Prefeita de Chapadinha é contra investimento?

Publicado em   28/fev/2013
por  Caio Hostilio

belezinhaA prefeita de Chapadinha, conhecida como Belezinha, não quer a implantação de uma Fábrica de Celulose do grupo Suzano, que traria avanços gigantescos ao município e aos demais municípios da região, tanto no que tange a atração de pequenos investimentos para fornecimento a indústria e, principalmente, na geração de emprego e renda.

Para dispensar o investimento do grupo Suzano, a atual prefeita disse que o município não poderia cumprir com os acordos assegurados pela a ex-prefeita, Danúbia, que seria a isenção fiscal, a abertura de uma estrada vicinal e uma ponte de concreto ligando Chapadinha a São Benedito do Rio Preto, além de uma linha de alta tensão.

Em reunião com os vereadores, Belezinha disse que André Dorf do grupo Suzano manteve contato com ela e perguntou se o município ainda estaria disposto a assumir os compromissos da ex-gestora Danúbia.

Belezinha, sem manter nenhum contato com a ex-prefeita Danúbia e com o secretário Luis Fernando, disse que ambos disseram a ela que os acordos deveriam ser mantidos, isso independente de o município ter ou não condições de construir tais promessas, além de dizerem que a Suzano erguesse sua indústria por conta própria.

Belezinha disse aos vereadores que não aceitaria enganar e que respondeu ao representante da Suzano que o município não poderia bancar com os custos, além de afirmar que o governo do estado também não tinha interesse no investimento da Suzano.

Fica aqui o espaço para que o secretário Luis Fernando e a ex-gestora Danúbia possam falar a respeito dessa conversa, além de mostrar os motivos pelos quais o governo do Estado seria contra esse investimento da Suzano em Chapadinha.

  Publicado em: Governo

2 Responses to Prefeita de Chapadinha é contra investimento?

  1. Claudio disse:

    Caro Caio, não é tão obvio que a suzano traga esses “benefícios” todo que você relata. esta empresa já se instalou em Urbano Santos há mais de duas décadas. Comprou terras a preço de baixo, desmatou e plantou eucaliptos em grandes extensões. centenas de pequenos agricultores que venderam suas terras, foram para a periferia das cidades (Urbano Santos, Chapadinha, Anapurus etc e tal). Na plantação de eucaliptos é pequeno o emprego de mão de obra. A colheta é feita por maquinas modernas onde um funcionário é o suficiente para desmatar centenas de hectares por dia. Na fabricação de celulose é a mesma coisa. Tome como exemplo cidade onde já existe fabricas de celulose e compare. Visite a maior produtora de celulose do Brasil, Telemaco Borba-PR. Onde o cheiro é insuportável. Cheiro de “peido” 24 horas em toda cidade. É bom conhecer antes de emitir opinião.

    • Caio Hostilio disse:

      Primeiramente, a instalação é distante do centro urbano. Em segundo lugar, uma fábrica por mais que seja mecanizada, ela não trabalho com robos, o que falta é mão de obra especializada, coisa que os prefeitos não investiram, além disso tem ganhos com insumos, fornecedores e outros.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog