Quem inventou a política?

Publicado em   06/jan/2012
por  Caio Hostilio

Como sem idéia? Foi você!!! Maluco...

Antes de qualquer coisa, esse camarada fez uma relação da vida com a política que ninguém consegue separar.

Por isso, vem o questionamento: o que é exatamente qualidade de vida e qual seria o grau de prioridade desta discussão em um país onde milhões de pessoas não têm suas necessidades básicas atendidas? À primeira vista, parece uma discussão secundária, a ser feita apenas depois de cumpridas certas etapas. Mais ou menos como, por exemplo, discutir a qualidade do feijão apenas depois de garantir que haja feijão, inda que duro ou queimado.

Na antiguidade, os termos usados para definir qualquer realidade eram bem definidos. Em vista disso, se tinha clareza dos conceitos universais de vida, alma, corpo, pessoa, sociedade, cosmos, Estado… Política. Por outro lado, em nossos tempos hodiernos, as considerações primordiais esvaíram na concepção que cada indivíduo faz da realidade que lhes atinge. Com isso, os conceitos, não somente estes, de “vida” e de “política” perderam seus referenciais de significado, levando cada homem dar-lhes um significado que mais lhe satisfaz, pois atualmente há um dissenso conceitual. Portanto, o que é a vida? O que é a política? Qual a relação da política com a vida?

Os filósofos clássicos tinham claro tudo quanto diziam. Pode objetar-se a propósito do que é a vida e auferir um retorno intenso: “é a capacidade de mover-se de forma imanente (por si mesmo)”. Que é justiça? Cícero obtempera: “é dar a cada indivíduo aquilo que lhe é devido”. Na sua obra “Política”, Aristóteles responde proferindo que política “é a arte de promover o bem comum”. Esses conceitos tão caros para esses ilustres pensadores, não regem mais a vida do homem moderno, porque esse quer abdicar de tudo que é histórico, limitando-se a se relacionar somente com os fatos momentâneos.

Com a rejeição dos conceitos já concebidos, o homem sofre o poder das leis sem autoridade, as quais querem normalizar a vida do homem e a política, mas não sabem dizer o que é nem um e nem mesmo o outro. As leis não respondem a esses conceitos, mas será por quê? Não é porque as leis negam os conceitos vigentes? Tudo isso para a política é bom, visto que seus gestores pregam que o Estado é laico e, assim, entra o termo de secularização no meio público.

O principio político se sobrepôs ao da vida, visto que o foco de toda gestão pública está em relação aos seus próprios interesses. Dessa maneira, fica fácil para os políticos sancionarem leis que vão contra o interesse da vida coletiva.

Percebendo a vida sendo suprimida pela política, podemos concluir que a concepção de Aristóteles a respeito de política: “arte de promover o bem comum” é anacrônica? A vida sendo o primeiro bem humano está sendo cada vez mais esmagada por aquilo que deveria lhe promover desde a concepção até a morte: a política. Assim, a vida humana persiste no movimento de se esconder dos assassinos políticos e a política, nas mãos dos políticos, continua matando as vidas humanas sobreviventes.

 Caros políticos, que estampam seus rostos em jornais e em “santinhos”, é hora de voltar aos conceitos claros e promover o bem comum. Chega de tanta falsidade, hipocrisia, falso moralismo e corrupção em nossa política!!!

  Publicado em: Governo

4 Responses to Quem inventou a política?

  1. e quem enventou a pilitica foi o Caio Hostilio e por que não fala nele?

  2. Pingback: Deus na política – NADA MAIS QUE A VERDADE

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog