Resposta SES‏

Publicado em   19/jul/2012
por  Caio Hostilio

Comentário do blog: O problema desse Estado é o debate ser pautado no senso comum, sem critérios técnicos e, principalmente, na falta de conhecimento das responsabilidades entre as três esferas governamentais. Simplesmente confundem tudo e acham que é de responsabilidade apenas de um gestor, quando nesse Estado existem mais 217 gestores independentes e que gastam seus recursos sem interferência das duas outras esferas, ainda mais o da Capital, no que tange a Saúde, cujos recursos são municipalizados e de alta complexidade, tendo que cumprir com as determinações do Ministério da Saúde, pois recebe para isso.

Vamos a resposta:

 

Cadê a Upa Castelo?

Decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), da qual participa a Secretaria de Saúde de São Luís, determinou que as UPAS da Região Metropolitana de São Luís se abstivessem de

Cadê os recursos, Castelo?

receber pacientes do SAMU devido a superlotação verificada nas mesmas decorrente da precária situação dos serviços de Pronto Atendimento da Prefeitura. Ficou determinado que o

Não engana o povo, Castelo!!!

SAMU da capital teria como referência o Socorrão I, o Socorrão II e o Hospital da Criança, além dos SPAS municipais até que as unidades MUNICIPAIS SE ADEQUASSEM de acordo com as normas e a rede pudesse funcionar georeferenciada.

 

Ainda vem com o papo de Samu!!!

A decisão vale até que a prefeitura invista nas suas unidades para que elas entrem na rede de urgência e possam responder pelo atendimento dentro dos padrões que o SUS exige. A única Upa construída pela prefeitura de São Luís, iniciada há 2 anos está com a obra abandonada.

UPAs em números:

 Temos hoje na Grande São Luís cinco UPAs, sendo que duas delas (as da Cidade Operária e do Vinhais) foram construídas, equipadas e mantidas exclusivamente com recursos estaduais. As outras três (Parque Vitória, Itaqui-Bacanga e Araçagi) foram construídas em parceria com o Governo Federal, sendo que 70% dos recursos investidos na construção e na aquisição de equipamentos são estaduais. O custo mensal também tem contrapartida menor do Ministério da Saúde (ver quadro em anexo, com valores reais pagos no mês de junho).

 Somente no mês de junho, as UPAs da Grande São Luís atenderam 67.600 pessoas. Somando com o atendimento das outras UPAs mantidas pelo governo estadual nos municípios de Imperatriz, Coroatá, Timon, Codó e São João dos Patos, a média é de 100 mil atendimentos por mês.

  Publicado em: Governo

16 Responses to Resposta SES‏

  1. Antonio Lima disse:

    Professor, todas essas informações explicam o processo da “gestão” dos recursos destinados ao atendimento da saúde da população, é bem verdade, mais nada justifica aquela cena deprimente, que um canal de televisão mostrou uma senhora sendo levada pelo Corpo de Bombeiros para um UPA e ser negado o atendimento, obrigando a equipe de socorro a solicitar força policial, para só assim poder colocar a pobre senhora para dentro da Unidade, o que só foi feito com a presença da nossa briosa Polícia Militar.
    Decisões como aquela, que deixa o cidadão morrer à míngua, sem nem mesmo ter o direito a adentrar num estabelecimento público de atendimento de saúde bem demonstra o pouco caso, que polítocos sem escrúpulos fazem com os direitos e os interesses da população.
    Lamentável!

    • Caio Hostilio disse:

      Esse é o problema… Cadê os milhões e milhões que vieram para a saúde munipalizada de São Luís? Ela recebe para fazer esse atendimento… Isso é improbidade administrativa.

      • Antonio Lima disse:

        Cadê o MP?
        Não é para isso que eles são pagos?
        Não pode é a população ficar do jeito que aquela pobre senhora ficou…
        Qualquer explicação que se apresente para justificar aquela aberração, é, no mínimo um atentado ao bom senso…
        Assistiu ao Bom dia Brasil ontem e hoje?

        • Caio Hostilio disse:

          O problema de tudo isso é que a maioria esmagadora dos gestores públicos recebem os recursos públicos e não prestam o serviço que é de sua responsabilidade, depois faz um jogo de politicalha e mídia, passando que o que faz certo é o culpado… Isso é que deve ser visto com muito cuidado, pois a enganação é uma improbidade administrativa e esse jogo de empurrar com apoio da mídia (que desconhece os ditames do SUS) leva mais e mais o infrator a apostar na impunidade.

  2. SAMUEL DE VITERBOS P. SANTOS- MÉDICO disse:

    Segundo a portaria do Ministério da Saúde, que define as diretrizes paras as UPAs, elas têm de atuar em conjunto com o SAMU.
    Para o Ministério Público, a proibição é resultado da disputa política entre o prefeito João Castelo e o governo do Estado, capitaneado pelo cunhado da governadora, Ricardo Murad.
    O Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, afirmou que vai investigar a situação das UPAs no Maranhão. Se elas não estiverem integradas à rede de urgência, disse, poderão deixar de receber verbas federais.
    ” Como essa situação nos parece excepcional, vamos, evidentemente, tomar providências. Em tese, as UPAs podem ser descredenciadas.”
    A prefeitura de São Luís nega qualquer acordo.
    Então, Caio Hostílio, Ricardo Murad NÃO pode fazer isso, impedir a entrada de pacientes graves nas UPAs, mesmo que só para estabilização ou primeiro atendimento, ainda mais levados pelo SAMU. ISSO É UM ABSURDO.Na Urgência, isso é crime, é omissão de socorro, ainda mais em risco iminente de vida. Coloca na tua cabeça, de uma vez por todas, que, mesmo no Maranhão, AINDA EXISTEM LEIS…

    • Caio Hostilio disse:

      E são essas leis que fecham os olhos para os desvios dos recursos da Saúde municipalizada e plena do Município de São Luís, que recebe milhões e milhões do SUS e não consegue construir as UPAs a que se propôs construir e oferece dois hospitais de Urgência e Emergência de péssima qualidade, sendo um com mais de 60 anos (prédio da Cruz Vermelha cedido a prefeitura) e o outro comprado do ex-deputado Remi Trinta, em 2000, sem nunca ter terminado de pagar…. Isso é um absurdo… É um desvio do dinheiro público… É o descaso com a saúde dos ludovicenses e não adianta dizer que atende pacientes vindos do interior, uma vez que isso é outra falácia, haja vista que São Luís recebe milhões para esse atendimento, caso não quisesse mais atender, bastava informar ao MS e esse buscaria outra unidade de saúde, mesmo sendo uma privada. Garanto que o São Domingos e a UDI já tinham feitos, em todos esses anos de recebimento de milhões e milhões, várias unidades de urgência e emergência.

      • Idi Ota disse:

        Ué, i na saúde publica Estadual, tambéin num tein roubo? Estes custos de hospitais, qui já gastaram o dinheiru todo e só tem un bucadinho pronto? E os custos com a gerênca dos projetus, qui é mais cara du que foi gasto pra construí 10 hospitais e num tein dinheiru pra acabá os tais prédios?

        Teu patrão tem muito telhado di vidro, Caio. Pede aumentu pra ele, pois tá dificil defendê ele. Em tudo qui é comentario ele perde!

        • Caio Hostilio disse:

          Dinheiro? Caramada se informa melhor, todas essas obras estão sendo efetuadas com 25% com verba federal e o restante com verba estadual… veja o quanto o você está por fora de gestão pública e não acompanha nem o portal da transparência e as prestações de contas… Como debater assim… Pedir aumento? Pra quê?

  3. SAMUEL DE VITERBOS P. SANTOS-MÉDICO disse:

    Mostre-me um hospital do Estado em que um paciente com fratura de fêmur, por exemplo, possa ser atendido na urgência, para ser submetido a cirurgia, em todo o Maranhão.

    • Caio Hostilio disse:

      Então ele fica numa cama até que outra ambulância o leve para um hospital especializado para fazer a tal cirurgia… O aumento do custo e a logística fica por tua conta!!!

  4. Samuel de Viterbos P. Santos disse:

    Voce nao respondeu minha pergunta…

  5. SAMUEL DE VITERBOS P. SANTOS-MÉDICO disse:

    Carambas… Tá bom. Aí vai a pergunta, didaticamente elaborada: Caio Hostílio, se uma pessoa tiver um acidente,hoje, sem plano de saúde e sem dinheiro para pagar hospital particular, fraturar a sua perna esquerda, por exemplo, o seu fêmur,em qual hospital do Estado esse paciente pode ser atendido e ser submetido a cirurgia de urgência?

    • Caio Hostilio disse:

      Em um hospital que ofereça cirurgias ortopédica. Hospitais que fazem esse tipo de cirurgia existentes no estado são o do Sarah (onde trabalhei por 15 anos na rede), o Geral, os de Barreirinhas, Grajaú, Imperatriz, o Dutra… De urgência somente a nojeira do Socorrão, para desespero da população.

  6. Samuel de Viterbos P. Santos disse:

    Pois e, NAO tem hospital do Estado para urgencias ortopedicas… E a revolucao de RM…

    • Caio Hostilio disse:

      Pois é, essa responsabilidade é da saúde municipalizada e plena, que recebe os recursos para isso é cumpre, da prefeitura de São Luís… Que coisa!!! Como pode um gestor receber os recursos para cumprir com essa exigência do SUS e não cumprir!!! Isso é improbidade, é desvio de conduta é crime… Urgência e Emergência é de responsabilidade do Município e não do Estado ou do governo Federal, caso contrário o Dutra, Sarah e o Geral fariam o trabalho de urgência, mas eles trabalham com os de ambulatório, que na maioria das vezes corrige os erros dos hospitais de urgência e emergência, como o Sarah.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog