Parabéns aos gregos!!! Contra acordo, partidários do ‘não’ comemoram nas ruas da Grécia

Publicado em   05/jul/2015
por  Caio Hostilio

2015-07-05t202102z_993576230_gf10000149537_rtrmadp_3_eurozone-greeceEu já havia mencionado por duas vezes aqui qual seria o resultado desse referendo, sendo a última vez no dia 29/06/2015, através do post “Em 2013 eu já havia anunciado a falência da Grécia!!!.Gregos votam contra exigências de credores por empréstimo.Governo quer retomar negociações com credores imediatamente.Grécia vai pedir ajuda ao BC europeu para garantir liquidez de bancos.

G1

2015-07-05t205645z_1313118758_gf10000149558_rtrmadp_3_eurozone-greeceOs gregos decidiram neste domingo (5), em referendo, não aceitar as condições dos credores do país em troca de ajuda financeira, dando o primeiro passo para o que pode culminar na saída do país da zona do euro. As medidas exigidas pelos parceiros europeus incluíam aumento de impostos e cortes nas aposentadorias. Com 95,4% dos votos apurados, o “não” tinha 61,31% dos votos.

Segundo as agências de notícias, a votação ocorreu sem incidentes. A estimativa é que 65% dos eleitores tenha comparecido à votação.

“O referendo de hoje não teve ganhadores nem vencedores. É uma grande vitória em si mesma”, disse o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, após a confirmação do resultado. “Mesmo nas circunstâncias mais difíceis, a democracia não pode sofrer chantagem”, afirmou, falando indiretamente sobre as condições impostas pelos europeus.

“Quero agradecer cada um e todos vocês. Independentemente de como tenham votado, hoje nós somos um”, disse Tsipras. “O mandato que vocês me deram não pede uma ruptura com a Europa, mas me dá mais força para negociar (…) Os gregos fizeram uma escolha corajosa. Sua resposta vai alterar o diálogo existente com a Europa”.

Segundo o primeiro-ministro, a prioridade imediata é restabelecer o sistema bancário – cujas agências estão fechadas há uma semana por falta de liquidez – e a estabilidade econômica do país. Ele também afirmou que irá pedir uma reunião de líderes políticos para a manhã de segunda-feira, além de reiniciar as negociações para tentar chegar a um acordo com os credores internacionais e destacou que a prioridade é a reabertura dos bancos.

Europa reage
Após o a vitória do “Não”, a Comissão Europeia anunciou que respeita o resultado do referendo na Grécia e indicou que seu presidente, Jean-Claude Juncker, consultará na segunda-feira altos dirigentes de instituições europeias.

Nesta segunda, Juncker terá uma teleconferência com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk; com o dirigente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, e com o diretor do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, informou a Comissão em um comunicado. Juncker discursará, também na segunda, ante o Parlamento Europeu, reunido em sessão plenária em Estrasburgo (leste da França).

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou a convocação, para a terça-feira, de uma cúpula da zona do euro, em Bruxelas, “para discutir a situação após o referendo na Grécia”, segundo um tuíte postado neste domingo.

 Alemanha e França

A primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, François Hollande, definiram neste domingo, em conversa por telefone, que os líderes da zona do euro deverão se reunir na terça-feira para discutir a situação da Gréciax, depois que o país rejeitou, em referendo, os termos do resgate do país.

François Hollande, se reuniu neste domingo com o primeiro-ministro do país, Manuel Valls, e com os ministros das Finanças, Michel Sapin, e de Assuntos Europeus, Harlem Désir, e outros membros do alto escalão do governo para avaliar as consequências do “não” no referendo da Grécia.

De acordo com o Palácio do Eliseu, sede do governo da França, Hollande vai receber já na tarde de segunda-feira a primeira-ministra alemã para discutir o resultado do referendo. No comunicado, a presidência francesa aponta que o encontro marca a “cooperação permanente entre França e Alemanha para contribuir com uma solução duradoura para a Grécia”.

Mas o vice-primeiro-ministro alemão, Sigmar Gabriel, disse que, com o resultado, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, “derrubou as últimas pontes sobre as quais a Europa e Grécia poderiam ter se movido em direção a um acordo”.

A posição da primeira-ministra da Polônia, Ewa Kopacz, foi afirmar que o único caminho para o governo de Atenas é sair da zona do euro. Apesar de estar na União Europeia (UE), a Polônia mantém sua moeda própria, o zlóti.

Efeitos
Pouco após o resultado final ter se desenhado, o líder da oposição grega e ex-primeiro-ministro Antoni Samaras renunciou à presidência do partido Nova Democracia. “Nosso partido precisa de um novo começo. Estou renunciando da liderança da Nova Democracia”, afirmou Samaras em pronunciamento na televisão local.

O euro recuava neste domingo ante o dólar, enquanto o “não” se encaminhava para uma vitória no referendo. Às 18h30 GMT (15h30 de Brasília), um euro valia US$ 1,0963, em baixa de 1,58% com relação ao fechamento na noite de sexta-feira, nas negociações eletrônicas que antecipam a abertura dos mercados asiáticos.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Busca no Blog