Cadê os R$ 350 milhões Flávio Dino e Holanda Junior? MPMA vistoria Socorrão II e constata desabastecimento no hospital

Publicado em   19/jul/2013
por  Caio Hostilio

fláviodinoEstá mais que na hora de Flávio Dino e Holanda Junior dizer para os ludovicenses o que fizeram com os R$ 350 milhões enviados pelo Ministério da Saúde – fundo a fundo -, isso sem contar com os 15% que a Prefeitura tem aplicar na Saúde, isso de toda sua arrecadação, que somados aos repasses do Ministério, o valor supera a casa dos R$ 500 milhões. É inconcebível a Falta de medicamentos, comida, equipamentos e materiais de consumo, como foi constatado pela Promotora de Justiça de Defesa da Saúde.

vistoria 01A Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde realizou na manhã da última quinta-feira, 18, inspeção no Hospital Municipal Clementino Moura, Socorrão II, e comprovou o desabastecimento da maioria dos insumos hospitalares necessários para o tratamento e manutenção dos pacientes. Para tentar resolver o impasse, o MPMA emitiu Recomendação nesta sexta-feira, 19, à Secretaria Municipal da Saúde concedendo o prazo de 24 horas para a aquisição dos materiais.

vistoria 02A inspeção foi coordenada pela promotora de justiça Glória Mafra e as investigações fazem parte do Inquérito Civil Público, nº 2/2013, que apura as condições de atendimento nos hospitais de São Luís.

vistoria 03Dos 77 itens necessários para a nutrição adequada dos pacientes, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) disponibiliza apenas 17, gerando um déficit de 78% na alimentação. Faltam leite, biscoitos, cereais, sal dietético, suplementos alimentares,  feijão, dentre outros alimentos.

No almoxarifado, a situação é ainda mais grave: o déficit é de 84%. Estão disponíveis apenas 26 itens dos 162 necessários para o atendimento adequado dos pacientes, faltando 136 insumos. Faltam agulhas, álcool, ataduras, bisturis, curativos, coletores de urina, drenos, esponja, algodão, sacos plásticos, sabão, detergente, sondas, tubos endotraqueais, luvas, além de outros materiais.

A escassez também atinge a farmácia do Socorrão II, expondo os pacientes à interrupção dos tratamentos. Faltam vários tipos de antibióticos, soro fisiológico e outros medicamentos, totalizando 24 itens. “Por exemplo, um paciente com infecção que precise do medicamento cefalotina, terá seu quadro agravado pela ausência do remédio”, disse a promotora de justiça.

Glória Mafra classificou a situação na unidade hospitalar como “gravíssima”, pois contribui para piorar o quadro de saúde dos pacientes e aumentar o tempo de permanência na internação, potencializando os óbitos até mesmo em casos de menor complexidade. Outro problema é a falta de reagente, que é um insumo necessário para a realização de exames como hemograma.

“Os pacientes estão sendo prejudicados de forma deliberada. Não podemos aceitar que um paciente não receba o diagnóstico correto pela ausência de um exame simples, como o hemograma. É inadmissível interromper o tratamento por falta de medicamentos ou demais insumos”, questiona Glória Mafra.

Ela explica, ainda, que se houvesse a alimentação adequada, exames necessários e os medicamentos, muitos pacientes teriam alta, em um período menor, liberando os leitos para outros doentes. “O Ministério Público não aceita a precariedade como algo natural”.

Mafra explicou, também, que já solicitou informações ao Município de São Luís e aguarda a resposta da prefeitura sobre o desabastecimento para concluir o Inquérito Civil Público. Após a conclusão, a Promotoria da Saúde poderá oferecer eventuais denúncias civis e criminais.

  Publicado em: Governo

12 comentários para Cadê os R$ 350 milhões Flávio Dino e Holanda Junior? MPMA vistoria Socorrão II e constata desabastecimento no hospital

  1. maximus menezes disse:

    mais uma noticia marrom, igual do teu velho jornal, ou do Ricardo

    • Caio Hostilio disse:

      O Veja Agora mostrou com muita propriedade os roubos… Basta procurar as matérias da compra dos livros didáticos e a contratação de uma fabrica de coxinha de galinha para estimular o esporte em Alto Alegre do Maranhão.

  2. DURALIBIO disse:

    ESSA ADMINISTRAÇÃO DO ED-H ESTÁ PARECIDÍSSIMA COM A DE JOÃO CASTELO. NA ÁREA DE SAÚDE NÃO MUDOU NADA. QUERO VER SE OS PROMOTORES VÃO DEIXAR PASSAR QUATRO ANOS DO MESMO JEITO QUE ACONTECEU NA EDUCAÇÃO NO GOVERNO CASTELO, EM QUE NÃO HOUVE AULA EM VÁRIAS ESCOLAS E O PROMOTOR DA ÁREA DE EDUCAÇÃO SABIA DE TUDO E NADA FEZ.
    ISSO É UMA VERGONHA.

  3. DURALIBIO disse:

    É ASSIM QUE FLAVIO DINO ESTÁ EM PLENA CAMPANHA NOS MUNICÍPIOS, PREGANDO UM FUTURO MELHOR, MAS QUE MELHORIA É ESSA?

    • Caio Hostilio disse:

      O maior exemplo foi em Pinheiro, local que ele falou sobre saúde pública, porém não foi responsável o bastante para exigir que seus aliados Zé Arlindo e Luciano Genésio dissessem o que fizeram com os R$ 2 milhões que o municipio recebeu apenas em 2012. Ele também se cala diante do recebimento de R$ 350 milhões pela Prefeitura de São Luís do Ministério da Saúde… Isso para ele é ser o novo e a mudança!!! Flávio Dino é uma enganação que apenas ficou doente pelo poder!!!

  4. paulo sergio disse:

    ….

    • Caio Hostilio disse:

      Ah!!! então foi você que carregou a pasta com os R$ 350 milhões e não velou nada… Mas como você é otário, miquitinho!!!

    • Caio Hostilio disse:

      O secretario do município ta caladinho num canto, pois nao tem como justificar onde foi parar R$ 350 milhões. Sequer cumprimentou o ministro padilha

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Busca no Blog

Arquivos