Que sirva para os debates na AL!!! Usina Hidrelétrica Estreito começa a operar 5ª turbina

Publicado em   27/mar/2012
por  Caio Hostilio

Antes de entrar na matéria, preciso fazer algumas considerações a respeito do debate, hoje (27), na Assembleia Legislativa, que seria proveitoso se não fosse a politicalha e a falta de informações.

O assunto era sobre a vinda de investimentos para o Maranhão, que ficou resumida a algumas e terminou na Fabrica de celulose e no pior índice de geração de emprego, segundo o deputado Marcelo Tavares: “… “Porque quando se pega o número de empregos criados no estado, depois do governo Roseana Sarney, sempre é vergonhoso, os resultados são os piores do Brasil. E em segundo lugar, porque não adianta criar um programa temporário de qualificação de mão de obra…”

No comitê de imprensa estava o suplente de vereador Batista, que dias desses apareceu numa foto ao lado da governadora como papagaio de pirata, concordando com a fala do deputado, que tem o discurso que quanto pior, melhor.

Discordei, pois não faz nem dois meses que saiu a pesquisa do Caged, cujo Maranhão aparece em 4º lugar no Nordeste em geração de emprego, sendo a Região que mais criou emprego no Brasil em 2011, além de ter superado em números e não proporcionalmente a Região Sul do país.

Para clarear a memora de Marcelo e Batista estão aí as informações do Ministério do Trabalho:

O Maranhão encerrou 2011 com saldo de 25.410 empregos com carteira assinada, firmando-se como o quarto estado maior gerador de postos de trabalho formal na Região Nordeste, perdendo para Pernambuco, Bahia e Ceará. Os dados finais sobre o mercado de trabalho no ano passado foram divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o resultado positivo alcançado pelo mercado de trabalho maranhense em 2011 deve-se especialmente ao desempenho dos setores de Serviços (+10.672 postos), do Comércio (+8.073 postos), da Agropecuária (+4.293 postos) e da Indústria de Transformação (+2.222).

Os números mostram que dos 44 municípios maranhenses acompanhados pelo Caged, São Luís encerrou 2011 em último lugar, com um saldo negativo de 429 postos de trabalho. Outros dois municípios de porte, como Açailândia e Balsas, também tiveram desempenhos ruins, registrando o fechamento de 327 e 257 vagas, respectivamente.

O município de São José de Ribamar, na Grande Ilha, apresentou o melhor resultado ano passado, ao encerrar com saldo positivo de 264 postos de trabalho com carteira assinada. Barreirinhas e Codó criaram, cada um, 30 novas vagas.

Com a geração dessas mais de 25 mil vagas, o Maranhão contribuiu para que o Nordeste fosse a segunda região que mais criou empregos em 2011. Foram 329.565 postos de trabalho, um aumento de 5,71% em relação ao estoque de empregos registrados em dezembro de 2010.

Alagoas teve saldo recorde, com 20.050 empregos criados em 2011. Pernambuco (89.607 postos), Paraíba (20.273 postos) e Sergipe (19.213 postos) obtiveram, em 2011, o segundo melhor desempenho desde a criação da série histórica do Caged.

Para melhorar o conhecimento, é preciso que saibam que nos últimos cinco anos, a economia maranhense ganhou fôlego com os novos empreendimentos, e construtoras nacionais foram atraídas para o Estado. Além disso, a Refinaria Premium, da Petrobras, já está em fase de terraplenagem; a Suzano Papéis começa suas operações; e os setores de óleo e gás, petróleo e energia ganham visibilidade. Quem está se beneficiando dos cargos e de bons salários são os engenheiros e técnicos em petróleo, chama a atenção a vocesa.abril.com.br

Para desespero dos que querem ver o Maranhão pior, vejam o resultado abaixo dos estados que surpreenderam com resultados positivos em 2010 no comércio varejista… O resultado abaixo vem mostrar se o poder de compra superou as expectativas é porque a miséria não diminuiu!!! Os dados são do IBGE

Por Unidades da Federação, os resultados com ajuste sazonal para o volume de vendas apontam, na comparação mês/mês anterior, 16 (dezesseis) estados com variações positivas e 11 (onze) com queda. Os principais acréscimos ocorreram em Roraima (3,8%); Acre (3,7%) e Piauí (2,0%). Já as principais quedas se estabeleceram no Amapá (-1,9%); Bahia (-1,4%); Alagoas (-1,3); Paraná (-1,3%).

Ainda no corte regional, todas as 27 Unidades da Federação obtiveram resultados positivos no volume de vendas na comparação dezembro 10/dezembro 09, com as variações de maior magnitude se estabelecendo em Tocantins (71,5%); Rondônia (23,0%); Acre (20,1%); Paraíba (16,1%) e Maranhão (15,8%). Quanto à participação na composição da taxa do Comércio varejista, os destaques, pela ordem, foram São Paulo (9,8%); Rio de Janeiro (11,7%); Minas Gerais (12,2%); Rio Grande do Sul (11,0%) e Santa Catarina (9,3%).

Agora, vejam a matéria sobre a Hidrelétrica de estreito e sua geração de emprego

A quinta das oito Unidades Geradoras da Usina Hidrelétrica Estreito (UHE Estreito) entrou em operação comercial após autorização concedida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Com a entrada da Unidade 5, a UHE Estreito alcançou nominalmente a energia assegurada de 640 Megawatts (MW). A previsão é de que todas as unidades geradoras estejam em operação comercial ainda em 2012, produzindo 1.087 MW de energia, o suficiente para abastecer uma cidade de quatro milhões de habitantes.

O Gerente Geral de Obras da Usina de Estreito, Adalberto Rodrigues, informa que a partir da aprovação da ANEEL para a geração de energia elétrica em caráter comercial da 5ª máquina, os trabalhos passam a ser direcionados para a conclusão das 03 unidades geradores restantes, com previsão de conclusão ainda este ano. “Com a entrada em operação da Unidade 05 atingimos nominalmente a energia assegurada da UHE Estreito que é de 640 MW. Estamos em ritmo de obra para concluir a última unidade geradora, ainda este ano”, destaca.

Sala de Controle

Um espaço localizado na estrutura da casa de força, onde estão instaladas as turbinas, e de onde é realizado todo o trabalho de acompanhamento da operação e produção de energia da Usina.

Este centro operacional, administrado pela Tractebel Energia – a empresa responsável pela Operação e Manutenção da Usina de Estreito, funciona 24 horas por dia e conta com profissionais especializados que se revezam em três turnos para que a geração de energia não pare.

Informações Gerais –  Usina Hidrelétrica Estreito

Capacidade nominal instalada: 1.087 MW

Localização: no Rio Tocantins, na divisa dos Estados do Maranhão e do Tocantins

Mão de obra 22 mil empregos diretos e indiretos

  Publicado em: Governo

2 Responses to Que sirva para os debates na AL!!! Usina Hidrelétrica Estreito começa a operar 5ª turbina

  1. Dinho disse:

    Por que uma denúncia tão grave quanto esta ninguém dá importância?

    http://maranhaomaravilha.blogspot.com.br/2012/03/infraero-faz-reforma-milionaria-em.html

    • Caio Hostilio disse:

      Camarada, isso deve ser divulgado a nível nacional, visto que isso se trata de governo federal e não estadual, pois a Infraero é um órgão administrado pelo Palácio do Planalto.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog