Que tal arrancar a língua e cortar as mãos também? Delegada defende castração dos suspeitos de estupro coletivo no Piauí

Publicado em   29/maio/2015
por  Caio Hostilio

Para Vilma Alves, crime foi bárbaro e os suspeitos deveriam ser castrados. Quatro adolescentes foram agredidas e violentadas em Castelo Branco do PI. Matéria reproduzida aqui “Após estupro, garotas foram jogadas de penhasco com mais de cinco metros de altura

G1 PI

Vilma Alves defende castração dos suspeitos de estupro coletivo (Foto: /Arquivo pessoal/Priscila Caldas)

Vilma Alves defende castração dos suspeitos de estupro coletivo (Foto: /Arquivo pessoal/Priscila Caldas)

A titular da delegacia da mulher de Teresina, Vilma Alves, esteve no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) na manhã desta sexta-feira (29) para acompanhar o estado de saúde das quatro adolescentes violentadas na quarta-feira (27) em Castelo do Piauí. Para a delegada, o crime foi bárbaro e os suspeitos deveriam ser castrados.

Uma multidão se aglomerou em frente a delegacia de Castelo do Piauí (Foto: Catarina Costa/G1)

Uma multidão se aglomerou em frente a delegacia
de Castelo do Piauí (Foto: Catarina Costa/G1)

“Esta é uma tragédia que comoveu todo o Piauí. Não podemos aceitar que os suspeitos de  violentar mulheres sejam punidos apenas com a prisão porque o estupro, depois dos homicídios, é pior crime que existe. Imaginem a tortura de ser estuprada coletivamente, humilhada, pedindo socorro e não ter uma proteção naquele momento? Isso jamais aconteceu em nosso estado. Por isso sou a favor da castração”, declarou.

Vilma também defendeu uma reformulação no Código Penal. “É preciso mudar a aplicação de penas no Brasil porque o sistema atual não é eficiente, pois o criminoso é preso, depois  solto e logo em seguida volta a cometer os mesmos crimes. Não tem que ser punido? Não tem que ser levado a júri? Então, acho que os estupradores devem ser castrados quimicamente ou fisicamente para que eles possam sentir na pele o que as suas vítimas sentem. No Brasil não cabe mais pena leve, mulher não é lixo, não é objeto. Mulher é cidadã e tem que ser respeitada neste país”, finalizou.

Diretor do HUT, Gilberto Albuquerque  (Foto: Catarina Costa / G1)

Diretor do HUT, Gilberto Albuquerque (Foto:
Catarina Costa / G1)

Apesar de não ser a delegada que investiga o caso, Vilma contou que esteve no hospital para prestar solidariedade às vítimas. Segundo o diretor do Hospital de Urgência, Gilberto Albuquerque, apenas uma das quatro garotas está em estado grave e corre risco de morte.

Entenda o caso

Segundo a polícia, as quatro adolescentes foram agredidas, violentadas e jogadas de um penhasco de 10 metros no município de Castelo do Piauí, a 190 km de Teresina. O crime ocorreu na quarta-feira (27) e em menos de 24 horas depois, quatro adolescentes foram apreendidos pela polícia suspeitos de cometerem o crime.

Um quinto suspeito maior de idade continua foragido. Revoltados com a barbárie, moradores protestaram em frente a delegacia da cidade. Eles atearam fogo em pneus e clamavam por justiça.

  Publicado em: Governo

2 comentários para Que tal arrancar a língua e cortar as mãos também? Delegada defende castração dos suspeitos de estupro coletivo no Piauí

  1. leo disse:

    Ó que dá em nomear para a policia pessoas que não passem por um Exame Psicológico para admissão. Tem tanto maluco nas policiais que a cada dia se descobre mais um,

    • azul disse:

      vc quer dizer o que com isso? que a delegada está errada???? ela está certíssima, deveriam castrar fisicamente com toda certeza. e se fizer com as mãos, cortar as mãos.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos