PMs do BPRv denunciam os maus-tratos que sofrem e a forma arbitraria para arrecadar muito para o DETRAN…

Publicado em   10/fev/2018
por  Caio Hostilio

Primeiramente, policiais militares são seres humanos e precisam se alimentar bem para se manter de pé numa exaustiva perseguição aos condutores maranhenses para bomburrar os cofres do DETRAN, assim como precisam de logística nas blitz como banheiro químico, pois seis horas sem fazer suas necessidades fisiológicas é desumano. Quanto a denúncia de que é preciso bamburrar os cofres do DETRAN, é preciso que o Ministério Público tome as providencias cabíveis… Mas será que terá coragem de fiscalizar?

Boa tarde

Caio, nos ajude a divulgar essa nota

Os policiais do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPRv ) de São Luís estão insatisfeitos com o novo comandante Tenente Coronel Magalhães.

Desde a chegada dele ao batalhão, o mesmo só está dificultando o trabalho dos seus comandados, como proibindo as permutas (que é um direito do militar que consta no RDE – Regime Disciplinar do Exército ao qual está submetida a Polícia Militar), mais trabalho (blitz e mais blitz), perseguindo a tropa para que possa  produzir cada vez mais e consequentemente na arrecadação de multas para o DETRAN.

Um caso bem recente foi a de um soldado que, sendo pai e se sensibilizando com um cidadão, resolveu liberar o veículo para o “ganha-pão” do pai de família e como consequência foi punido com 6 dias de prisão determinada pelo Coronel. 

As permutas foram revogadas há quase um mês mesmo o comando tendo o conhecimento de que mais de 70% da tropa é do interior e que esses policiais têm famílias e dependentes que necessitam constantemente da presença deles para se manterem. 

O Tenente Coronel Magalhães fala para os seus comandados no início do serviço que não é para liberar nenhum policial que esteja irregular, pois com ele não existe “camaradagem”. Ele não tem nenhum respeito pela sua tropa, não responde nem se quer a uma continência que o praça presta a ele que é sinal de respeito e hierarquia, não recebe o praça no seu gabinete, ordena para que os seus oficiais fiscalizem as  barreiras para que os pm’s não parem nenhum momento e se o corredor da Blitz estiver vazio,ou seja, sem nenhum carro ou moto sendo abordado, o comandante da barreira tem sua atenção chamada. 

Vale ressaltar ainda que os policiais do batalhão BPRv já foram até ameaçados por policiais de outros batalhões que tiveram alguns pedidos negados, não por vontade do militar, mas sim por força maior e sempre que precisam de apoio no 190 este vem de forma lenta por se tratar de um “pm do Bprv”. 

Os policias tiram serviço de Barreira por no mínimo 6horas direto em pé com toda sua farda e equipamentos chegando a 10kg e com direito a somente um copo de água de 200ml e nenhum banheiro químico para suas necessidades o que pode ocasionar um problema de saúde futuro, como uma infecção urinária ou problema na coluna por suportar tanto peso por muitas horas sem nenhum minuto para descanso. Entretanto, os pms chegavam a dobrar o serviço a contento sem reclamar, pois sabiam que iam pra casa visitar seus familiares e agora nem isso podem. 

Não fornecem alimentação e o alojamento não cabem todos chegando a ficar sobrecarregado quando os de serviço chegam para o descanso. Cada um está gastando em média 40,00 por dia com alimentação e higiene pessoal gerando um déficit de no mínimo 1.200,00 mensal no salário.  

Por fim, todos os policiais foram impedidos de viajar ou visitar seus familiares no período carnavalesco para que assim o batalhão produza ainda mais nesses dias de festa assim como ocorreu no réveillon. 

Excelentíssimo senhor Comandante Geral, Cel Pereira, por favor nos ajude. O senhor como um pai de família e, antes de tudo, um policial da tropa, pode fazer algo por nós. 

Ass: UMA TROPA TOTALMENTE DESMOTIVADA

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Publicidade



Busca no Blog