PSB começa a ficar mais perto de Roberto Rocha!!!

Publicado em   23/fev/2018
por  Caio Hostilio

Assim funciona as Executivas Nacionais dos partidos. No Maranhão acham que tudo segue de baixo pra cima, quando tudo começa de cima pra baixo, ou seja, os diretórios estaduais apenas seguem as determinações de suas Executivas Nacionais. Interesses domésticos não se sobrepõem aos interesses nacionais. Aqui acham que todos se agacharam aos anseios políticos do governador Flávio Dino, que não tem nada a oferecer as grandes e médias legendas… As articulações a nível nacional são concentradas em Brasília e nos estados que possuem uma grande concentração eleitoral. Fiquem com a matéria abaixo, publicada ontem no site UOL:

PSB apresenta exigências para apoiar Alckmin na disputa presidencial

UOL

A cúpula do PSB apresentou, na noite desta quarta-feira (21), suas condições para vir a apoiar o governador Geraldo Alckmin (PSDB) na disputa presidencial. Reunido com o vice-governador de São Paulo, Márcio França (PSB), dirigentes do partido listaram Estados onde reivindicam o apoio do PSDB aos candidatos do PSB aos governos.

Entre os Estados, estão Espírito Santo e Tocantins, além do Distrito Federal. O comando do PSB também deseja o apoio do PSDB à candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda ao governo de Minas Gerais, mas enfrenta resistência do PSDB mineiro, que tem o senador Aécio Neves como principal líder.

Os dirigentes do PSB alegaram, durante a reunião, que nos Estados onde PSDB e PSB estão prestes a compor essa articulação acontecerá independentemente da aliança nacional, e que Alckmin deverá se empenhar mais para garantir apoio do partido à sua própria candidatura. Em outras palavras, enquadrar o tucanato onde o PSDB resiste a uma composição com candidatos do PSB.

Alckmin, segundo o comando do PSB, também deveria se esforçar para melhorar a relação com o partido em Pernambuco, onde o PSDB faz frontal oposição ao governador, Paulo Câmara.

Segundo integrantes do PSB, Márcio França fez um relato de sua situação para a disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. Aos dirigentes do PSB, o vice-governador de São Paulo disse acreditar na candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria, ao governo do Estado. França afirmou não se incomodar com a hipótese de Alckmin ter dois palanques em São Paulo: o seu e o de Doria.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Publicidade



Busca no Blog