Curiosidades

Publicado em   06/jun/2011
por  Caio Hostilio

Pequena é média não têm chance!!!

Apesar das mudanças na legislação brasileira, uma pequena parcela das micro e pequenas empresas (MPEs) consegue fazer negócios com o setor público, que é um dos grandes contratantes de bens e serviços. Os governos federal, estaduais ou municipais representam apenas 4% do faturamento das pequenas. Isso é o que mostra uma sondagem de opinião feita pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Segundo o levantamento, só 20% das 4,2 mil empresas pesquisadas em todo o País vendem seus produtos para os governos. Na avaliação do presidente do Sebrae, Luiz Barretto, esses números ainda são baixos e há espaço para crescimento dos negócios não só com o setor público, mas também com grandes e médias empresas. As grandes companhias representam 16% do faturamento das pequenas. Trinta e sete por cento das MPEs brasileiras vendem para grandes. Por outro lado, são elas, as pequenas e médias empresas que mais empregam no Brasil.

O capital manda!!! Olha só essa: Vila chinesa fica rica e vive uma ideologia misturada

Considerada pelo governo um exemplo a ser seguido no país, a mais rica vila rural da China é um misto de socialismo, capitalismo globalizado e coronelismo hereditário, no qual uma única família comanda a política e os negócios. Os 2 mil moradores originais de Huaxi (província de Jiangsu, a cerca de 150 km de Xangai) são donos milionários de um conglomerado de 70 empresas, que tem ações na Bolsa de Shenzhen desde 1999, fabrica de aço a produtos químicos e faturou US$ 8 bilhões em 2010. No ano passado, a vila exportou US$ 228 milhões, valor semelhante ao vendido a outros países no mesmo período pela fabricante de ônibus Marcopolo, a 130.ª colocada entre os principais exportadores do Brasil. Os camponeses de Huaxi não pegam na enxada e moram em sobrados de 600 metros quadrados, com garagem para dois carros e jardins impecáveis, em uma paisagem semelhante ao próspero subúrbio onde vivem os personagens da série de TV norte-americana Desperate Housewives. Os huaxineses também se beneficiam de um Estado de bem-estar social que garante benefícios inexistentes para a maioria dos chineses, como assistência médica gratuita, aposentadoria e viagem anual ao exterior.

Curado pelo empirismo

Engenheiro de software, o canadense Geoffrey Shmigelsky (foto), de 42 anos, chegou a um diagnóstico digno do doutor House – aquele da série de TV. Por dois anos, sofreu de dores no peito. O problema aparecia a cada 17 dias. ‘Fui a médicos e psicólogos. Tudo em vão’, conta. Decidiu ingressar numa comunidade virtual de pacientes. Com a troca de experiências, descobriu que o problema era causado por um parasita alojado em seu pulmão. ‘A cura era uma pílula de US$ 10.’ O site acessado pelo canadense – Cure Together (curetogether.com) – reúne portadores de diversas doenças. Ao se cadastrar, o internauta preenche um questionário relatando seus sintomas, os tratamentos que experimentou e os resultados que obteve. O sistema então indica usuários com o mesmo perfil para ele entrar em contato.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog