Sugiro que os três poderes constituídos desse estado vejam “in loco” a situação em que os prefeitos eleitos receberam suas respectivas gestões…

Publicado em   03/jan/2013
por  Caio Hostilio

É preciso que uma comissão seja formada pelo poder Executivo, Legislativo e Judiciário estadual, além da presença do Ministério Público e do TCE, para que visitem e vejam “in loco” a situação constrangedora tanto administrativa, financeira, de infraestrutura e, principalmente, da falta de informações para dar continuidade à gestão pública, nos municípios em que houve mudança de prefeito. É certo que não se pode generalizar, mas a maioria esmagadora se tornou uma Zorra Total.

Em 2004, quando Rômulo Augusto perdeu a prefeitura de Coroatá para Luiz da Amovelar, no dia da posse o prefeito que estava passado o cargo fez questão de mandar parar todos os bens patrimoniais móveis pertencentes à Prefeitura, como caminhões, caminhonetas, ambulâncias, tratores, ônibus escolares, motos e demais veículos e máquinas. Todos ficaram enfileirados na Praça José Sarney e colocados para funcionar. Assim como foi repassado todos os órgãos, secretarias, escolas, postos de saúde e o hospital em pleno funcionamento, além de toda a documentação do município, inclusive o arquivo geral (chamado por muitos por arquivo morto), com documentos históricos da cidade.  

Agora, a prefeita eleita, Teresa Murad decreta emergência e determina realização de auditoria em Coroatá?‏

IMG_6176[1]A prefeita Teresa Murad (PMDB) decretou situação de emergência nesta quinta-feira (3) no município de Coroatá, devido à total desorganização administrativa e financeira em que ela recebeu a prefeitura. Os prédios públicos municipais estão depredados, móveis, equipamentos e documentos não foram encontrados, o Hospital Geral Municipal foi desativado e os serviços de limpeza paralisados.

IMG_6187[1]O Decreto 02/2013 leva em consideração a total falta de material de expediente e combustível para automóveis necessários para o funcionamento dos órgãos municipais; o 0estado de abandono em que se encontra o município nas áreas de limpeza e iluminação pública; que os imóveis onde funcionam a prefeitura, os postos de saúde e escolas municipais encontram-se sem a mínima condição de funcionamento, comprometendo a s0egurança dos funcionários, pacientes e alunos; e a completa paralisação do HGM, por falta de condições de funcionamento.

IMG_6346[1]Também motivaram à decretação da emergência a ausência de qualquer documento referente à contabilidade do Município e a inexistência de inventário patrimonial e registros de servidores efetivos, comissionados ou contratados, impossibilitando a elaboração da folha de pagamento mensal. Até HDs dos computadores foram levados dos órgãos municipais.

IMG_6349[1]Pelo Decreto, ficam dispensados de licitação os contratos de prestação de serviços e aquisição de bens necessários às atividades que visem retomar a normalidade admin0istrativa e financeira do Município, pelo prazo de 90 dias, prorrogáveis por igual período.

Em outro decreto, a prefeita determinou a realização de imediata e completa auditoria contábil e financeira na folha de pessoal e em todas as contas da Prefeitura de Coroatá, de todas as secretarias municipais e de todos os órgãos da administração indireta já extintos: o Hospital Geral do Município, o Fundo Municipal para o Remédio Popular, o Instituto Municipal do Meio Ambiente e o Sistema de Abastecimento de Água e Esgoto do Município (SAAE).

“Encontramos a cidade em estado de abandono, não recebemos informações oficiais necessárias ao bom andamento da administração e precisamos dar respostas imediatas à população. Já iniciamos um mutirão de limpeza das ruas de Coroatá e vamos tomar todas as providências cabíveis para restabelecer todos os serviços públicos municipais”, declarou Teresa Murad.

Para limpar a cidade, que estava tomada por lixões, estão sendo utilizadas 10 caçambas comuns e três truncadas, três pás carregadeiras e dois caminhões, operados por 40 homens. Paralelamente, 96 garis trabalham na varrição das ruas, em todos os bairros de Coroatá.

  Publicado em: Governo

4 Responses to Sugiro que os três poderes constituídos desse estado vejam “in loco” a situação em que os prefeitos eleitos receberam suas respectivas gestões…

  1. PATRICIO RAPOSA-MA disse:

    EMERGENCIA? CHAMA O DEPUTADO RICARDO QUE ELE RESOLVE. A QUERIDA PREFEITA TEM O REMEDIO PARA COROATÁ DENTRO DE SUA PROPRIA CASA. BOA SORTE PREFEITA,E NAO DEIXE MAIS COROATA NA MAO DE NINGUEM.

    • Caio Hostilio disse:

      Camarada, procure saber primeiro como funciona a emergência na lei 8666. Por outro lado, você quer que um prefeito receba tudo quebrado, sucateado, retirado até os HDs dos computadores, sem nenhuma informação, sem nenhum bem patrimonial móvel ou imóvel, trabalhe? Diga aí como? Você conhece gestão pública? Você sabe quanto tempo leva uma tomada de preço ou uma concorrência? Então, o povo deve esperar esse tempo todo e viver sem remédios, sem matériais hospitalares, sem condições de higiene, com a cidade tomada pelo lixo, sem condições de trabalho para os funcionários? Procure estudar mais e ter consciencia e coerencia.

  2. Macabeu disse:

    Deveria incluir nessa ação emergencial pelo menos os EPI’s desses pobres homens expostos a insalubridades de grau maximo, e olha que a prefeita é esposa do secretario de saude, e se não fosse?

    • Caio Hostilio disse:

      Você precisa de uma lavagem cerebral, mas com sabão e água sanitária, pois o seu pensamento é totalmente favorável que o gestor corrpto e ladrão fez tudo em prol do grupo do qual você faz parte e não da coletividade.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog