Em minha opinião, picaretagem e a extorsão não cobinam com o jornalismo, seja ele investigativo ou opinativo…

Publicado em   21/maio/2012
por  Caio Hostilio

Escrevo artigo em jornais há mais de 25 anos, isso sem ganhar nada em troca ou fazer qualquer tipo de negociata sobre o que escrevi até hoje.

Como articulista em colunas em jornais e blogueiro, nunca usei da minha caneta para picaretagens ou extorsões de quem quer que seja. Já cubro a Assembléia Legislativa do Maranhão há 10 anos e vários deputados ainda continuam com seus mandatos para servir de prova de que jamais os procurei para tentar praticar qualquer tipo de picaretagem ou extorqui-los.

O mesmo ocorre com prefeitos, secretários, vereadores, desembargadores, procuradores, promotores, empresários ou qualquer outro membro dos mais diversos seguimentos da sociedade.

Dizer que não tenho contratos com três deputados para divulgar suas atividades parlamentares, com dois prefeitos e usar minha página para expor propaganda, eu estaria sendo hipócrita e canalha, porém nunca os extorqui-los ou pratiquei algum tipo de picaretagem com algum deles, assim como não aceito que minha página sirva para atacar seus adversários políticos.

Este blog faz questão de divulgar – sem nenhum tipo de contato com seus presidentes, conselheiros, procuradores e promotores, policiais federais, Apruma e outros órgãos -, suas matérias de relevância, haja vista que são de interesse da coletividade. No TJMA praticamente sou um desconhecido… No TRE a mesma coisa… O mesmo ocorre no TRT, PGJ e MPMA, eu tenho algumas amizades, porém faço as divulgações de suas matérias sem jamais pedir algoem troca… Na PolíciaFederal fui apenas para responder um processo jornalístico… Quanto a Apruma, eu faço por amor a minha profissão “Professor”.

Na eleição de 2008, por exemplo, fiz um contrato com o candidato Clodomir Paz, que honrou até o final mesmo sabendo que não estaria no segundo turno. No segundo turno ele foi apoiar o candidato João Castelo. Como não havia mais o contrato entre nós, passei a divulgar a campanha do candidato Flávio Dino, sem que procurasse a coordenação de sua campanha para vender o espaço desse blog. Fiz por minhas convicções e praticamente não mantive contato com o candidato e muito menos com seus assessores.

Para muitos a vida se resume no capital e não é isso que eu tenho com discernimento. Na mudança do presidente da Assembléia Legislativa, por exemplo, tive uma redução gigantesca no meu salário, porém jamais usei de qualquer artifício rasteiro ou covarde contra o atual presidente Arnaldo Melo e nem tampouco com os deputados que poderiam manter o meu salário anterior.

Minhas matérias são baseadas em opiniões detalhadas dentro da linha científica “Dialética”, cujo objetivo é mais de chamamento de atenção e didaticamente mostrar o lado obscuro, que muito das vezes estão pautados no senso comum.

Atualmente o jornalismo – com o devaneio desenfreado do capitalismo, deixou seu lado noticioso para se transformar numa máquina registradora. O certo é que isso vem trazendo o descrédito junto à política, empresários, educadores, estudantes, religiosos, judiciário e outros segmentos da sociedade.

Muitos dizem que o jornalista deve escutar os dois lados… Não concordo com isso. Caso um jornalista receba uma denúncia bem embasada e com documentos comprobatórios, além de sua própria investigação, qual seria o sentido para buscar o denunciado?

Nesse caso, o denunciado terá o direito de resposta, amparado por lei e se a matéria for factóide, ele ainda terá o direito de entrar na Justiça para reparar os danos.

A busca pelo denunciado por si só já leva a crer que o jornalista está dando abertura para um acordo e quiçá extorção. Perde-se, com isso, o sentido maior da notícia.

Minhas matérias jamais serão contra a pessoa física, mas sim ao homem ou a mulher pública, que deve satisfações ao contribuinte. Não se pode ter a intenção de denegrir a imagem pessoal do denunciado, mas sim suas práticas irregulares como gestor público. A vida particular das pessoas não é de interesse da coletividade. Ela só passa a ser de interesse da coletividade quando estar relacionada as atividades públicas. Um exemplo: “A esposa do prefeito fulano de tal fez parte da quadrilha que assaltou o banco do município”, isso passa a ser de interesse da coletividade, mas sua vida privada não interessa a coletividade, apenas a um grupo que se presta a ler fofocas…

Muitas pessoas mandam denúncias a mim, contudo procuro mensurar e ver se tem teor de veracidade. O mesmo faço em comentários, pois respondo a todos e procuro mostrar que muitos não condizem com a realidade dos fatos.

Portanto, sou contra todo tipo de extorsão e picaretagem, ainda mais no jornalismo, que possui um espaço que o atingido não possui…

  Publicado em: Governo

10 Responses to Em minha opinião, picaretagem e a extorsão não cobinam com o jornalismo, seja ele investigativo ou opinativo…

  1. EDGAR RIBEIRO disse:

    FALOU E DISSE PROFESSOR CAIO

  2. Caro Caio Hostilio,

    Parabéns pela postagem, concordo com tudo que você relatou.

    Não sei se você conhece o blog WikiLeaks ITZ, que foi criado com a intenção de exibir matérias com denúncias sempre bem embasadas. Porém, apesar de sempre ter o cuidado de publicar as provas para que a matéria não se tornasse uma fofoca, tivemos a triste notícia de que a Justiça do Maranhão, através do Juiz Adolfo Pires, ordenou que o Google deixasse de hospedar em seus servidores o blog http://www.wikileaksitz.blogspot.com. O processo que gerou a decisão judicial foi ajuizado pela Prefeitura Municipal de Imperatriz, já que a maioria das matérias trazia denúncias sempre bem documentadas da atual gestão do Prefeito Madeira. Gostaria que você, como jornalista e blogueiro verificasse o teor das matérias e publicasse um texto com sua opinião. A titulo de informação, algumas matérias do blog serviram como provas para que procedimentos investigatórios fossem abertos pelo Ministério Público Estadual, acarretando inclusive em afastamento de algumas empresas denunciadas. A Folha de São Paulo, também esteve em contato com o blog para saber mais detalhes da empresa que fora contratada pela Prefeitura de Imperatriz antes mesmo de existir legalmente. Fatos como estes demonstram que mesmo com pouco tempo de existência o blog adquiriu uma credibilidade que não se vê em muitos blogs que expressam opiniões como melhor lhe convém.

    Um abraço.

    Contamos com seu apoio na luta contra a CENSURA na blogosfera maranhense.

    • Caio Hostilio disse:

      Já tive o prazer de ver suas matérias e são realmente embasadas. Meu amigo, o denunciado tem todo o direito de pedir resposta ou ingressar com processo civil e criminal, porém vai depender do julgamento do juiz. Eu já cheguei a ter contra mim mais de 80 processos, além de ter o meu primeiro blog excluido por ordem judicial, caso contrário pagaria uma multa diária de R$ 10 mil. Excluir o blog e perdi um acervo de matérias, artigos, comentários, que serviriam mais tarde para mensuração daqueles que buscam a história. Nesse mesmo processo fui condenado a pagar R$ 80 mil e ainda ser preso por ser “nocivo a sociedade”. A matéria foi feita toda na terceira pessoa e não afirmei nada, visto que se tratava de uma denúncia lida por um deputado da tribuna da AL. Então, como poderia eu ser condenado se em nenhum momento usei a primeira pessoa ou afirmei algo? Mas fui condenado… não queria recorrer, porém meu advogado entrou com recurso… Assim que meu blog foi excluído, o saudoso jornalista Walter Rodrigues (falecido) comprou a maior briga por mim…. Com a minha condenação, entrou no circuito o Luís Nassif… Fiz uma matéria que aguardava ser preso, visto que um cidadão nocivo a sociedade não poderia ficar solto… Queria ser preso e pagar pelo meu crime. Depois publiquei uma carta aberta aos magistrados do Maranhão, cujo teor era saber se o juiz tinha noção da etimologia da palavra “nocivo” e que em nenhum momento usei a primeira pessoa… Só sei que o resultado final até hoje não saiu sobre esse processo, contudo espero qualquer decisão, pois se culpado não posso deixar de pagar pelo meu crime… Caso dê o contrário, espero que a Justiça dos homens seja mais justa. Saiba que você tem todo meu apoio!!!

  3. Robert Lobato disse:

    Muito bem, Caio!

  4. Antonio Lima disse:

    Professor, sou um leitor assíduo do que é publicado em seu Blog, o seu trabalho tem sido uma fonte de informações e de reflexões, pois abordas os mais diversos temas e quase sempre traz ao conhecimento público os problemas que atormentam a vida das pessoas em nosso meio.
    Parabéns e continue com esse espírito e essa maneira de tratar os fatos da forma como se apresentam.

    • Caio Hostilio disse:

      Antonio, só tenho a agradecer… Acho que minha posição e linha pensamento não coadunam com os tempos atuais, haja vista que não tenho esse amor pelas coisas terrenas, mas pelas espirituais, por isso não possuo bens e tudo que ganho gasto automaticamente, pois o futuro é uma incerteza, que só Deus pode determinar. Minha missão sempre foi de lutas pela melhoria e valorização a vida dos seres humanos, contundo sinto ser uma luta difícil. Por isso, em minha concepção, o jornalismo deve informar aquilo que é realmente de interesse da coletividade e não picuinhas politiqueiras… Foi dentro desse parâmetro que fiz questão de escrever este artigo, não com o sentido de atacar alguém, mas para mostrar que o leitor que saber daquilo que possa melhorar seu bem-estar e as denúncias realmente pautadas em documentações comprobatórios. Só assim poderemos ter realmente informação.

    • Fernando disse:

      Faço das palavras do nobre leitor Antonio Lima, as minhas também!!!
      Abraços!!!

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog