E a crise continua no Socorrão I…

Publicado em   08/jun/2013
por  Caio Hostilio

Apenas um adendo: Afinal, por que o prefeito Edivaldo Holanda Junior insiste em manter um diretor que não consegue gerir dentro dos princípios administrativos, principalmente em relações humanas, que confunde o público com o privado e que faz do serviço médico do Socorrão uma patacoada generalizada? Por que tentam jogar para debaixo do tapete todas as presepadas desse diretor? Por mais que a saúde do município esteja em péssimas condições, não se houve falar de tanta coisa ruim sobre o diretor do Socorrão II, que já mostrou serenidade, seriedade e compromisso com a coisa pública!!!

Do Blog do Ronaldo Rocha

enfermeirosO prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) tem um grave problema no Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão I, que precisa de solução imediata. A conturbada gestão do midiático diretor Yglésio Moyses, já resultou em pelo menos três paralisações este ano.

Na história recente dos hospitais municipais, não há registro de tanta rejeição de uma diretoria-geral, quanto à ocupada pelo doutor Yglésio.

Ontem, todos os técnicos de enfermagem da unidade de saúde cruzaram os braços, para reivindicar melhores condições de trabalho, pagamento de gratificações e uma solução do Município em relação ao tratamento que é dispensado pelo diretor geral do Socorrão I.

Yglésio anda em corredor tomado por macas com pacientes em situação humilhante

Release enviado pela Prefeitura à imprensa tenta minimizar o fato e destaca que houve apenas reivindicação da categoria em relação ao pagamento das gratificações. No texto, Yglésio afirma que valor da bonificação é oscilante e depende da receita do hospital. “Complementamos o salário dos nossos servidores através do nosso repasse do SUS. Este mês infelizmente tivemos uma arrecadação menor, logo a bonificação reduziu”, disse.

Os profissionais não aceitaram as justificativas – consideradas inconsistentes -, e prometerem paralisar novamente os trabalhos caso não haja a regularização do pagamento. Eles alegam que o valor das gratificações caiu de R$ 150,00 para 120,00.

Em março, funcionários do Socorrão I já haviam pedido a saída de Yglésio, após terem sido chamados de porcos pelo diretor. Para justificar, na ocasião, à comissão de Saúde da Câmara o fato de o hospital estar sujo, ele disse que os funcionários gostavam de trabalhar em chiqueiro.

Yglésio também foi denunciado esta semana pelo blog de Daniel Matos, por ter colocado a namorada [Juliana Brito, segundo o jornalista] para dirigir um setor importante do hospital. Ele já havia sido denunciado à polícia há poucos dias por um servidor, por causa da ausência de testes biológicos e o não funcionamento de toda a Central de Material de Esterilização (CME), unidade de apoio técnico que assegura o controle, preparo e esterilização de materiais médicos hospitalares, com o objetivo de evitar contaminações. O servidor agora é alvo de um processo administrativo interno e pode ser excluído dos quadros do Município.

Além disso, Yglésio ganhou destaque nacional na mídia – negativamente é obvio – na ridícula e desnecessária campanha de doação de alimentos para o Socorrão I. Uma campanha que ficará para a história do serviço médico público do país.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos