Aprendam Rubens Pereira Junior e Bira do Pindaré que não se deve tripudiar e fazer patacoadas sobre orçamento!!!

Publicado em   17/jan/2013
por  Caio Hostilio

rubens juniorbiraprevilegiaPrimeiramente que elogiar a atitude corajosa do Secretário de Cultura do Município de São Luís, professor Francisco Gonçalves, em dizer as verdades sobre a situação da pasta e das dificuldades reais para realização do carnaval de 2013. Também aproveitar para parabenizar o prefeito Edivaldo Holanda pelo realinhamento orçamentário ao dispor dos R$ 2 milhões que estavam disponíveis para o carnaval, R$ 1 milhão no orçamento da Saúde.

Eu disse aqui por diversas vezes que o orçamento do município de São Luís precisaria ser realinhado assim que o prefeito Edivaldo Holanda tomasse posse.

Orçamentos numa gestão pública são exigências de praxe, porém os mesmos nunca serão seguidos a risca, haja vista que são flutuantes e imprevisíveis. Um gestor público pode destinar R$ 1 real apenas para uma determinada pasta e de repente (no final do exercício) ela ser a que mais consumiu recursos públicos. Por isso existem as suplementações.

Portanto, tripudiar e fazer patacoadas politiqueiras quando da aprovação de um orçamento, só mostra o despreparo e a falta de compostura de quem deveria era acompanhar as aplicabilidades dos recursos e as suplementações que são feitas no decorrer do exercício. Entenderam Rubens Pereira Junior e Bira do Pindaré!!! Ou vocês vão tripudiar sobre o ato do prefeito Edivaldo Holanda em ter tirado 50% dos recursos do Carnaval e destinar para a saúde? 

Que essa atitude do prefeito Edivaldo Holanda sirva também para apaziguar os neurôniosdo diretor do Socorrão I, “são Yglésio”, pois fez o povo doar alimentos a unidade hospitalar que dirige sem necessidade alguma. É preciso explicar a esse rapaz que um dia de arrecadação de tributos próprios do município daria para ele fazer a festa nos diversos supermercados, açougues e farmácias de São Luís, isso usando até o seu CPF, visto que o município não precisa de abertura de orçamento, de uso dos recursos do SUS deixado por Castelo e os escambau, para utilizar esse recurso, bastava que o prefeito desse uma canetada e o suplemento orçamentário estaria disponível em menos de duas horas para “são Yglésio” fazer a farra. Quiçá pagar o segurança que mantém na porta de seu gabinete no Socorrão I, durante sua permanência na unidade!!!  

Portanto, deixem de tripudiar e fazer patacoada com a coisa pública. Ela merece respeito e não algazarra de gralhas numa plantação de arroz!!!

  Publicado em: Governo

12 Responses to Aprendam Rubens Pereira Junior e Bira do Pindaré que não se deve tripudiar e fazer patacoadas sobre orçamento!!!

  1. Omar Magalhães disse:

    EM VEZ DE SÓ CRITICAR, VEJA ISSO…VCV VAI MORRER DE TANTA CRITICA AO EDIVALDO JR, NÃO LIGA PARA SUAS BABOSEIRAS
    Semusc oferece ao cidadão ouvidoria para denúncias e sugestões

    A sociedade ludovicense já dispõe de um canal de comunicação direto com a Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc) para fazer denúncias, críticas ou sugestões visando melhorar o atendimento e os serviços prestados à comunidade. Trata-se da Ouvidoria da Semusc, um órgão com autonomia própria que objetiva assegurar, de forma permanente e eficaz, a mediação da imagem da Secretaria e os fatores de satisfação e insatisfação do cidadão.

  2. Omar Magalhães disse:

    OUTRA NOTA AO POVO, QUE MERECE SABER E NÃO POST PAGOS PARA CRITICAS
    Volta do Gdam para o Parque do Bom Menino é tema de reunião

    O Secretário Municipal de Desportos e Lazer, Raimundo Penha, e sua equipe de trabalho reuniram-se com integrantes do Grupo de Dança Afro-malungos (GDAM) para conversar sobre a possível volta do grupo às instalações do Parque do Bom Menino. A reunião aconteceu no próprio Parque e teve a participação das equipes técnicas da Semdel e do Impur, além da intermediação da vereadora Rose Sales (PCdoB).

    Integrante do Movimento Negro do Maranhão, durante 15 anos o Grupo GDAM esteve instalado no Parque do Bom Menino em sistema de comodato, tendo conquistado o espaço na época do então prefeito de São Luís, Jackson Lago.

    • Caio Hostilio disse:

      Mas que medida de grande importância!!! Foi algo memorável!!! Como seria memorável ele dizer onde foram para os R$ 5 milhões que foram usados para derrubar as paredes do Ginásio Costa Rodrigues!!!

  3. Antonio Lima disse:

    Professor, há de se reconhecer que essa medida é de grande importância para o aprimoramento e profissionalismo, que é tão necessário no gerenciamento das agremiações carnavalescas da nossa Capital.
    Sabe-se que essas agremiações passam o ano inteiro sem fazer absolutamente nada, e quando chega às véspera do carnaval é que a diretoria aparece dizendo que para colocar a escola na avenida, só vai ser possível com o aporte de recursos do governos, digo, do contribuinte. É claro que tem algumas exceções, e tem escola que merece de todos nós o reconhecimento pelo profissionalismo e pelo trabalho feito na sua comunidade, como é o caso da FAVELA DO SAMBA.
    Concordo que a Prefeitura tem que dotar espaços e oferece as condições salubres, seguras para os brincantes e as agremiações fazer suas apresentações , mais sem que o contribuinte tenha que pagar para isto, afinal de contas, todos os brincantes pagam as suas fantasias para sair nas escolas, ou não é assim que funciona?
    Quanto ao tratamento dispensado ao orçamento aprovado pelo legislativo e que nem sempre é cumprido pelo executivo, sabemos que isto é fruto da falta de planejamento, de compromissos, de visão dos nossos gestores, que invariavelmente agem assumem a gestão sem um plano de ação, digo, de governo para ser executado. Como a gestão é feita na base do improviso, do amadorismo e o não cumprimento de metas não implica responsabilização pelas falhas, e que temos esses disparates e esses desmandos praticados por gestores despreparados, pois os orçamentos são meramente autorizativos, tornando-se peça de ficção para governantes despreparados.

    • Caio Hostilio disse:

      Não é bem assim, meu amigo antonio, visto que ninguém pode prever o futuro. Orçamento são previsões passivas de mudanças, por isso existem as suplementações. O que falta, na verdade, é o legislativo saber fiscalizar essas suplementações que correm em todas as esferas governamentais e nos três poderes.

      • Antonio Lima disse:

        Professor, é evidente que temos posições equidistante quando o assunto é gestão pública, o Senhor sempre defende o amadorismo com que a coisa pública é tratada em nosso País e especialmente em nosso Estado.
        Sugiro que reveja os seus conceito, faça uma releitura do que diz qualquer manual de gestão da coisa pública para quando trata da questão orçamentária.
        É inadmissível que um orçamento, que deve ser elaborado com base em premissas factíveis, que são levantadas com base nos estudos e nas análises dos fatos acontecidos num passado não muito distante, de tudo o que acontece no presente, que leva em consideração as tendências e a previsão do que poderá acontecer num futuro não muito distante seja tratado com o descaso com que as nossas figuras do executivo tratam.
        Convido o Senhor a fazer uma leitura criteriosa, desapaixonada de coloração partidária e de governos de ocasião do que reza o Artigo 165 da CF.
        O orçamento, que é feito com critérios pelo executivo, votado pelo legislativo tem que ser minimamente cumprido pelo gestor , e todo e qualquer alteração significativa, que saia daquilo que foi apresentado dever ser criteriosamente justificado, sob pena de incorrer em crime e, quando isto não é tratado nesse nível, retrata bem a falta de atuação do legislativo e bem demonstrar a fragilidade, a falta de critério com que esses planejamentos são elaborados pelo governantes.
        Dizer que “orçamento é peça de ficção” é aceitar como normal o pouco caso com que os nossos gestores tratam com os interesses da sociedade, é corroborar para esse estado de coisas que assistimos a todo instante, é não reconhecer que a ciência deve sempre ser utilizada em favor da coletividade.

        • Caio Hostilio disse:

          Conheço bem isso, porém a abertura são as suplementações, coisa que não são fiscalizadas e acompanhadas. Isso é que deve ser acompanhado pelo legislativo, coisa que não fazem. Isso em todas as esferas. Não sou apaixonado, apenas sigo a dialética e não o positivismo, que defende a hegemonia e as ciencias sem críticas. Eu como dialético nego a ciência, haja vista que ela é mutante, pois aparecem novas teses e as teorias ficam ultrapassadas. É preciso entender o que eu quero que seja investigado. Simplemente os suplementos. Será que vão acompanhar o sumplemento de R$ 1 milhão que o Edivaldo Holanda faz para a Saúde em detrimento do Carnaval? Eis a questão!!! Pergunte a qualquer vereador eleito se eles sabem como acompanhar isso!!!

          • Antonio Lima disse:

            Professor, o grande problema é que : “… ninguém respeita a constituição, mais todos acreditam no futura da nação…”.
            A dialética serve as ciências, que se utiliza da experimentação para comprovar suas teorias… as contradições existentes no ambiente político não pode ser tomado como pano de funda para justificar o descumprimento daquilo que comprovadamente é nocivo à uma sociedade, que é o não cumprimento das leis, das regras estabelecidas, das normas e de tudo aquilo que bem oriente a execução das ações planejadas, visando o interesse coletivo.
            Veja bem, numa sociedade que se diz democrática é inadmissível que as autoridades faça o que lhes der na telha, descumpram o que foi estabelecido em lei e nenhuma medida seja tomada para corrigir tais desvios, pois a regra na gestão da coisa pública é bem clara: o gestor deve cumprir com tudo aquilo que foi autorizado, e não o contrário.
            Para um gestor público atender às demandas e casos excepcionais a legislação determina os procedimentos a serem adotados e o que dever ser feito, como deve se proceder para atender aos fatos “extraordinários”.
            A abertura indiscriminada de créditos adicionais por gestores inescrupulosos, que usam de artifícios para burlar a legislação, que não se planejaram adequadamente deve ser visto como algo fora do normal e deve ser combatida de forma implacável, por todos.
            Precisamos fazer cumprir o que determina a Constituição, precisamos construir uma sociedade da experimentação e do respeito, mesmo porque as contradições das ideias não dispensa o seu irredutível aperfeiçoamento teórico.

          • Caio Hostilio disse:

            Existem as suplementações, logo verifica-se que foram criadas exatamente para quebrar essa teoria que você tanto quer fazer crer que seja seguida.

  4. karolina disse:

    na verdade eu quero é parabenizar o deputado rubens junior, a governadora roseana desde que assumiu o governo só sabe fazer empréstimo, e qual a finalidade? quem é o beneficiário de fato desses empréstimos? corre pelos quatro cantos do estado, que a família sarney pretende deixar o maranhão livre, antes disso querem arrebentar o estado e torná-lo ingovernável. parabéns, deputado tem que cobrar os atos do executivo, esse é o papel do parlamentar, .

    • Caio Hostilio disse:

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKK…. O que tem a ver emprestimo com orçamento? é o mesmo que de dizer o que tem a ver c… com a cueca!!! É muita baboseira esse seu argumento!!!

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog