Por que a CPI do circo esconde esse dado? Mais de 19 mil pessoas já morreram após tomar duas doses da vacina, mostra levantamento

Publicado em   17/set/2021
por  Caio Hostilio

BOMBA: Mais de 19 mil pessoas já morreram após tomar duas doses da vacina, mostra levantamento
Não há dúvidas de que a vacinação é a grande responsável pela redução na quantidade de mortes diárias por conta da Covid-19 no Brasil nos últimos meses. A queda tem ocorrido apesar da flexibilização de diversas medidas de distanciamento social pelo Brasil ocorridas desde o início da campanha.

Entretanto, apesar do sucesso do imunizante em combater a pandemia, a morte de pessoas que já tomaram duas doses da vacina causa confusão na população. De acordo com os registros de casos do Banco de Dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave, ocorreram 19,3 mil óbitos de pessoas cujos sintomas apareceram pelo menos 15 dias depois da aplicação da segunda dose do imunizante.

O número de vacinados que terminariam como vítimas da doença é pequeno (0,02% do total) diante da quantidade de 72,8 milhões de pessoas protegidas contra a doença ou do total de mortes por conta do coronavírus, de 588,6 mil. Mesmo assim, ele é utilizado por ativistas antivacinas para criticar a aplicação do imunizante.

Por conta disso, é importante explicar o que se esconde por trás do número e por que utilizá-lo para criticar a vacinação contra a Covid-19 é injusto e perigoso. “Nenhuma vacina é 100% eficaz, portanto algumas pessoas podem pegar Covid-19 e, dependendo sobretudo do seu estado clínico, desenvolver a doença e infelizmente vir a falecer”, explica o médico sanitarista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)Julival Ribeiro.

No caso da vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, por exemplo, essa eficácia gira em torno de 85% a 95%. Além disso, essa eficácia vai caindo ao longo do tempo. Essa é uma das razões pela qual é cogitada uma vacinação recorrente contra a doença, como já acontece hoje com a gripe.

As condições que agravam as chances de pegar a doença e de morrer por conta dela mesmo estando imunizado são as mesmas que para as pessoas sem a vacina, como a idade e comorbidades, mas a possibilidade é menor para os vacinados. Isso fica bem claro quando se analisa a idade das pessoas cuja aplicação das duas doses foi confirmada.

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos