Tabata entrará na justiça para deixar o PDT e que Gil Cutrim a seguirá

Publicado em   15/out/2019
por  Caio Hostilio

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) disse nesta segunda-feira, 14, que vai entrar com uma ação na Justiça Eleitoral para conseguir manter seu próprio mandato após deixar seu partido, do qual ela está suspensa há três meses. O pedido faz parte de uma ação em conjunto com ao menos seis deputados, do PDT e do PSB, que desejam deixar as siglas mas seguir como parlamentares no Congresso, o que contraria regras eleitorais. 

“O PDT deixou de ser meu partido”, disse a deputada, durante entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Segundo ela, os deputados Flávio Nogueira (PI), Marlon Santos (RS) e Gil Cutrim (MA), que atualmente são colegas da deputada no PDT, além dos deputados do PSB Rodrigo Coelho (SC), Felipe Rigoni (ES) e Jefferson Campos (SP) a acompanham na decisão.

A deputada disse que ainda não decidiu para qual partido irá.

Tabata disse que a dificuldade de exercer o mandato de forma plena é uma das razões para entrar com ação. Como exemplo, ela disse que teve de pedir uma vaga ao PTB para seguir como relatora de um projeto na Câmara. “Estou suspensa, sem conseguir atuar de forma 100% efetiva na Câmara”, disse.

Ela ainda rebateucríticas que sofreu de lideranças do PDT na época da votação da reforma da Previdência. “Não vou aceitar que digam que eu fui contra a orientação partidária.”

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Busca no Blog