Mistério para Shakespeare!!! Lewandowski se diz perplexo com ataques de Barbosa… Então ta!!!

Publicado em   03/ago/2012
por  Caio Hostilio

“Há mais mistérios entre o céu e a terra que nossa vã filosofia”, William Shakespeare. Mestre, essa sua frase retrata as suas grandes obras literárias, que não se tratavam simplesmente de ficções, mas do comportamento verdadeiro dos seres humanos… Nessa discussão entre esses dois ministros, o que poderia estar por trás? Perdeu-se um dia de julgamento… As desculpas foram esfarrapadas. Os personagens da história são tão conhecidos? Joaquim Barbosa, Lewandowski e o advogado “nota 10” Thomaz Bastos, que largou de mão o Cachoeira!!!

Agência Brasil  

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), está “perplexo, estupefato e horrorizado” com as críticas feitas a ele pelo colega Joaquim Barbosa durante o julgamento do mensalão nesta quinta-feira (2). Segundo a assessoria dele, o ministro classifica de “lamentável” a transferência de questões jurídicas para o campo pessoal.

A discussão entre os ministros começou durante o julgamento do pedido de desmembramento do processo apresentado pelo advogado Márcio Thomaz Bastos. Ele questionou o fato de todos os réus serem julgados pelo STF, quando apenas três deles têm essa prerrogativa – os deputados federais Pedro Henry (PP-MT), João Paulo Cunha (PT-SP) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).

Barbosa votou contra o pedido, lembrando que o Tribunal já analisou o assunto várias vezes, mas Lewandowski divergiu do colega. Para o revisor, os argumentos trazidos hoje por Thomaz Bastos eram inéditos e mereciam análise mais detida da Corte. Foi aí que começou uma discussão acalorada entre os ministros.

Barbosa disse que Lewandowski foi “desleal” por não ter abordado a questão anteriormente, provocando indignação no colega. “Vamos manter o debate a nível civilizado. Vossa excelência se atenha aos fatos e não à minha pessoa”, rebateu Lewandowski. A discussão só parou com a intervenção do presidente Carlos Ayres Britto, mas os ânimos continuaram acirrados.

Segundo a assessoria de Lewandowski, “todo o país viu que foram os advogados que levantaram a questão de ordem”, e que o ministro se limitou a analisar a questão do ponto de vista jurídico, o que não justificava o “ataque pessoal indevido” de Barbosa.

O ministro Joaquim Barbosa respondeu os comentários do colega por meio de nota, encaminhada por sua assessoria. “Não fiz ataques pessoais. Apenas externei minha perplexidade com o comportamento do revisor, que após manifestar-se três vezes contra o desmembramento, mudou subitamente de posição, justamente na hora do julgamento, surpreendendo a todos, quase criando um impasse que desmoralizaria o tribunal. Note-se: a questão seria abordada por mim, relator, antes do voto de mérito, como preliminar. O fato é que perdemos um dia de trabalho, segundo cronograma pré-fixado”.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Publicidade



Busca no Blog