Vergonha!!! Estudo aponta que empresas privadas investiram muito mais que a Caema em saneamento…

Publicado em   24/abr/2019
por  Caio Hostilio

Essa pesquisa só vem mostrar a ineficácia e o sucateamento da Caema, que já deveria ter sido privatizada. Os dados são vergonhosos. Pesquisa revela que operações de saneamento em parceria com a iniciativa privada contam com investimentos mais expressivos. A pesquisa aponta ainda o quanto o Maranhão vive com o esgoto a céu aberto… QUE VERGONHA!!!

As concessões privadas no Maranhão foram as que mais investiram no saneamento básico do estado nos últimos anos: uma média de R$1.000,60 por ligação de água e esgoto, contra R$133,90 da empresa estadual em 2017.

Os dados são da pesquisa inédita feita pela ABCON-SINDCON, entidade que reúne as empresas privadas com operações em serviços de água e esgoto no Brasil, e que será apresentada junto com o lançamento do anuário Panorama da Participação Privada no Saneamento 2019

Segundo a pesquisa, o nível de cobertura de saneamento no Maranhão ainda deixa a desejar: apenas 28,13% da população conta com os serviços de coleta de esgoto. Do esgoto gerado, somente 9,18% são devidamente tratados antes de seu lançamento nos corpos hídricos.

Segundo a ABCON, com base em números do SNIS (Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento) e do SPRIS (Sistema de Informações do Segmento Privado do Setor Saneamento), a cobertura de água e esgoto entre as concessionárias privadas é superior à média nacional. No caso da água, essa média é de 92,98% em áreas urbanas, mas nos municípios atendidos pelas concessionárias privadas chega a 94,68%. Para coleta de esgoto, a média nacional é de 58,04%, enquanto a média entre as empresas privadas chega a 63,74%.

Ainda de acordo com o Panorama 2019, a iniciativa privada investiu R$ 1,98 bilhão em serviços de água e esgoto em 2017, ou 18,1% do total investido pelo setor de saneamento naquele ano (R$ 10,9 bilhões).

Os dados demonstram que as concessionárias privadas e PPPs tem conseguido manter uma participação entre 20% dos recursos aplicados no setor, mesmo estando presentes em apenas 6% das cidades brasileiras.

Hoje, seriam necessários R$ 22 bilhões por ano de investimento para alcançar a universalização até 2033, conforme prevê o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), mas o Brasil só consegue investir no máximo metade desse montante a cada ano. Uma alternativa para acelerar investimentos é a parceria com a iniciativa privada.

O Panorama também traz números gerais sobre o desempenho do segmento privado no saneamento: a iniciativa privada possui R$ 37 bilhões em investimentos comprometidos em concessões e PPPs, o que equivale a quase quatro vezes a média total investida pelo setor nos últimos anos. O número de municípios atendidos pela iniciativa privada no saneamento (água e tratamento de esgoto) passou de 322, em 2017, para 325 em 2018.

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Busca no Blog