Má gestão de recursos gerou caos no sistema de saúde de São Luís‏

Publicado em   07/jan/2013
por  Caio Hostilio

ricardomuradddO secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, vai apresentar agora pela manhã à governadora Roseana Sarney um relatório sobre a ação emergencial realizada no final do ano de 2012 na rede municipal de saúde, e a real situação administrativa encontrada no sistema de urgência e emergência de São Luís.

Segundo ele, o que foi constatado pela equipe da Secretaria de Estado da Saúde (SES) é que o caos na rede municipal de urgência e emergência não foi gerado pela falta de recursos, mas pela má gestão e aplicação incorreta das verbas destinadas às unidades de saúde mantidas pela Prefeitura de São Luís.

Comentário do Blog: Sempre se utilizaram do discurso mentiroso para enganar a população, pois sabiam que a maioria esmagadora das pessoas desconhece como funciona o SUS e, principalmente, como são repartidos os recursos. Pobre povo!!! Um município que tem a saúde municipalizada e plena, oferecer durante anos dois hospitais de urgência e emergência, sendo um doado pela Cruz Vermelha (Socorrão I) e o outro comprado do ex-deputado Remi Trinta (Socorrão II). Os recursos da Saúde de São Luís sempre foram desviados, coisa que na eleição de 2000 foi mostrado com muita clareza pelo programa eleitoral do PSB.

Confirmada ASSEMBLÉIA-GERAL – Sinfusp/SL‏

Confirmada ASSEMBLÉIA-GERAL, amanhã (terça-feira), a partir das 15h, na sede da FETIEMA – Praça da Bíblia, Centro.

Assunto: Pagamento dos Servidores Municipais

Para mais informações, acesse ao site do Sindicato:

http://www.sinfuspsl.org.br

  Publicado em: Governo

9 Responses to Má gestão de recursos gerou caos no sistema de saúde de São Luís‏

  1. Antonio Lima disse:

    Professor, vira e meche o assunto saúde é tratado como se esse problema fosse exclusivo da Capital, que é onde a população pobre do Maranhão busca solução para os graves problemas de saúde que assolam as vidas dos menos favorecidos, dos que vivem nos rincões da nossa Terra.
    Faça uma matéria tratando do grave problema que é a proliferação das ditas “casas de apoio” mantidas por prefeitos inescrupulosos, que como praga toma conta das ruas do Centro e do entorno dos hospitais públicos de São Luís, onde as pessoas são trazidas dos interiores abandonadas e largadas à próprias sorte, nestas casas que mais parece depósitos, ambientes insalubres, fétidos e impróprios para atender pessoas enfermas, assim como se encontravam os hospitais abandonados pelo arremedo de prefeito, o sr João Castelo.
    Lembra daquele vergonhoso episódio, que foi o fechamento das pontes que ligam o Maranhão ao nosso vizinho, o estado do Piauí, cujo Governo tomou uma medida drástica de proibir que as ambulâncias do Maranhão cruzassem a fronteira e levassem doentes para serem tratados na capital, Teresina?
    Fale um pouco dos demais 216 “gestores”, aqueles que recebem o dinheiro do SUS e quando muito, colocam seus munícipes enfermos numa ambulância e jogam nas “casas de apoio”, nos corredores dos socorrões da vida, na Capital.

    • Caio Hostilio disse:

      Isso tudo que você diz nao condiz com os ditames do SUS….

      • Antonio Lima disse:

        Pois é Professo, o cumprimento das leis é o que se espera dos gestores…
        Por falar em “ditames do SUS…” o Senhor já visitou alguma dessas “casas de apoio”, que são “mantidas” pelos gestores dos outros municípios na Capital?
        O Saudoso Jairzinho, por diversas vezes fez denúncias dessa natureza e nunca se viu o pessoal do MP tomar uma medida sequer para corrigir esse pouca caso e esse desrespeito com a dignidade das pessoas pobres dos rincões do nosso Estado.
        Lamentável!!!!
        Se o Senhor já conhece o problema, sabes perfeitamente do que eu estou falando, se não, faça uma visitinha à um desses depósitos de gente enfermas, digo, “casas de apoio” como são chamadas.

        • Caio Hostilio disse:

          Conheço tanto aqui quanto nos outros estados, mas faltou o saudoso Jairzinho falar sobre as condições dos municípios que recebem apenas para oferecer a saúde básica. O amigo sabe quando que recebe um municipio desses do SUS, qual a especidade médica que tem a oferecer e quanto um médico cobra somente para ficar um dia nessa localidade? Antonio, o erro começa por criações de municipios com 5 e 10 mil habitantes, passa pela falta de médicos que queiram trabalhar nesses rincões, como você fala, isso clínico geral, que é o que pode oferecer a saúde básica. Portanto, meu amigo, debater sobre SUS, que quer dizer Sistema Único de Saúde, cujo local de atendimento é o recebedor pelo atendimento, é algo que ultrapassa os limites até do empirismo.

          • Antonio Lima disse:

            Professor, o problema é que os prefeitos recebem os recursos, e nem mesmo atendimento básico eles oferecem, quando muito, colocam as pessoas numa viatura e mandam para Capital sem nenhuma assistência.
            Isto precisa ser levado ao conhecimento da população, ser amplamente debatido e combatido e os recursos recebidos precisam serem aplicados nos fins para os quais foram liberados, os gestores precisam ser responsabilizados e chamados a responder criminalmente por essas práticas abomináveis, indecentes, imorais que afronta a todos e atenta contra a dignidade das pessoas, logo quando elas mais fragilizadas se encontram, que é em estado de enfermidade.
            O MP precisa agir com mais rigor e combater essa prática criminoso em nosso meio.

          • Caio Hostilio disse:

            Antônio, você tem razão em parte. O problema não é os municipios que só podem oferecer a saúde básica, mas sim aqueles que recebem para oferecer a saúde de média complexidade. No Maranhão existiam 52 municipios que recebiam recursos do SUS para oferecer saúde de média complexidade. Você sabe quantos apenas cumpriam? Só 12. Com a abertura da Caixa Preta do SUS muita coisa já mudou desde então no Maranhão. O certo é que a saúde de São Luís e municipalizada e plena e recebe recursos que você sequer imagina. O problema é que sempre desviaram os recursos daqui, isso não é de hoje. Sempre buscaram jogar a culpa nos pacientes vindos do interior, coisa mais escrota, haja vista que o Prefeito poderia ir ao Ministério da Saúde e dizer que seu sistema não atenderia mais essa gente. Sabe o porquê dele não fazer isso? Porque os recursos para atender esses pacientes vindo do interior é altíssimo. Você sabia se algum desses prefeitos fizesse isso, o Ministério de imediato buscaria outro sistema, público ou privado, poderia ser o Hospital São Domingos ou a UDI. Te garanto que eles adorariam pegar essa baba e nesses anos de recursos recebidos, para não perder a grana, já tinham feito ao menos mais dois hospitais com 300 leitos só para atender o pessoal vindo do interior.

  2. analista do Maranhao disse:

    Muito bom a sua explanaçao professor Caio, o que esses prefeitos da oposiçao sempre fizeram foi enganar a todos os municipes da ilha titulando como o caos da saude era decorrente da procissao de ambulancias, e aí se inclue e como muito destaque o “{honesto e Trabalhador”.Hoje apos a intervençao do Secretario no siatema municipal, foi possível mostrar o quanto de incompetentes da oposiçao geriram os recursos de forma irresponsavel ao mesmo tempo mostrando serem inabeis tecnicos,tanto na saude como em areas afetas ao disciplinamento dos gastos. A comprovaçao mais clara é que os Socorroes estao atendendo dentro do seu papel obrigatório os pacientes do interior, que ao contrario do que era dito vinham pedir favor e inchar as unidades do municipio.Ao contrario, do total de recursos que Sao Luis recebe na media e Alta complexidade 65% é originario da populaçao nascida em outros municipios. Assim pode os menos esclarecidos como o Sr. Antonio Lima divagar com estas velhas informaçoes, fazendo um comparativo na seguinte otica Populaçao. estado do Maranhao9 mais de 6.600.000 hab, populaçao de S.ao Luis 1.000.000 hab. Isto é 5.600.000 hab. contribuem nos mais diversos serviços de media e alta complexidade,com 65% dos recursos totais para a SEMUS/Sao Luis, antecipadamente, ou seja nunca foi diferente desde que Sao Luis foi habilitado na gestao Plena. O que nunca foi ofertado foram esses serviços de forma humanizada e em locais diferente das pocilgas que a oposiçao transformou a estrutura fisica da rede de assistencia ambulatorial e hospitalar. O que deve ser cobrado e ai o Sr. Antonio tem razao sao os servicos de baixa complexidade de responsabilidade dos gestores municipais, inclusive o de Sao Luis, que tambem desativou parte destes sem qualquer razao que os justificasse, tendo como consequencia natural a superlotaçao das UPAS. Agora com a atitude dos dois Governos é possivel reorganizar o Sistema da Capital e este passar a cumprir o seu papel, inclusive para os pacientes do interior. So lembro aos Secretarios de Saude, Estado e Municipio, da necessidade de acabar com a Caixa Negra do HU. senao, parte dessa luta será em vao. Boa Tarde

  3. Pingback: Enfim, as verdades sobre os atendimentos dos pacientes vindos do interior vieram a tona!!! | Governo & Política – DEAQWEB

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog