Sem conhecimento para debater cientificamente…

Publicado em   03/jun/2012
por  Caio Hostilio

Investigador

bol@investigador.com

Recebi, hoje (03), um email que tenta explicar o motivo da Polícia só ter apresentado o retrato falado do assassino do jornalista Décio Sá somente 38 dias após o crime.

Segundo o investigador do email, a Polícia não tinha apresentado o retrato falado do assassino pelo fato de que o mandante ainda poderia ainda tê-lo deixado vivo após o crime e que se saísse o retrato falado, o criminoso poderia ter sido queimado de imediato.

Para ele, os mandantes sabem da localidade onde se encontra o matador e que o mesmo é monitorado diuturnamente. E que a polícia monitorava os suspeitos para ver se poderiam chegar ao criminoso e seus agentes. “É uma briga de gato e rato. Tanto a Polícia quanto os criminosos do Jornalista Décio Sá possuem a mesma tecnologia. Hoje, os bandidos estão mais bem preparados que até a própria Polícia e estudam minuciosamente suas ações”, falou o tal investigador por email.

Em sua opinião, o investigador acredita que a Polícia vem utilizando outra forma de prática em investigação e inteligência policial, pois assim poderá chegar ao denominador comum. Mas que tipo de estratégia seria essa? Ele não comentou.

O investigador disse que a Polícia buscou de três a quatro linhas de investigação para elucidar o crime de Décio Sá, mas que já afunilou e que daqui para frente a investigação passará a usar mais da inteligência e da estratégia policial que propriamente a investigação. Não entendi o que ele quis dizer com isso, visto que em minha concepção empírica as duas coisas andam juntas!!!

“Se não eliminaram o assassino logo após o crime e com uma ou duas semanas depois, agora para eliminar o bandido fica mais difícil, porque terão que encontrar o matador para fazer o serviço e isso está super monitorado. Então a policia acertou em segurar o retrato falado do assassino”, afirmou o investigador.

O investigador terminou o email dizendo que a inteligência da policia já sabe dos prováveis mandantes e que será de grande importância a prisão do assassino do Décio Sá, pois assim poderá declarar a prisão do mandante ou dos mandantes, além do assassino numa operação que dificulte qualquer tentativa de a justiça ter que mandar soltar por falta de provas.

Sinceramente, não tenho argumentos para debater se essa estratégia realmente está sendo utilizada pela Polícia e nem tampouco se essa ela é boa para se chegar ao mandante e ao assassino. Só sei que a população quer elucidado esse caso, principalmente os familiares e os amigos do jornalista Décio Sá.

  Publicado em: Governo

8 Responses to Sem conhecimento para debater cientificamente…

  1. PAULO BARBA disse:

    ACONSELHO ESSES NOSSOS INVESTIGADORES E DELEGADOS A TOMAREM A LIÇÃO DO LIVRO “ARTE DA GUERRA”. Escrito no séc. IV a.C., há cerca de 2.500 anos, por Sun Tzu, um general e estratega chinês, o livro “Arte da Guerra” continua ainda hoje a ser admirado como fonte de ensinamentos na área da estratégia. De facto, muitos consideram “A Arte da Guerra” como a origem do próprio conceito de estratégia. Apesar de ser um tratado puramente militar, os conselhos e ensinamentos de Sun Tzu são perfeitamente adaptáveis trabalho policial.

    Capítulos do Livro
    O “Arte da Guerra” é composto por treze capítulos, nomeadamente:

    1. Planeamento Inicial: coloca a ênfase na importância do planeamento – antes de iniciar qualquer acção é necessário determinar cinco aspectos de fulcral importância: o caminho, o clima, o terreno, a liderança e a disciplina;

    2. Condução da Guerra: destaca as consequências internas da guerra e coloca a ênfase na rapidez e eficiência das ações de forma a conservar a energia e os recursos e assim minimizar o desgaste causado;

    3. Estratégia Ofensiva: refere a importância de manter intacto o maior número de coisas possíveis – o melhor seria mesmo vencer as batalhas mesmo sem lutar; refere ainda a importância do conhecimento do inimigo e de nós próprios para vencer as batalhas;

    4. Formas e Disposições (ou O Poder da Defesa): coloca a ênfase na disposição das tropas no terreno e declara que o segredo da vitória está na adaptabilidade e inescrutabilidade.

    5. Energia em Potência: é relevada a força, ou o ímpeto, a estrutura dinâmica do grupo em acção, a coordenação, a coerência da organização e são apresentados diversos métodos de ataque e defesa;

    6. Pontos Fortes e Fracos (ou Vazio e Cheio): destaca a importância de conservar a própria energia e de, em simultâneo, induzir o inimigo a esgotar a sua;

    7. Manobras: trata da organização efectiva no campo de batalha e das manobras de combate, ao mesmo tempo que refere outros assuntos de especial importância para o sucesso;

    8. As Nove Variáveis: é colocada a ênfase na adaptação, vista como um dos pilares da arte de guerrear; as nove variáveis são:
    . Não acampe em terrenos baixos;
    . Não ignore a diplomacia em terreno aberto (comunicante);
    . Não permaneça em terreno desolado;
    . Em terreno fechado, planeie uma fuga;
    . Em situação desesperada, lute até a morte;
    . Há estradas que não devem ser seguidas;
    . Há momentos em que não se deve capturar o inimigo;
    . Há cidades que não devem ser atacadas, territórios que não devem ser disputados;
    . Há ocasiões em que as ordens do comandante não devem ser seguidas.

    9. Marchas ou Movimentações do Exército: trata das manobras estratégicas do exército e fala dos três aspectos chave da arte do guerreiro: o físico, o social e o psicológico.

    10. Terreno: mais uma vez é colocada a ênfase na adaptabilidade, neste caso às condições do terreno – são caracterizados os diversos tipos de terreno existentes e apresentadas as formas mais adequadas de actuar em cada tipo;

    11. As Nove Variáveis do Terreno (ou Nove Regiões): é novamente analisada a questão da adaptação ao terreno. As nove regiões analisadas são: a região de dissolução, a região leve, a região de contenda, a região de tráfego, a região de intersecção, a região pesada, a região ruim, a região sitiada e a região de morte (ou mortal).

    12. Ataques com Fogo: faz uma descrição dos cincos tipos de ataque incendiário: o primeiro é atear fogo às tropas inimigas; depois, às suas provisões; em terceiro, queimar os seus transportes; quarto, o seu arsenal e; por último as suas vias de abastecimento.

    13. Utilização de Agentes Secretos: é valorizada a utilização de espionagem como forma de reduzir os custos da guerra e são caracterizados os cinco tipos de espiões: espião local que é contratado entre a população da região em que são planeadas as operações; espião infiltrado que é contratado entre os oficiais de um regime contrário; espião reverso que é um agente duplo, contratado entre os espiões inimigos; espião morto que é o que recebe a missão de levar informações falsas ao inimigo e; espião vivo que é o que vem e vai com informações.

    • Caio Hostilio disse:

      Mas essa sua explanação tem algo que se assemelhe a esse caso do assassinato do Décio? Você acredita que existem espiões infriltrados na polícia e algum da polícia infiltrado com o mandante do crime? Então o tal investigador acertou ao dizer que é uma briga de gato e rato? Sinceramente, cada vez mais fico confuso com esse crime… Não entendo quais são as verdades sobre essas linhas de investigações que tanto dizem existir…

      • PAULO BARBA disse:

        OS DELEGADOS VÃO ENTENDER O QUE EU QUIZ DIZER.ELES DEVEM ENTENDER DE ESTRATÉGIAS INVESTIGATIVAS, E SEM DÚVIDA JÁ CONHECEM A OBRA.

        E NÓS AQUI TORCEMOS PARA QUE ESSE MONSTRUOSO CASO DO JORNALISTA DÉCIO SÁ SEJA LOGO ELUCIDADO.

        NÓS COMO TODOS TORCEMOS POR MELHORIAS TECNOLÓGICAS PARA NOSSA POLÍCIA TÉCNICA-CIENTÍFICA.

        • Caio Hostilio disse:

          Acho que a polícia deve está fazendo o que pode, mas não faço a menor idéia da linha de investigação que estão seguindo. Apenas escuto várias variantes das pessoas…

  2. Fernando disse:

    Meu amigo, ja escutei tanta coisa, mas nao explanarei nada em relacao a este assunto aqui em seu blog. Nao seria conveniente e existem muitos observadores. Abraco

    • Caio Hostilio disse:

      Eu já escutei muitas especulações, mas não vi nada de concreto… Por isso, não posso tecer nenhuma opinião, pois usaria do senso comum para isso… Especulações são ditas pela população e o concreto por aqueles que realmente estão investigando. Como não disseram nada até o momento, não posso fazer qualquer tipo de comentário.

  3. PAULO BARBA disse:

    QUEM TERIA SIDO O LEITOR QUE USOU O NOME FALSO “MADUREIRA” ,FEZ UM ÚNICO COMENTÁRIO,POSTADO ANTES DA CONSUMMAÇÃO DO ASSASSINATO DE DÉCIO SÁ. CONCLUIU ” TÁ NA CARA QUE É JOGO DE CARTAS MARCADAS”. PRECISA DETALHES QUE ESSES? CREIO QUE NÃO !!! (FONTE YAHOO NOTÍCIAS)

    O BLOGUEIRO LÚCIO FLAVIO FALA QUE A CRIMINALIDADE NUNCA FOI TÃO GRAVE,O CRIME DE COLARINHO BRANCO SE SOFISTICOU. OS CRIMINOSOS NÃO TEM MAIS POR HÁBITO MATAR,GRAÇAS AS ARMAS QUE A MAIS ALTA TECNOLOGIA LHES FORNECE,LITIGAM NAS SUAS MESAS DIANTE DE UM COMPUTADOR,QUEM SABE ALÍ MESMO NO SÍTIO RANGEDOR(O COMPLEMENTO É MEU)

    • Caio Hostilio disse:

      No sítio do Rangedor? Como assim? Acho que especulações não vão a lugar algum!!! Mas gostaria muito que você se expressasse melhor.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog