No Planalto, Sarney reencontra companheiros de seus dias na presidência

Publicado em   15/dez/2012
por  Caio Hostilio

No retorno à presidência, Sarney teve a alegria de reencontrar no Palácio do Planalto servidores que lá trabalham desde seu governo, que aconteceu de1985 a1990. Na manhã desta sexta, 14, foram cumprimentá-lo o General Farias, os coronéis Viglione e Faião, comandante Pachequinho. Na troca de abraços, emocionado Sarney ouviu e também contou histórias de seus tempos na presidência, além de atualizar-se sobre a vida de cada um deles. Em dias de final de ano, as despedidas foram com votos de Feliz Natal e tudo de muito bom para 2013.

 

  Publicado em: Governo

14 Responses to No Planalto, Sarney reencontra companheiros de seus dias na presidência

  1. Marcos disse:

    Virou coluna social? nada de interessante. brincadeira garoto!

    • Caio Hostilio disse:

      Coluna social? Não vejo dessa forma, pois é um ex-presidente da Republica no exercício interino da Presidência da República depois de 22 anos e rever ainda ex-auxiliares… Isso é notícia.

  2. ROBIN HOOD DO SERTÃO MARANHENSE disse:

    Faltaram aí, nessa foto, Toinho Malvadeza, Paulo Salafrário Maluf, Jader Ladrão Barbalho, Os Três Patetas, General Leônidas Pires Gonçalves, Jarbas A I-5 Passarinho e Delfin Netto de Satanás. Aliás, é recordar a tragédia que foi o governo desse maranhense que nos envergonha.
    Dizem que a História se repete. Nesse caso, ainda bem, vão ser poucos dias, mas pode advir temporais…

    • Caio Hostilio disse:

      Como você desconhece a história!!! Antonio Carlos Magalhães foi realmente ministro das comunicações. Maluf fez oposição ao governo Sarney, visto que disputou a presidência da República contra Tancredo/Sarney, Leônidas foi Ministro do Exército e ajudou a redemocradizar o país, haja vista que soube segurar as forças armadas. Jarbas Passarinho não participou em nada no governo Sarney, nem como ministro e nem esteve no Cogresso. Delfin Netto não participou do governo Sarney em nenhum momento, simplesmente voltou em São Paulo como cidadão comum. Veja o quanto o você é desinformado.

  3. ROBIN HOOD DO SERTÃO MARANHENSE disse:

    Gostaria de dizer aos sabichões aí que coloquei os outros personagens que não participaram do governo Sarney apenas para ilustrar toda a maldade contida na política brasileira, de uma época que não deixou muitas saudades. Mas, ao contrário do que vocês possam pensar, nessa análise superficial desse comentário, amo História, principalmente dessas décadas. O governo de Sarney foi caracterizado por dois fatos marcantes: a hiperinflação e a compra do quinto ano de seu mandato, além de um falso fato marcante, que alguns saudosistas (tem gente pra tudo neste mundo) tentam iludir os menos avisados, que é a pretensa redemocratização do País. Mas essa idéia é falsa, pois a transição se deu de forma lenta, como bem quis o general Ernesto Geisel. E Sarney de forma nenhuma queria uma ruptura brusca com os milicos, pois tinha ligações umbilicais com os mesmos. Além do que o que os brasileiros queriam mesmo era o governo de Tancredo Neves, que era verdadeiramente um democrata, ao contrário desse don Bigodon, que nunca apeou do poder, pois serviu bem aos generais. Porém, e a história está cheia de poréns, o destino quis que, num golpe de sorte ou de macumba, sabe-se lá o que houve, Tancredo falecesse de uma diverticulite perfurada, mesmo operado pelo dr. Henrique Walter Pinnoti, o deus da faculdade medicina da USP, sendo que Sir Ney assumiu e deu no que deu: Plano Cruzado I e II=> farsa e fracasso, pois não deram todas as condições para Dilson Funaro relamente combater o dragão inflacionário. E aí o Brasil afundou…E Sarney continua vivo e a percepção de corrupção aumentou no Brasil de Lula, conforme bem descreveu o genial escritor Palmério Dória no best-seller Honoráveis Bandidos… E o Maranhão hoje esbanja os PIORES INDICADORES SOCIAIS DO BRASIL, após décadas de governo dos Sarney e seus aliados-cúmplices…

    • Caio Hostilio disse:

      Volte a pesquisar, “foma lenta como bem quis o general Ernesto Geisel”? Pelo amor de Deus!!! O último presidente militar foi o general de cavalaria João Figueiredo. Geisel quando deixou a presidencia da República para que João Figueredo assumisse, ele já estava acima dos 80 anos, imagina qual era sua idade quando Figueiredo deixou a Presidência. Outro fator. Geisel assim que deixou a presidencia foi embora de imediato para o Rio de Janeiro, pois sua única filha tinha uma doença grave “crescimento” e jamais se meteu em política desde então. O mesmo aconteceu com João Figueredo, assim que desceu a rampa do Palácio do Planalto voou direto para o Rio de Janeiro e foi morar no seu apartamento em São Conrrado até o dia de sua morte.

  4. ROBIN HOOD DO SERTÃO MARANHENSE disse:

    Caro blogueiro/jornalista:
    Responda-me uma questão que me intriga até hoje:
    Como pode uma pessoa como você, que diz ter combatido a ditadura militar, e eu acredito nisso, ter alguma admiração por uma figura como José Sarney, o maior símbolo da corrupção hoje?
    Poxa, Caio, tem muita gente boa aí, pra nós que gostamos das coisas certas. Temos o Negão, Joaquim Barbosa, com sua capa preta, um misto de Batman/Rui Barbosa; temos Eliana Calmon- a primeira-dama do combate à corrupção. Temos inclusive alguns maranhenses, como Marlon Reis e Douglas de Melo Martins, juízes de projeção nacional. Mas você defende Sarney? Lá fora, em outros estados, a primeira referência que fazem a nós, quando nos identificamos como maranhenses, é pejorativa,envolvendo esse cidadão. O fato de ter sido presidente da res publica e do senado foi golpe de sorte e artimanhas diabólicas, como só ele sabe fazer, envolvendo chantagens, troca de favores nada republicanos e muita, muita esperteza. A nós, maranhenses que prezamos a ética, a honestidade e a honradez ele representa o oposto, a miséria do nosso povo, todos os males que afetam o Maranhão.
    Não, professor, eu não consigo me conformar. Responda-me essa questão, por favor, mas sem fugir dela ou desviar o foco, atacando-me. Obrigado!

    • Caio Hostilio disse:

      Eu não ataco ninguém, apenas me defendo quando sou atacado, coisa que não foi o seu caso nesse questionamento crítico.
      Mas vamos ao que interessa. José Sarney é a questão!!! Os maranhenses criaram uma barreira e ao mesmo tempo em volta do Sarney. Você diz que ele é o maior simbolo de corrupção desse pais. Nos últimos 50 anos você sabe quais foram os maiores atos de corrupção praticada nesse país? Vamos primeiro ao regime militar. Você sabe qual foi o maior escândalo de corrupção nesse período? Foi com um ministro e logo da Justiça com pedras preciosas (busque o fato) aparece o nome de Sarney? Não!!! Veio o seu governo como Presidente da República, aponte um escândalo de corrupção de proporções gigantescas. Não houve nenhum, meu amigo. No periodo do governo Collor, qual foi a participação de Sarney. Nenhuma. Veio Fernando Henrique Cardoso, que fora seu líder no Senado quando foi presidente da República e o PMDB dá total apoio ao governo FHC. Foi um governo que muitas falcatruas, principalmente nas privatizações, uma delas a da Vale, coisa que Sarney lutou contra no Senado sozinho. Nessa época os jornalões de São Paulo e a Globo tinham Sarney como um grande estadista, pois sou daquelas bandas e vivi isso, principalmente em Brasília e Rio de Janeiro, onde vários se deram bem com o plano cruzado I e o “real” era o plano cruzado II de Funaro, coisa que Sarney não teve mais coragem de implantar por está no fim do seu governo. O próprio FHC já confirmou isso. Veio a disputa presidencial de 2002 e o PFL lança Roseana candidata a presidenta e ela cresce nas pesquisas. Armaram legal pra cima dela com aquele dinheiro apreendido. Coisa que era apenas para tirá-la do pareo. Mas Sarney comprou uma briga com os caciques paulistanos. Primeiro com um discurso duro no Senado e depois com o artigo “Dá a Lula o que é de Lula”. Foi o bastante para que a mídia paulistana e a globo caissem matando pra cima do Sarney, chegando ao ponto dele parar de escrever na Folha de São Paulo, onde escreveu por mais de 30 anos. Veio os governos do campo da esquerda e surgiram os maiores escandalos de corrupção da República, tais como o Mensalão, Cachoeira, Rosemary, Saque no Ministério do ESporte (PCdoB), saque no Ministério do Trabalho (PDT), saque no Ministério da Integração (PSB), cadê o nome de Sarney nesses esquemas? Falaram dos atos secretos do Senado Federal, aí depois de apurados, apenas três foram assinados por Sarney, com uma ressalva assinados por ele e por todos os membros da mesa diretora do Senado e não se tratava de nomeação, mas sim de ato administrativo.
      A minha luta foi pela redemocratização desse país, pela liberdade de expressão, pelo prazer de poder ir e vir… Coisas que ainda não vi se consolidar de fato. Não vivo de politicalhas e do falso moralismo, pois gosto de ser imoral. Não gosto dos hipocritas, pois falseiam seus caráteres. Por que teria eu te ser contra Sarney? Quantos falsos moralistas deixaram as mascaras cairem nesses últimos tempos? Meu amigo, não acredito nos meus semelhantes, haja vista que a nossa espécie é a única capaz de se tornar amiga de sua própria presa!!!

  5. ROBIN HOOD DO SERTÃO MARANHENSE disse:

    Caro Professor:
    Quem antecedeu João Baptista Figueiredo foi Ernesto Geisel, sendo que foi este que iniciou o processo de abertura política, afastando os generais radicais do poder e revogando o AI-5. Sua frase mais famosa é a de que a transição seria de forma “lenta e gradual”. Pelo amor de Deus! Quando te disse que gosto de História é porque é verdade, creia-me!
    Quanto a Sarney, concordo numa coisa, que ficou implícito no seu comentário:trata-se de alguém com uma inteligência fina e uma esperteza sem precedentes, aqui, no Brasil, pois a sua característica essencial, que o faz sobreviver a todos os governos, desde a Ditadura até os dias atuais, por governos de direita e de esquerda é esta: senso de oportunidade. Mais hábil que Ulisses Guimarães e de maior visão estratégica que um Fidel Castro, apesar de não ter sequer um cm da grandeza de ambos, sobreviveu a tudo e a todos e entregou o governo do Maranhão, tal qual um brinquedo, à sua filha dileta e mimada. A percepção de corrupção é a que o Brasil e o Maranhão estão carecas de saber, que ele, direta ou indiretamente, contribuiu decisivamente: a famigerada Lei das Terras, que ele fez quando governdor do Estado, atraindo grandes grupos empresariais e predatórios ao Maranhão, mas que colocou milhares de agricultores para fora de suas terras, ocasionando a migração de milhares de famílias para as terras do Pará e do Amazonas, além de conflitos de terras por grilagem; a perpetuação de seu poder e de sua família levou a escândalos colossais, como Salangô, Venda do BEM ( “maquiado” por 333 milhões e vendido por 78 milhões), Tabuleiros de São Bernardo, Pólo de Confecção de Rosário, Convento das Mercês etc. Mas, para mim, a maior influência perniciosa de Sarney é sobre toda uma cultura, a cultura do compadrio, que aqui, em terra gonçalvina, é muito forte, com um monte de desembargadores e juízes corruptos ou omissos, que permitem esse monte de prefeito larápios que ainda estão soltos, apesar da Justiça Federal estar agindo. Sarney, através do quinto constitucional, transformou alguns advogados medíocres em juízes e desembargadores e é justamente aí que está o nó gótico que emperra o crescimento do Estado: sem segurança jurídica, ele não cresce, pois a percepção da corrupção afasta investimentos, você bem sabe disso. Apenas algumas poucas família têm acesso à divisão do bolo: são os Fecury, os Lobão, os Murad e, claro, os Sarney. Assim sendo, meu caro, Sarney influenciou negativamente várias gerações, chegando ao caos e aos baixos indicadores sociais que hoje o Estado ostenta.

    • Caio Hostilio disse:

      Não, meu amigo!!! Geisel continuou na linha dura e foi entre todos os presidentes militares o que mais perseguiu Sarney. Se você não sabe, Geisel era compadre de Vitorino Freire, que em seu governo estava vivo. Eu sou filho de militar, ido do Rio para Brasília, você desconhece quantas vezes houve muitas tentativas de mantar Sarney para fora do Brasil. Muitos acham que Sarney foi amigo de todos os presidente militares, ledo engano. Ele teve bom relacionamento com Castelo Branco e João Figueredo, que depois se tornou inimigo. Mas Costa e Silva, Medice e Geisel, perseguiram Sarney, que se manteve sobre o equilibrio e nunca exerceu cargos nos governos militares. Você sabe, por exemplo, quem deu início no PCdoB no Maranhão? Olha que nem aqui eu sonhava em morar. Consulte e veras. Muitos dizem que os governadores depois de Sarney foram todos indicados por ele. Será? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs. Em Brasília, a história, principalmente nos arquivos militares, tem outros pontos bem diferentes.

  6. Marcia disse:

    Mais um blogueiro fã e defensor ferrenho de sarney. Ahhhhhhhhh, esse reinado vai durar mais uns 500 anos, com tantos fãns assim, gostam de ver o povão na merda e na extrema pobreza.

    • Caio Hostilio disse:

      Mas como? Acho que você esquece que Sarney não é nenhum dos 218 gestores públicos do Maranhão e sequer do país!!!

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog