“Investigações sobre morte de Décio Sá seguirão em sigilo”, afirma Secretário de Segurança

Publicado em   27/abr/2012
por  Caio Hostilio

O secretário de Estado da Segurança Pública, Aluisio Mendes, informou, durante reunião com a Comissão de Jornalistas Maranhenses, que o andamento das investigações sobre o assassinato do jornalista e blogueiro Décio Sá, ocorrido na noite da última segunda-feira (23), seguirãoem sigilo. Oencontro ocorreu nesta sexta-feira (24), na sede da SSP.

Aluisio Mendes acompanhado da delegada geral de Polícia Civil, Maria Cristina Resende Meneses, e do subdelegado geral, Marcos Afonso Junior, também falou sobre algumas medidas que estão sendo tomadas pelo Sistema de Segurança para chegar aos executores e mandantes do homicídio. Entre as medidas, está a transferência da sede dos trabalhos da Delegacia de Homicídios para a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), no Bairro de Fátima.

De acordo com Mendes, a determinação, estabelecida por meio de uma portaria da Delegacia Geral da Polícia Civil, é para garantir que o andamento dos trabalhos não seja atrapalhado. A força-tarefa continua a mesma. Duas pessoas já foram detidas e tiveram suas prisões temporárias decretadas pela Justiça. Elas são suspeitas de envolvimento no assassinato do blogueiro.

Com relação à união de provas que ajudem a identificar os autores, Mendes afirmou que imagens de circuitos internos de prédios e das barreiras eletrônicas na área da Avenida Litorânea já foram recolhidas pela Polícia. Peritos do Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim) trabalham para melhorar a qualidade das imagens. O computador, telefone pessoal do jornalista e a senha estão sendo analisados pela Polícia.

Investigação

A Polícia Civil já descobriu que os executores utilizaram 4 lotes de cápsula diferentes para assassinar o jornalista. Segundo a Polícia, essa estratégia é para dificultar a montagem da dinâmica do crime. As informações dos lotes já foram repassadas aos fabricantes para identificar quem as possuía. A perícia descobriu também que duas munições estavam sem a identificação dos lotes. “Quem cometeu esse crime, sabia muito bem o que estava fazendo”.

As investigações já comprovaram que, durante a fuga, os criminosos teriam feito a troca dos veículos, da moto que deu fuga ao assassino para um carro que estava atrás das dunas, em, no máximo, 10 minutos. Eles ainda teriam percorrido uma distância de aproximadamente 90 metros. Durante o percurso até a troca da moto pelo veículo, o executor deixou cair o carregador da arma que vitimou Décio Sá, uma pistola .40.

A delegada Geral da Polícia Civil, Cristina Meneses, reforçou que a polícia está empenhada em solucionar o homicídio do jornalista, mas que também todos os outros crimes da mesma natureza estão sendo investigados e elucidados. “Todos os homicídios que acontecem no estado estão sendo investigados. A Polícia está apurando os fatos cuidadosamente, para apresentar resultados positivos à sociedade”, afirmou.

Depoimentos

O secretário de Segurança disse que várias testemunhas já foram ouvidas. Ele chamou a atenção para as pessoas que estavam no local, na hora do crime, que procurem a Polícia para falar sobre o presenciaram. “Temos informações que cerca de cinco pessoas viram toda a movimentação no momento exato do assassinato. Essas testemunhas precisam procurar a Polícia. Quem nos passar alguma informação sobre o assassinato não terá, em hipótese alguma, seu nome relevado”, garantiu o secretário. Familiares e pessoas que estavam na redondeza do bar também estão sendo ouvidos pelos delegados que acompanham o caso.

Portaria

Publicada nesta sexta-feira (27), a Portaria nº 180/2012 da Delegacia Geral determina: que a sede dos trabalhos será no prédio da Seic; a instrução do Inquérito Policial correrá de forma sigilosa; que os grupos de apoio ficarão na Superintendência de Polícia Civil da Capital e da Superintendência Estadual de Investigações Criminais e designa oficialmente os delegados Jeffrey Furtado, Guilherme Sousa Filho, Maymone Barros, Augusto Barros, Roberto Larrat para compor a Comissão que está apurando a morte do jornalista Décio Sá, ocorrida no último dia 23 de abril.

Informações

Estão sendo oferecidos R$ 100 mil para quem tiver informações que levem aos executores e aos mandantes do assassinato, que podem ser repassadas aos telefones do Disque Denúncia (32235800,em São Luís, e 03003135800, no interior). O retrato falado do executor está sendo confeccionado pelos peritos de Criminalística do Maranhão (Icrim). A imagem será divulgada nos próximos dias.  A Perícia técnica está usando o que há de mais moderno em software na confecção do Retrato Falado.

Comitê de Jornalistas

Ainda na manhã de sexta-feira (27), Aluisio Mendes recebeu do Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa, um manifesto contra a impunidade, pistolagem e pela liberdade de imprensa e expressão. O documento assinado pelos componentes da Comissão repudia a execução de Décio Sá.

Durante a reunião, o jornalista e blogueiro Caio Hostílio agradeceu o empenho do secretário de Segurança na solução do caso e disse que a categoria estará à disposição da Polícia para ajudar no que for preciso. Já Robert Lobato, afirmou que confia no sistema de Segurança e nos trabalhos da Polícia e que acredita que os culpados serão identificados e presos. O jornalista Cunha Santos falou da competência da Polícia e também disse acreditar na completa solução do homicídio.

  Publicado em: Governo

4 Responses to “Investigações sobre morte de Décio Sá seguirão em sigilo”, afirma Secretário de Segurança

  1. Querêncio says:

    esse pedrosa xamou a si proprio de gorilax diplomado ao ter se acovardado de informar a opinião publica a bagunça e corrupção que é ou era o setor imobiliario do gov do estado a epoca que esteve procurador desta pasta.

  2. Antonio Lima says:

    Não sei o que é pior, se a crueldade dos monstros que executaram o Jornalista e tantos outros pais de famílias ou a incompetência das autoridade e das forças de segurança do estado, que não é capaz de elucidar um crime, onde o assassino autor de tamanha barbaridade não tomou nenhuma precaução e executou friamente a vítima em meio à dezenas de pessoas, num ambiente restrito de forma a fazer com que todos soubessem quem estava fazendo tamanha crueldade, ceifando a vida de uma pessoa, cujo único mal cometido foi incomodar os poderosos através do seu incansável e competente trabalho.
    Com todo esse tempo, as autoridades não foram capazes de apresentar, nem mesmo um “retrato falado” do audacioso criminoso, e agora saem com essa de que tudo deve ser conduzido em segredo para não atrapalhar os trabalhos, e eu pergunto: que trabalho?
    Fico com a firme sensação de que esse é mais um crime bárbaro que vai entrar para a triste estatística dos crimes sem solução e contribuir para engrossar o caldo da impunidade, que é a força motriz impulsionadora da violência, que crescer a cada dia, tirando o sossego dos que trabalham e agem dentro da lei e as autoridades, quando muito vêm a público justificar o injustificável.
    Não aguentamos mais tanta indiferença, tanta insensibilidade, tanta falta de respeito com os direitos que assistem a todos os cidadãos e tanta incompetência das autoridades em não apresentarem as respostas que atendam minimamente aos anseios da sociedade, que paga um preço altíssimo por todos esses descasos.
    Lamentável!!!!

Deixe uma resposta

Publicidade



Busca no Blog