Que sirva de exemplo

Publicado em   02/jan/2013
por  Caio Hostilio

Nos outros estados, os prefeitos eleitos tomam posse e de imediato pedem uma auditoria, haja vista que sabem que é preciso receber as contas públicas em ordem e não maquiadas e, principalmente, com recheios de falcatruas e corrupções, ainda mais em áreas que os recursos são advindos dos cofres do Poder Federal. Veja essa matéria abaixo, que aconteceu em Caxias/RJ. Olha que a matéria sequer cita os repasses dos royalties, haja vista que é no município de Caxias/RJ que estão às maiores refinarias. A diferença é que lá a população e o gestor sabem de quem é a culpa dos desvios, coisa bem diferente do Maranhão!!!

Vamos a matéria:

Prefeito de Caxias: faltam R$ 80 milhões para os salários que Zito não pagou

Ex-prefeito reduziu 90%, mas diminuiu gastos com pagamentos em apenas 30%

JB

coleta-de-lixo-interrompida-ha-60-dias-teve-ser-normalizada-em-dois-meseNesta quarta-feira (2), seu primeiro dia de trabalho como novo prefeito de Duque de Caxias, o pessebista Alexandre Cardoso começou uma auditoria nos contratos e contas da Prefeitura. Descobriu uma dívida de R$ 80 milhões para com os funcionários do município. Seu antecessor, José Camilo Zito, segundo Cardoso, não pagou a segunda metade do 13º salário e tampouco deixou reservas para depositarem o salário de dezembro. 

Uma outra informação descoberta por Cardoso nesta quarta também pode comprometer o ex-prefeito. Apesar de um corte de 90% da equipe de médicos dos hospitais municipais ter sido realizado em novembro, a redução de gastos com pagamento de mão de obra não caiu na mesma proporção. Houve redução de apenas 30% – de R$ 6 milhões para R$ 4,2  milhões. A desproporcionalidade gritante está sendo analisada.

Cardoso desconhece se a Prefeitura dispõe de algum recurso para arcar com as próximas contas a serem pagas. “Ainda não sei como está o caixa. Começamos uma análise das contas da Prefeitura e nos próximos dias vamos ter um panorama. Por enquanto, posso adiantar que houve uma redução drástica de funcionários na área da saúde. De novembro para cá, o ex-prefeito cortou 90% dos médicos e 80% dos técnicos de enfermagem”, revela o novo prefeito, que montou seu gabinete no Hospital Municipal Moacir do Carmo, o maior de Caxias. 

hospital-infantil-tem-emergencia-lotada-e-enfermaria-infestada-de-moscasSegundo dados de Cardoso, até novembro, a Prefeitura dispunha de 283 médicos contratados por meio de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). Depois que o então prefeito José Camilo Zito perdeu a eleição, já no 1º turno, o número caiu para apenas 28. A redução foi de 90% sob alegação de que a Prefeitura não dispunha de dinheiro para os salários.

Uma reunião com o Ministério Público também está sendo articulada para esta quinta-feira (3) na tentativa de firmar um Termo de Ajustamento de Conduta para possibilitar a contratação emergencial de profissionais. “Estamos tentando contratar mais médicos e , principalmente, manter aqueles cerca de 30 que ainda estão na Prefeitura, mas estão com salários atrasados”, destacou Cardoso. “Quero passar confiança para os profissionais de saúde que ainda não receberam salários e garanto que farei o possível para pagá-los”.

Sem computador no gabinete

 “Se tivermos alguma irregularidade, a auditoria dirá. Ainda estamos digerindo algumas irresponsabilidades que encontramos. No gabinete do prefeito não há sequer computador para se trabalhar. Restou apenas uma cadeira e um aparelho de telefone. Estamos trabalhando no sentido de patrimoniar os bens da Prefeitura para que mais nada desapareça”, afirmou. 

O Hospital Infantil de Caxias, visitado pelo Jornal do Brasil no último domingo (30), que tem infestação de moscas, muita sujeira e falta de médicos, deve receber uma visita do novo prefeito nos próximos dias. Os leitos, segundo Cardoso, só estão disponíveis na emergência. No segundo andar do prédio da unidade, destinado aos pacientes que precisam de tratamentos intensivos, não há macas. “O hospital está abandonado. A sujeira contribui para contaminações. Ironicamente, estamos tratando de um hospital que deve contribuir positivamente para a saúde da população e não negativamente”, afirmou.

<:figure>Duque de Caxias é o terceiro maior município do estado, com população estimada em 855 046 habitantes pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Coleta será normalizada em dois meses

Cardoso prometeu nesta quarta-feira que a coleta de lixo na cidade da Baixada Fluminense, suspensa há cerca de 2 meses, será normalizada em até 60 dias. Segundo ele, foram contratadas, de forma emergencial, duas empresas que farão o serviço. O contrato é de três meses, renovável por mais três. Nesse período ele pretende fazer uma licitação para contratar as empresas que ficarão responsáveis pelo trabalho.

Entre os dias 28 e 31 de dezembro, o então prefeito eleito organizou um mutirão para recolher o lixo das ruas, trabalho que retirou 10 mil toneladas de resíduos, das 50 mil acumuladas. Cardoso informa que as empresas contratadas estão fazendo o trabalho nas ruas e o mutirão vai ser estendido por mais cinco dias.

Com algumas informações da Agência Brasil

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog