Afinal, é o Maranhão que não se desenvolve ou é o seu povo que não consegue se desenvolver?

Publicado em   02/fev/2013
por  Caio Hostilio

imagesCA64XCTYDepende da óptica que se queira observar!!! Se for observada pela óptica política, ou melhor, politiqueira, o Maranhão não conseguiu se devolver em nenhum aspecto, tanto de cunho econômico ou social, mas se for observada óptica sociológica e psicológica, quem não conseguiu se desenvolver foi o seu povo, que se limitou aos discursos e aos debates politiqueiros, deixando, com isso, que os empreendimentos e as riquezas desse estado fossem dominadas por investidores de outros estados e estrangeiros, além da mão-de-obra vir totalmente de fora.

Como o Maranhão não se desenvolveu? Ora bolas!!! O Maranhão é um estado com uma das melhores infraestrutura de estrada de rodagem hoje no país. Tem um Porto de altíssimo valor logístico a nível mundial. Possui duas importantes ferrovias desse país, como a Norte/Sul e Carajás.

Tanto que se desenvolveu, que hoje o agronegócio em Balsas e na região de Santa Quitéria, com milhares e milhares de hectares de plantação de soja é toda de pessoas que apostaram nas terras do Maranhão. Não é engraçado? E cadê os maranhenses? Ficaram no discurso da terra arrasada e da politicalha!!!

Aí vemos as grandes empresas imobiliárias instaladas em São Luís, com milhares de investimentos. Essas empresas são maranhenses? Não!!! São todas de fora. Em sua maioria do Ceará.

Vamos para o transporte urbano. As empresas são de onde? Minas Gerais.

Um estado que tem duas Hidrelétricas e uma grande Termoelétrica, além de outras de pequeno e médio porte. Cadê os maranhenses interessados?  

 Agora, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Maranhão manterá, durante a safra 2012/2013, a posição de terceiro maior produtor de arroz do Brasil. A previsão é de que sejam colhidas este ano, 685.400 toneladas de grãos, representando um aumento de 46,5% em relação à safra 2011/2012.

E, segundo a Sedinc, o número de registros de empresas no Maranhão aumentou. O representante estadual do Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), o número de empresas que receberam o Certificado de Registro de Marca saltou de cinco, em 2011, para 13, em 2012.

A marca registrada é importante para a identificação da empresa pelo consumidor e o registro concedido pelo INPI é a única forma de assegurar aos empresários a proteção da marca do produto ou serviço e garantir o direito de uso exclusivo em seu ramo de atividade econômica, em todo o território nacional.

Como podemos ver, o Maranhão desenvolveu muito, mas os politiqueiros é que não deixou o seu povo se desenvolver!!!

  Publicado em: Governo

21 Responses to Afinal, é o Maranhão que não se desenvolve ou é o seu povo que não consegue se desenvolver?

  1. Pingback: Afinal, e o Maranhao que nao se desenvolve ou e o seu povo que nao consegue se desenvolver? | Governo & Política – DEAQWEB

  2. karolina disse:

    resposta rápida e simples, igual a pergunta é preciso analise e vamos lá. Maranhão ocupa uma área de 333.365,6 km2. Significa também que ocupa o montante de 33.336.560 hectares do país, sendo o oitavo Estado da Federação em extensão territorial e o segundo da região Nordeste. Apesar de imenso, o Estado possui um pequeno número de proprietários que detém a maioria das terras, causando conflitos e violências no campo.
    No governo (01/02/66 a 15/03/1971) do atual senador JOSE SARNEY, foi criado o instrumental jurídico para as transferências das áreas, era a Lei de Terras de 17 de junho de1969 (Lei n.º 2.979). Para tanto, foi criada a Comarco – Companhia Maranhense de Colonização – a 6 de dezembro de 1971 (Lei 3.230), que logo incorporou ao seu patrimônio uma área de 1.700.000 hectares de terras. Do montante dos 1.7000.000 hectares, 300.000 seriam destinados aos pequenos colonos (dez mil famílias). O Restante seria vendido a grandes empresas, que deveriam empreender a chamada ocupação racional do solo. (- Victor Asselin, Grilagem: corrupção e violência em terras do carajás, Petrópolis, 1982,p.135). estou citando a fonte para não dizer que é perseguição ao sarney. agora vamos para as empresas, o conglomerado shopping são luis, o maior da capital, para se instalar teve que vender um bom percentual a jorge murad, esposo da atual governadora roseana sarney, por essa informação vc pode deduzir como funciona a vinda de empresas para o maranhão e como os maranhenses podem prosperar tendo um inimigo ou melhor um calabar lutando contra ou melhor se associando a tudo que é lucrativo neste estado, o achado de petróleo em santo amaro a quem pertence a maioria das terras, a familia sarney. esta é a verdade do estado rico e maranhenses miseráveis imposta pela mão do ditador jose sarney e sua prole. agora se tudo que foi relatado aqui não for verdade, professor conteste com referencia, assim como foi feito no texto acima ou então conteste que as propriedades e bens citados não pertencem a familia sarney, e poremos um fim entre a verdade e o mito, tá contigo.

    • Caio Hostilio disse:

      Esse teu papo engana quem é daqui e ficou nesse discurso idiota e babaquara, coisa de idiotas. O certo é que esse estado será de outros povos… Não será, já é!!!

  3. Antonio Lima disse:

    Professor, o Maranhão é um estado rico de povo pobre…
    Os graves problemas porque passa a nossa gente é fruto de uma classe política que age sem nenhum espírito público e sem compromisso com os reais interesses da População.
    Sabes quanto custa um litro de juçara?
    Sabes quanto custa quilo de polpo de bacuri?
    Os “grandes projetos” implantados no nosso Estado não contemplam os interesses da nossa Gente, pois estão dizimando o pouco que ainda resta das riquezas pouco exploradas e se nada for feito, as futuras gerações pagarão o preço ainda maior por essa falta de visão dos nosso dirigentes, que só tem olhos para as coisas que interessam os que não tem nenhuma afinidade ou compromisso com o nosso Povo.
    Sabes quanto gera para os cofres do Estado uma tonelada de soja produzida no sul do Estado?
    Faça as contas…

    • Caio Hostilio disse:

      Antonio, meu amigo, aqui até as pequenas e médias empresas são de pessoas que estão vindo de fora para investir no Maranhão!!! A coisa não é bem assim. Ontem numa conversa, um amigo disse-me que um paulista que investe na noite na cidade de Sâo Paulo não conhecia São Luís e o resto do Maranhão e que esteve em Santa Inês. Lá em Santa Inês, ele ficou fascinado como corre dinheiro naquela cidade e como o comércio é rotativo e que as pessoas não sabiam ganhar dinheiro e gerar emprego e renda. Ele disse que iria investir apenas R$ 50 mil lá e que com 3 meses já estaria com um capital de mais R$ 300 mil. Basta esse depoimento para você ver e mensurar….

      • Antonio Lima disse:

        Professor, dinheiro não dá em pé de toco… Em nenhum lugar do mudo civilizado, onde as pessoas trabelhem honestamente um empreendimento, qualquer que seja o ramo pode crescer e gerar retornos astronômicos, em tão curto espaço de tempo.
        Isto me faz lembrar daquela boiada vendida pelo presidente o Senado, o senador enrolado Renan Calheiros. Lembras de como ele fez de um bezerro desmamado uma boiada de dar inveja a qualquer pecuarista experiente, um rei do gado?
        Se o senhor quiser saber um pouco sobre as causas da pobreza do nosso Estado, dê uma passadinha na porta de uma escolinha que funciona no Planalto Vinhais II, que é do Município, onde desde ontem aso pessoas se aglomero ao relento na esperança de conseguir uma vaga para colocar seus filhos para estudar, e assim mudar essa triste e dura realidade de miséria em que vive grande parcela da nossa população.
        Saia um pouco do conforto da sua casa, dos hotéis que frequenta e faça uma visita nas periferia e veja como vive as massas excluídas.
        O nosso povo é trabalhador, o que falta é uma classe política com visão de futuro, que honre os compromissos assumidos, que aja com espírito público e defenda os interesse os reais interesses da População.
        Só uma curiosidade: quem são os homens mais ricos do nosso Estado, são empresários?

        • Caio Hostilio disse:

          Eu não tenho dinheiro para viver em hoteis e moro no vinhais e vejo tudo isso, até a quadra poesportiva parada desde o governo de Jackson Lago. Mas o povo daqui se limitou a seguir a conversa fiada dos politiqueiros canalhas desse estado, enquanto isso, os camaradas veem de fora se dão bem. Agora é a minha vez de lhe falar. Saia de casa e passe a viajar por esse estado afora e veja o quanto o povo daqui deixa que os vindos dos outros estados dominam tudo. Quantos artigos já fiz aqui nessa merda de blog chamando a atenção para o sul do maranhão? Vá lá veja quem são os que dominam as diversas mão de obra? Ora bolas!!! O caras já viram que os maranhenses não estão preocupados com os avanços e sim em fazer politicalhas, meu caro. Só da minha família: médicos, odontologos, enfermeiras, administradores e de outras profissões que vieram do Rio de Janeiro e de Brasília para se estalarem naquela região não está no gibi e vou ao
          Rio e em Brasília de seis a sete vezes por ano e estimulo mesmo eles e amigos a fazer isso, pois mostro a eles como as pessoas daqui pensam. Vou lhe conta uma coisa que D. Hilda Sayão, que tive a honra de conhecer e ainda trabalhar na antiga Fundação das Pioneiras Sociais, também com D. Sarah. D. Hilda me disse que quando foi arberta a Belém – Brasília, o governo Federal a época ofereceu todos os terrenos a beira da estrada para os brasileiros que queriam desenvolver toda essa região. Sabe quantos quiseram? Nenhum!!! Essas terras é o celeiro do mundo e todas são de imigrantes. Assim são os brasileiros!!!

          • Antonio Lima disse:

            Professor, não posso deixar de concordar com o senhor quando diz que existe muita acomodação em nosso Meio.
            Concordo que a economia do nosso Estado é controlada, em sua grande maioria por gente de outras paragens, especialmente por pernambucanos, cearenses, piauienses etc. No entanto, não podemos esquecer que toda essa gente que vem para o Maranhão em busca de oportunidades são detentoras de algo que é imprescindível para um indivíduo mudar a sua realidade e a sua condição social, que é educação.
            Veja, em plena Capital, as pessoas estão sendo humilhadas e obrigadas a passar dias e noites numa fila, ao relento em busca de assegurar um direito constitucional, que é uma vaga para seus filhos nas escolas do Município.
            O que podemos esperar de um povo que não tem educação?
            Como mudar essa triste realidade, se não dispomos das ferramentas e dos meios necessários para fazer as transformações de que tanto necessitamos?
            Sei que quem conhece outros estados fica abismado quando se depara com a mentalidade e com a dura e triste realidade de miséria em que vive grande parcela da nossa Gente, mesmo dispondo dos recursos naturais necessários par não viver nesse permanente e vergonhoso estado de pobreza, que choca a todos que conhece e sabe que se existissem políticas públicas essa vexatória realidade não mais faria parte das nossas vidas.
            Repito a pergunta que fiz no comentário anterior: quem são os homens e mulheres mais ricos do nosso Estado, são empresários de qual setor?
            Causa indignação vê as pessoas sendo humilhadas, tendo os seus direitos aviltados e as elite fazendo de conta que estar tudo bem, e ainda transfere para as vítimas a responsabilidade pelos desmandos praticados por aqueles que não tem nenhum compromissos com os interesses do Povo, com as futuras gerações, que são os nossos políticos e todos os que tem posição de comando e fazem vistas grossas para essas aberrações todas.

          • Caio Hostilio disse:

            Meu amigo Antonio, concordo plenamente com você, mas volto a questionar: quem são os responsáveis pela educação infantil e fundamental? Exatamente esses 217 gestores municipais, que furtam os recursos do Fundeb e do FNDE.

  4. Valdeci de Carvalho Almeida disse:

    Estamos simplesmente assistindo o galope do cavalo selado passar, sendo montado por outros heróis e que o sapo apesar de morar na beira da lagoa, não lava o pé porque não quer. Os maranhenses já perderam tempo até demais, com essa história de maria lá vem boi. Ainda há tempo de dispertar e que esse Maranhão que é tão rico e tão soberano, está debaixo do nosso nariz. Se os nossos irmãos encontram espaço nessa terra aonde se plantado tudo dar, é porque ainda não descobrimos os nossos valores, ou estamos dormindo e sonhando que tudo venha a cair do céu. Se culpar um só por tudo isto e não admitirmos que também somo responsável nessa história, vamos demorar muito para entender que todo esse lenga lenga, não passa simplesmente de papo furado e que o inventor dessa maldita miséria é tão esperto e malicioso, que conseguiu fechar os olhos daqueles em que a lente não tem mais validade e que por isso só tem olhos para o passado.Se baixarmos mais um pouco a cabeça ai a coisa pega mal.

    • Caio Hostilio disse:

      Valdeci, é exatamente o que vem acontecendo. Os maiores produtores, empresários e industriais desse país são estrangeiros porque nós brasileiros nos acomadamos. Nunca esqueci da conversa que tive com D. Hilda Sayão quando da abertura da Belém-Brasília e até hoje, quando viajo de carro para Brasília e Rio de Janeiro, faço questão de parar exatamente nos principais locais em que ela tanto chamou a atenção, como Porongatu, Gurupi, Uruaçu, Guarai, Araguaina… Os caras continuam mandando em tudo e até conseguiram eleger um prefeito carcamano em Palmas…

  5. Ângelo Goethe disse:

    Acontece que para mim o problema é um misto das duas coisas. O problema do Maranhão é politico sim e ser governador por um clã por décadas e mais décadas piora bastante o resultado mais nem se longe todos os problemas do estado se devem a eles e outra se estão lá foi o povo que colocaram eles lá oras.

    A questão do Maranhão se resolver basicamente com o mesmo remédio para os problemas do Brasil no geral chama-se educação, e por mais que seja o 3° maior produto disso ou daquilo, tenha isso ou aquilo o Maranhão é miserável. tem um população de quase 7 milhões de habitantes mais tem um PIB menor do a cidade de Curitiba por exemplo. E os governantes podiam a longo prazo tentar mudar esse panorama claro com a ajudar dos povo maranhense mais nem um e nem outro dão o primeiro passo.

    • Caio Hostilio disse:

      Você já começa errado, pois aqui são 218 gestores públicos e não um só. Por outro lado, o estado teve um desenvolvimento econômico imenso nesses últimos anos, porém a situação de educação, eu concordo com você e ai eu questiono: quem são os responsáveis pela educação infantil e fundamental? Exatamente esses 217 gestores municipais, que furtam os recursos do Fundeb e do FNDE.

      • Ângelo Goethe disse:

        Meu querido o Maranhão é absoluto no quesito miséria talvez em alguns aspectos seguida de perto por Alagoas, mais ainda assim é soberano. Ex: muitos países da Africa cresce a números chineses a anos e continuam na miséria extrema é mais ou menos o que acontece no MA.

        Vamos lá o MA é o estado mais miserável do Brasil com 26,3% da população tida com pobres extremos aqueles que ganham até R$ 70,00 p/ mês, o MA é o estado com a pior renda p/ capita do país, é o 3° pior em residencias com rede de esgotos, é a unidade da federação com o menor numero de celular por habitante, estado com o pior numero de pessoas empregadas com carteira assinada, estado com o menor numero de pessoas com acesso a internet em casa, estado do NE com a pior malha rodoviária da região e um dos piores do Brasil também, 2° pior em expectativa de vida do país, último lugar em pessoas com nível superior completo, 2° pior em mortalidade infantil. Ufa teria que passar horas falando dos indicadores do MA que quando é algo bom é o último mais quando é algo ruim é o primeiro.

        Por como falei não credito a uma única pessoa ou a um grupo a tanta pobreza junto, tanta coisa ruim no mesmo lugar, mais faz diferença sim. os prefeitos das 217 cidades são apenas prefeitos que não tem muito para onde correr sendo que muitas desta cidades sequer conseguem se sustentar dependendo do funcionalismo publico para não desaparecerem, ai entraria onde o governador do estado poderia fazer o diferencial e te garanto meu querido nunca fez nesses últimos 60 anos.

        • Caio Hostilio disse:

          É mesmo? Você sabe quantos bilhões e bilhões esses prefeitos recebem? Você sabia que eles recebem sete vezes mais que o orçamento que o Estado recebe? Você sabia que esses 217 gestores maranhenses são os 6º a receber as fatias maiores do governo federal entre todos os outros prefeitos dos demais estados? Aí eu te pergunto: Cadê esses bilhões e bilhões? Também faço outra pergunta: Se esses bilhões e bilhões estivessem sendo bem aplicados,os indices estariam péssimos? Outro questionamento: Por que somente eles (os maranhenses) não são cobrados e não seguem os ditames da constituição, que divide as responsabilidades em três esferas: federal, estadual e municipal? Por que não cumprem com a educação, já que são responsáveis pela educação infantil e fundamental? Ora bolas!!! Esse papo daqui do Maranhão só cola no Maranhão!!!!

  6. Carlos Jose silva disse:

    Esse Caio Hostilo em bobao

    • Caio Hostilio disse:

      Eu babão? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…. Você é que deve babar muitoooooo os cearenses que te ganharam aqui dentro!!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  7. Carlos Jose silva disse:

    Esse Caio Hostilo precisa estudar mais para nao falar asneira.

    • Caio Hostilio disse:

      Quem precisa estudar é você, otário, que perdeu os espaços até para os cearenses… Vai ser burro assim lá na baixa da égua!!!

  8. Jorge Valdo disse:

    É preciso educação, é preciso olhar para a historia desse lugar, e peceber que essa terra ja foi prospera, e analizando mais , que muitos brasileiros de poder negaram a importancia da regiao, Rio de Janeiro foi quem se beneficiou com tudo isso apos a Independencia, e o Maranhao, foi esquecido… É preciso lembrar que o Brasil foi um Imperio, e a Sede desse Imperio foi o Rio, e que nesseariamente a Familia Imperial deveria estabelecer o poder sob todo territorio brasileiro… Se não, o Maranhao e seu entono seria hoje um país como a Confederacao do Equador, e o Pará, após a Cabanagem… São regiões distantes do Centro Economico do Brasil, que hoje disfrutam da maior injustça cometida nesse pais (o poder centralizado no Rio) tao rico em cultura e tao pobre em justiça… Não seria esses mesmos “brasileiros” que estao tirando o proveito de terras governadas por “brasileiros” que se estabeleceram no poder do Maranhao, como se nao tivesse saido do tempo dos coroneis da Primeira Republica?? Esses “brasileiros”, que se dizem brasileiros, que estao hoje no Maranhao e nao são maranhenses, tanto por nao nascerem aqui, quanto por nao sentirem nem um pouco de afinidade ou semelhança com o povo historicamente maranhense, como os que estao no PODER da regiao, querem o bem deste povo, desta terra? Foi negado por tanto tempo e ainda hoje é, pelo que entendo nos comentarios, o direito de o povo marnhense estudar em escolas contruidas para esclarecer ao povo toda sacanagem que esses “brasileiros” fazem com essa terra… Essa ignorancia do povo maranhense de verdade, que deveria ter sua historia estudada por todos os alunos deste país, se é de se considerar um país de verdade, pois nada mas é do que a Historia do Brasil deveria ser Historia de Todo o Brasil e não do Rio de Janeiro e suas vantagens economicas regionalistas, que deixou para a vizinhança (São Paulo e Minas Geras) o legado da centralização do poder… Diante disso tudo, o que fazer? O que um maranhense que acaba de fazer isso deve fazer??? Se ele for um verdadeiro Maranhese ele irar tratar de contar aos outros… Porque se não, como os outros iram saber… Atravez de escolas??? Mas as escolas estaduais e municipais estao sob dominios dos “brasileiros”. Eles iram evidenciar isso?? Não haverar futuro digno aos maranheses se continuarem sem saber de nada!! Revolução, seria a solução?? Eu nao sei! Não sou maranhese. Mas eu sei quem voces sao, e se eu fosse maranhense, eu trataria de fazer uma alguma coisa por que a ajuda, NÃO VAI CAIR DO CÉU!!!

  9. ROBSON PRADO disse:

    MUITA VERDADE FOI DITA NESSES COMENTÁRIOS. SOU MARANHENSE E MORO DISTANTE DESDE PEQUENO. USANDO A MÁXIMA DE QUE O TORCEDOR VÊ MAIS O JOGO QUE O ATLETA PORQUE ESTÁ FORA DO CAMPO. EU, POR ESTAR FORA, IGUAL A UM TORCEDOR, PERCEBO QUE O MEUS CONTERRÂNEOS ESTÃO A DÉCADAS SE DEIXANDO LEVAR PELA PRATICA DO “PÃO E CIRCO” PROMOVIDO POR POLITICOS TERRIVEIS E SEM COMPROMISSO COM O ESTADO….

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog