi feito dentro dos princípios legais…

É preciso que o MPF e o TCU tomem as providências cabíveis…

Quem assumirá o “posto” de Allan Kardec?

Postado por Caio Hostilio em 28/out/2013 - Sem Comentários

Você receberá seu título!!!

Você receberá seu título!!!

allan kardecEm minha opinião, será um imbecil, que servirá de boi de piranha para presepadas com os recursos do FUNDEB e os do FNDE, que sempre teve a intenção pura e marcada para transformar tudo em benefícios eleitoreiros, assim como os recursos da saúde.

Aquele que aceitar sabe que será esse bode expiatório e será outro a velar a culpa por todos os descasos com a educação infantil e o ensino fundamental em São Luís.

Os politiqueiros sabem jogar com a coletividade, pois todos acham que são os secretários os responsáveis pelos desarranjos e ilicitudes cometidas… Ledo engano!!!

Os verdadeiros responsáveis por todas as mazelas cometidas no setor educacional da Prefeitura de São Luís estão vibrando com os noticiários, principalmente aqueles que são mais firmes quanto a incapacidade de Allan Kardec.

Viva a burrice de todos!!!

Assim funciona a gestão pública, ainda mais quando os politiqueiros criaram os co-responsáveis, coisa que facilita muito a corrupção… Quantas ilicitudes foram apenas assinadas por Allan Kardec sem que ele tivesse tempo de avaliar? Com certeza muitas, haja vista que os responsáveis pelos fechamentos das contas (de confiança dos verdadeiros gestores financeiros) chegaram com milhares de processo para que o secretário assinasse!!!

Vamos aguardar quem será o próximo otário!!! Pode ser de qualquer partido, visto que o mesmo não passará de um cupincha que atenderá os mandos daqueles que desviam de fato os recursos públicos…

É preciso dizer mais alguma coisa?

Postado por Caio Hostilio em 28/out/2013 - Sem Comentários

Eu já disse aqui que o candidato ao governo do Estado do Maranhão será do PPS e que o Dutra tucanou de vez!!! Alguém ainda tem dúvida? As coisas já estão praticamente amarradas… Em minha opinião, Marina não vai de PSDB e aposta muito no PPS de Roberto Freire, que tem no Maranhão Eliziane Gama, a queridinha dos dois caciques, enquanto que Paulinho da Força tende para os tucanos, coisa que deixa Dutra feliz da vida!!!  

Josias de Sousa

EduardoAecioEdsonSilvaFolha1Os presidenciáveis Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB) travam nos subterrâneos uma disputa pelo tempo de propaganda de dois partidos: o PPS de Roberto Freire e o recém-criado Solidariedade, de Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força Sindical.

Os operadores da campanha de Campos avaliam que, em ascenção nas pesquisas, ele se tornou uma opção mais atraente no mercado das coligações. A turma de Aécio acha que a maioria do PPS vai preferir o PSDB. E aposta que Marina Silva verá na articulação com Paulinho uma incursão a ser evitada no mundo da velha política.

Se não tomarem cuidado, os antagonistas de Dilma Rousseff acabam convertendo em realidade a profecia da “autofagia dos anões”, que o marqueteiro João Santana, a serviço do PT, previu na véspera da filiação de Marina ao PSB.

Gestores: A confusão do Público com o privado e a centralização na gestão pública como se um gestor fosse o dono…

Postado por Caio Hostilio em 28/out/2013 - Sem Comentários

Escuta-se muitos políticos dizerem que seus adversários confundem o público com o privado e que estão dos dois lados do balcão, porém são eles os maiores responsáveis por essa balburdia e, ainda, deixam de passar para a coletividade de forma didática as verdadeiras obrigações de uma gestão pública junto a coletividade e a importância da descentralização, haja vista que um gestor eleito não é o dono, mas sim um empregado do povo para gerir a coisa pública…

escola_falidaEmbora tenham em comum o serem ambas administração, a Administração Pública e a Administração Privada distinguem-se todavia pelo objeto que incidem, pelo fim que visa prosseguir e pelos meios que utilizam.

Quanto ao objeto, a Administração Pública versa sobre necessidades coletivas assumidas como tarefa e responsabilidade própria da coletividade, coisa que ficam na promessa e desrespeitam os princípios da administração pública. Enquanto que a Administração Privada incide sobre necessidades individuais, ou sobre necessidades que, sendo de grupo, não atingem contudo a generalidade de uma coletividade inteira, mas sim de grupo proprietário e de seu corpo de colaboradores.

Quanto ao fim, a Administração Pública tem necessariamente de prosseguir sempre o interesse público: o interesse público é o único fim que as entidades públicas e os serviços públicos podem legitimamente prosseguir, ao passo que a Administração Privada tem em vista naturalmente, fins pessoais ou particulares. Tanto pode tratar-se de fins lucrativos como de fins não econômicos e até nos indivíduos mais desinteressados, de fins puramente altruístas. Mas são sempre fins particulares sem vinculação necessária ao interesse geral da coletividade.

Contudo, observa-se que na Administração Pública existe os interesses dos grandes grupos, que passam a influenciar diretamente na Administração Pública, tirando, com isso, o seu objetivo fim, que é primar pela transparência junto a coletividade.

É certo afirmar que a Administração Pública se traduz na satisfação de necessidades coletivas, que a coletividade decidiu chamar a si, e porque tem de realizar em todas as circunstâncias o interesse público definindo pela lei geral, não pode normalmente utilizar, face aos particulares, os mesmos meios que estes empregam uns para com os outros.

Todavia, os políticos conseguem burlar esses princípios através das leis que eles criam e, assim, misturar o público com o privado. Coisa que sempre beneficiará os grandes grupos, ou seja, seus financiadores de campanha!!!

O processo característico da Administração Pública, no que se entende de essencial e de específico, é antes o comando unilateral, quer sob a forma de ato normativo (e temos então o regulamento administrativo), quer sob a forma de decisão concreta e individual (e estamos perante o ato administrativo). Coisa completamente desrespeita!!!

A Administração Pública em sentido material ou objetivo ou funcional pode ser definida como, a atividade típica dos organismos e indivíduos que, sob a direção ou fiscalização do poder político, desempenham em nome da coletividade a tarefa de promover à satisfação regular e contínua das necessidades coletivas de segurança, cultura e bem-estar econômico e social, nos termos estabelecidos pela legislação aplicável e sob o controle dos Tribunais competentes.

A função Administrativa é aquela que, no respeito pelo quadro legal e sob a direção dos representantes da coletividade, desenvolve as atividades necessárias à satisfação das necessidades coletivas.

Sabem quando isso irá ocorrer? Nunca!!!

Allan Kardec aceitou ser o bode expiatório?

Postado por Caio Hostilio em 28/out/2013 - 1 Comentário

fláviodinoallan kardecPobre rapaz!!! Rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs… Como seria bom que muitos conhecessem como funciona de fato uma administração pública!!!

Allan Kardec sai como o mentor intelectual das falcatruas e, principalmente, como o gestor financeiro corrupto da Secretaria de Educação do Município de São Luís. Não enganação!!!

Se não me engano, foi no blog do Robert Lobato que li sobre a informação pura e simples e a informação de fato que a coletividade precisa saber…

Diante disso, início logo fazendo um questionamento tanto aos leitores quanto aos jornalistas: Vocês acreditam que a administração financeira do governo Edivaldo Holanda Junior é descentralizada, ou seja, cada secretário comanda o dinheiro destinado orçamentariamente para suas respectivas pastas?

É preciso conhecer como funciona de fato uma administração e o que seu gestor pretende fazer.

Para inicio de conversa, nenhum gestor público é idiota o bastante para depositar total confiança em um de seus auxiliares ao ponto de desconhecer todos os seus atos à frente de suas respectivas responsabilidades.

Em minha opinião, Allan Kardec foi um otário, assim como muitos que se deixam levar e depois pagam o preço sem que tenha feito algo de errado.

É preciso saber que existem recursos e “recursos” que ninguém, a não ser a cúpula do prefeito e de seu mentor, coloca a mão e manipulam da forma mais esdrúxula possível, sem que seus secretários – Boi de Piranha – tomem conhecimento.

Os recursos dos SUS – fundo a fundo -; do FUNDEB; do FNDE; do FPM; das famigeradas emendas e dos tributos, são controlados a parte e sequer o secretário da pasta sabe como e onde serão aplicados.

Pergunte a um Diretor de Escola se ele alguma vez aplicou o dinheiro do PDDE ou PDE…

Licitações nessas pastas? KKKKKKKKKKKKKKKK… São feitas de acordo com quem financiou a campanha eleitoral, pois nenhum empresário é idiota suficiente para não saber quais são as galinhas dos ovos de ouros!!!

Portanto, Allan Kardec, eu espero que você tenha aprendido e que não entre mais nessa roubada, pois os ladrões do dinheiro público te usaram e eles colocarão outro para servir de bode expiatório.

Espero, ainda, que os jornalistas mostrem as verdades de fato à coletividade, pois é necessário saber como funciona a engrenagem de uma gestão pública para debater esse assunto e saber responsabilizar quem é o responsável direto pelas ilicitudes cometidas.

Também, espero que a coletividade tome conhecimento de que nessas pastas citadas, a maioria dos gestores públicos por esse país afora, coloca exatamente um bode expiatório para que possa desviar os recursos públicos e depois esse idiota saia como o incompetente e, ainda, seja o responsável pelas prestações de contas!!!

Só me resta parabenizar Flávio Dino e Holanda Junior, haja vista que conseguiram passar bem para mídia e para coletividade que o Allan Kardec é o grande responsável por tudo!!!

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos