O editorial do Jornal Pequeno mentiu em quê?

Publicado em   27/ago/2013
por  Caio Hostilio

papo de galinha po po po - www.hiperlol.comOs seres humanos jamais conseguiram desconstruir o que existe. A filosofia diz que o homem não pode imaginar o que nunca viu. Perfeita a teoria filosófica.

Contudo, a lingüística, principalmente após os estudos de Saussure, veio os estudos, cujos resultados diz que a língua foi imposta ao indivíduo. Mas Saussure se superou na formulação do Signo X Significado.

Para que exista um signo é preciso ter o significado. Por isso, não serão as bravatas, os discursos bestiais e matérias jornalísticas contra ao que existe de fato, principalmente quando é visto pela coletividade… Seria como dizer que o 14Bis não sobrevoou Paris, cujo significado foi presenciado por milhares de pessoas, formando, com isso, signo X significado.

É assim que ao significado da palavra galinha atribuo a imagem de uma ave de crista carnuda e asas curtas e largas, frequentemente criada em capoeiras e muito usada na alimentação humana. Animal pouco inteligente, demasiado eléctrico que se movimenta em passadas curtas sem orientação pré-determinada, sempre debicando qualquer coisa que ela veja pelo instinto de encher o papo grão a grão.

Logo, fica evidente para o povo de cada localidade onde existe o oferecimento da saúde da SES que o signoXsignificado existe e é da forma descrita no editorial do Jornal Pequeno.

O que não se pode confundir a teoria filosófica com a teoria de Saussure… Isso é ignorância e falta de capacidade de buscar assuntos sérios para formular um debate dentro das perspectivas da coletividade!!!

Leia abaixo, a parte do editorial do Jornal Pequeno que tentam desqualificar, porém sem nenhuma consistência, cujo resultado ficará perdido nas bravatas pela disputa pelo poder:

Por outro lado, sendo oposição ou não, é preciso reconhecer que o espetáculo de ineficiência da saúde pública que vem sendo revelado pela Rede Globo em diversas reportagens não cabe mais para o Maranhão. Pode até ser que não tenhamos um modelo britânico de saúde, como teria dito o secretário Ricardo Murad, mas o pesado volume de investimentos no setor é inegável. Não se pode negar que, com apoio federal, o governo do Maranhão investe mais em saúde pública que qualquer governo de outro Estado do país. Hospitais são inaugurados quase que mensalmente em todas as regiões e comprovadamente estão funcionando. O mesmo acontece com as UPAS, inclusive as de São Luís e os equipamentos nessas unidades hospitalares são de última geração. Se há alguma deficiência nos novos nosocômios construídos e inaugurados pelo secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, ainda é de pessoal. Mas isso não pode ser sentido em São Luís, a exemplo do Hospital Carlos Macieira, Hospital Geral e nem mesmo nas UPAS que recebem centenas ou milhares de pacientes todos os dias.

Diante da inadmissível situação da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, onde, conforme reportagem da Globo, não existem UTIs nem na rede municipal nem na rede estadual de saúde ou da situação dos hospitais de Belém, também mostrados pela Rede Globo, alguns dados referentes à saúde pública no Maranhão são, no mínimo, alentadores. Os dados são oficiais, mas o governo do Maranhão está investindo mais de R$ 1 bilhão em construção de novas unidades, aquisição de equipamentos e na reforma e adequação das unidades já existentes. E, pasmem, desse total, menos que R$ 19 milhões são oriundos do governo federal.

A calamidade na saúde pública é, portanto, um desastre político-administrativo dos governos do PT que se encaminha para 12 anos no poder sem encontrar solução para esse caos que se agrava cada vez mais. E pode ser exatamente a saúde pública a responsável por uma provável derrota do PT nas próximas eleições.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos