Despreparado!!! Na TV, Ciro Gomes erra dados sobre Previdência e Orçamento

Publicado em   30/maio/2018
por  Caio Hostilio

Hoje (30), publiquei “O Brasil tem candidato que possa tirar o país do caos econômico, social e político?”, e essa matéria da Folha de São Paulo (UOL) abaixo vem fechar o que eu disse… E assim segue o Brasil, com candidatos que sequer conhecem os verdadeiros dados orçamentários do país… Como querer governar com dados mentirosos e sem consistência alguma, além das propagandas enganosas?

O pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, citou valores errados sobre déficit da previdência, exagerou sobre o tamanho da importação de medicamentos no país e repetiu dados imprecisos apresentados em ocasiões anteriores.

FALSO: Ciro Gomes tem dado declarações diferentes e, às vezes, contraditórias sobre o déficit da Previdência. Na sabatina realizada pelo UOL, “Folha” e SBT na semana passada, o candidato disse que “é perfeitamente possível afirmar que o regime geral da Previdência não tem déficit”.

No “Roda Viva”, Ciro afirmou que existe o déficit da Previdência –sem especificar a qual regime se referia–, mas que ele não corresponde aos dados do governo. Segundo Ciro, o déficit real seria de R$ 25 bilhões ou R$ 30 bilhões. O candidato não informou a fonte do cálculo e o Aos Fatos não encontrou referência a esses valores nas fontes oficiais.

De acordo com a Receita Federal, o déficit do Regime Geral de Previdência Social atingiu R$ 182,5 bilhões em 2017, como resultado de R$ 374,8 bilhões de arrecadação e R$ 557,2 bilhões de despesas. Não foi encontrado nenhum dado oficial ou de instituições de pesquisa que divulgassem o valor de R$ 30 bilhões de déficit afirmado por Ciro Gomes.

Em outro momento da entrevista, Ciro afirma que, “com a DRU”, o déficit da Previdência alcançaria R$ 180 bilhões, valor próximo ao calculado pelo governo para o déficit do Regime Geral de Previdência. O candidato refere-se à Desvinculação de Receitas da União, a DRU, mecanismo criado por emenda constitucional em 1994 e que permite gastar parte das receitas de impostos e contribuições para seguridade social em áreas diferentes das destinadas constitucionalmente.

Essa declaração do candidato também é incorreta, pois a DRU não impacta o déficit previdenciário. A Constituição Federal, no artigo 167, proíbe o uso das contribuições previdenciárias para outros fins.

“Metade do Orçamento brasileiro, de tudo o que se arrecada de imposto, é despesa financeira, juro e rolagem de dívida”, Ciro Gomes.

FALSO: Ciro já havia comentado sobre o tema do impacto da dívida pública no Orçamento. O Orçamento público é composto de dois tipos de despesas: as despesas primárias e as despesas financeiras.

Além de não estar correto sobre a proporção, Ciro também erra sobre a fonte para pagamento das despesas financeiras. Uma parte da dívida é paga com a emissão de títulos de dívidas públicas com prazos mais longos de vencimento, a chamada rolagem da dívida. Segundo os dados do Tesouro, as despesas com amortizações da dívida por refinanciamento ficaram em R$ 462,6 bilhões, em 2017.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Publicidade

Busca no Blog