Greve dos policiais e bombeiros militares: 30% de aumento foram baseando por qual índice oficial?

Publicado em   26/nov/2011
por  Caio Hostilio

Vejo discussões, debates, brigas e uma verdadeira onda de toda espécie, mas ninguém parou para perguntar de onde que o comando dessa greve irregular, segundo o Judiciário, alcançou esse percentual de 30%.

 No ano de 2009, o governo Roseana assim que assumiu deu um aumento de 27% e aumentou o auxílio alimentação em 150%. A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), encerrou 2009 em 4,31%, indicando uma baixa. Vejamos: 27% dado e a inflação de 4,31 (não vou colocar o aumento do auxílio alimentação de 150%), os policiais tiveram um ganho real de 22,7%.

A inflação de 2010 medidas pelo IPCA ficou em 5,91%, muito similar à apurada em 2008, quando o indicador avançou 5,90%, e Roseana nessa época não era a governadora. Mas vamos ao que interessa: sobraram 22,7% de ganho real dos policiais militares, então diminuindo 22,7 pela inflação de 5,91% de 2010, os policiais militares ainda assim continuam com um ganho real de 16,79%.  

Vamos mais adiante, a inflação acumulada em 2011 é de 5,07%, se fizermos o mesmo calculo 16,79% menos os 5,07%, os policiais continuam com um ganho real de 11,72%, isso fora os R$ 250 de auxílio alimentação.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2010 com uma taxa acumulada de 5,91%, a mais forte elevação para este indicador desde 2004, segundo dados do IBGE.

Então serias providencial que os comandantes, politiqueiros oposicionistas, o cabo Prisco, o deputado José Carlos, o Bira do Pindaré (como sindicalista) etc. explicassem de onde tiraram um aumento aos policiais e bombeiros militares de 30%?

Por outro lado, o governo teve um aumento nos seus recursos, como o Fundo de Participação dos Estados, acima ou igual a 30%? Orçamento do Estado suportaria um aumento na folha de pagamento de 30%, visto que as outras classes, mediante aos ganhos reais dos policiais também vão querer?

Sabe da verdade, essa greve é completamente política, pois nem se ativeram aos números oficiais, caso tivessem feito tudo dentro dos conformes e demonstrado a realidade dos fatos, a coisa não chegaria a esse ponto.

O certo é que o Maranhão tem políticos, politiqueiros, sindicalistas etc. que esquecem que as coisas vêem à tona, exatamente para mostrar o quanto agem sem ao menos buscar os índices oficiais, achando que todos se embasarão pelo senso comum…

Aí está o grande problema… Caso fosse um movimento sério, os comandantes pediriam a recuperação do ganho real de 2009, ou seja, um aumento de 11%, que somados aos 11,72%, retomaria o ganho real de 22,7%.

Diante dos fatos, verifica que 30% de aumento foram jogados sem nenhum estudo prévio, apenas escolhido para dar substância a uma greve politiqueira!!!

  Publicado em: Governo

8 Responses to Greve dos policiais e bombeiros militares: 30% de aumento foram baseando por qual índice oficial?

  1. luis disse:

    Caro blogueiro, veja o site ebnilsoncarvalho.blogspot.com e veja o estudo completo porque se chegou a este índice. abraço.

  2. Antonio Lima disse:

    Professor, a verdade verdadeira é que a Governadora esta sendo muito mal assessorada na pasta da segurança pública, isto é fato, e essa falta de habilidade de seus assessores em estabelecer uma interlocução com os diversos seguimentos das forças policiais causou todo esse imbróglio, que só tem servido para aumentar os índices da violência, causando transtornos para a população e comprometendo seriamente a imagem do governo de Roseana, que foi eleita dizendo que faria “o melhor governo” da sua vida.
    Veja que estão de braços cruzados os delegados, a polícia militar, corpo de bombeiros e se nada for feito logo os agente da polícia civil vão cruzar os braços também. Esse ineditismo na história das lutas por melhorias salarial das forças de segurança é fruto da falta de habilidade, da arrogância, da truculência e acima de tudo do não cumprimento dos acordos e da palavra empenhada. Veja que o governo concedeu um aumento substancial de salário para um grupo de servidores dessa área, salvo engano para os agentes penitenciários, ora se deu aumento para uns tem que se extensivo a todos, e pelo visto não foi o que ocorreu, e o resultado estar aí. Esse e tantos outros deslizes contribuiu para agravar a situação, e não adianta o governo ficar pedindo ajuda do governo federal para resolver um problema doméstico, pois só vai agravar ainda mais a situação, pois até então o movimento tem sido pacífico e ordeiro e a Governadora tem todas as condições de resolver essa situação, basta cumprir os acordos e estabelecer uma comunicação com uma proposta condizente, que atenda os anseios dos milhares de pais de família que fazem as forças de segurança dessa Estado.
    Tenho absoluta certeza que se a Governadora usar o bom senso e tomar as medidas que o caso requer amanhã tudo estará resolvido e todo esse desgaste desnecessário na imagem do seu Governo será minimizado.

    • Caio Hostilio disse:

      Cada caso é um caso… Os delegados, por exemplo, estão exigindo realmente um acordo que já deveria ter sido firmado, pois quando do aumento da PM de 27% em 2009, ficou assegurado aos delegados que os 14% convertidos em horas extras fosse introduzido no piso salarial… Eles não estão pedindo aumento algum, apenas querem a mudança de rebrica, conforme foi acordado. Os agentes penitenciários não obtiveram nenhum ganho real, conforme a PM teve 2009, com isso estão fazendo uma confunsão de categorias… A luta dos PMs e dos Policiais Civis, caso quisessem realmente ser valorizados, seria a exigência da aprovação da PEC 300, que iguala o salários dos policiais de todos os estados brasileiros, isso usando como base o maior, coisa que levaria o governo federal a subsidiar parte desse pagamento. Cadê esses sindicados? Cadê nossos representantes brigando por essa PEC que realmente valorizaria os policiais brasileiros? Não!!! Apenas fazem politicagem, hipocrisias e ficam nas inverdades que não condizem com a realidade.

  3. leo disse:

    Caro Professor,

    Muito se fala em aumento , para tirar qualquer dúvida gostaria que o nobre postasse as mensagens de aumento encaminhadas pelo governo nos anos de 2009, 2010 e 2011 para aprovação pela Assembleia Legislativa.

    • Caio Hostilio disse:

      Leo, de acordo com os indices de inflação dos institutos oficiis de 2009, quando o governo concedeu um aumento de 27% e mais um aumento de 150% no auxílio alimentação, o ganho real foi de 22,7%, isso já retirando as inflações de 2009. Retirando a inflanção de 2010 e já a de 2011, a classe continua com um ganho real de 11,72%, caso quisessem resgatar o ganho real de 22,7%, a classe estaria correta em exigir do governo um aumento de 11,2%… Agora, de onde tiraram um percentual de 30%, esse é o questionamento mais que coerente e ciêntífico?

  4. joao disse:

    Deixa de ser babão de roseana. se vc é contra os policiais reinvidicarem melhorias de trabalho e salariais é porque no mínimo seu mensalinho do governo ta em dias.

    • Caio Hostilio disse:

      Não se trata de mensalinho ou o caralho de asa… O que interessa é a consciência de pessoas que inventam um índice completamente jogado sem nenhum critério economico.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog