A emenda saiu pior que o soneto…

Publicado em   22/out/2011
por  Caio Hostilio

Secom de Barra do Corda diz que prefeitura usa dinheiro público ilicitamente!!!

Após ler a matéria “Acredite! Isso é uma escola!”, no blog do jornalista Décio Sá e ter a curiosidade de ler os comentários, deparei-me com um, cujo comentarista se diz da Assessoria de comunicação da Prefeitura de Barra do Corda, que fala com todas as letras que a Prefeitura usa dinheiro púbico ilicitamente.

O dinheiro público não pode ser usado para caridades, mas sim dentro das prerrogativas de aplicabilidade que a lei determina. Caridades ficam por conta do dinheiro particular do prefeito, isso fora do período eleitoral. 

Na matéria, o jornalista Décio Sá trata a escola como se fosse uma unidade escolar municipal, enquanto que a Secom afirma que não se trata de uma escola, mas sim de uma fazenda, que fica 18 km da escola da rede municipal, mas que uma professora do município dá aula para oito crianças e que elas recebem merenda escolar.  

Isso é improbidade administrativa com os recursos do Fundeb, visto que as verbas destinadas são orçadas de acordo com o senso escolar do ano passado (2010), o mesmo ocorrendo com a distribuição de merenda escolar. O uso do dinheiro do fundeb é para manutenção do ensino e pagamento dos professores pertencentes às escolas regularizadas, o mesmo ocorrendo com a merenda escolar, que se baseia na quantidade citadas no senso escolar, onde estão as escolas regularizadas e as mantidas por ONGs, ou seja, sem fins lucrativos.

Diante dos fatos, o Ministério Público, a CGU, o TCE e o Conselho Tutelar têm que apurar e ingressar com uma ação urgentemente, primeiramente pela improbidade cometida. Em segundo, pelas condições inadequadas e em terceiro lugar, buscar informações sobre o transporte escolar, dinheiro também do FNDE, além de ver se essas crianças estão devidamente matriculadas, em que séries estão, pois é preciso saber se a professora destinada irregularmente, caso pertença à rede municipal de ensino, tem capacidade para ministrar aulas numa turma multisseriada.

Abaixo o comentário:

Fernando
21 outubro, 2011 as 17:12

Prezado jornalista.Trata-se de foto e uma casa que é propriedade particular em fazenda que fica neste lugareijo que não é um povoado.

Ali, uma professora do município dá aulas a 8 crianças que são filhas dos funcionários da fazenda em questão, e estes alunos recebem merenda escolar da prefeitura como os demais. A escola do município está 18 km desta fazenda, não havendo estrada até lá, razão pela qual o transporte escolar não chega até aquela localidade e por estes motivos os pais dos alunos solicitaram que as aulas fossem realizadas ali naquele lugar, cedido pelo fazendeiro. A prefeitura não pode construir uma escolar em propriedade privada para atender a ninguém, se fosse o caso e houvesse conveniência, o conselho municipal de educação solicitaria a desapropriação da área mediante estudo de viabilidade técnica para instalação de unidade educacional e procederia a devida desapropriação.
Infelizmente o proprietário da Fazenda não dispôs de lugar melhor para as crianças estudarem, mas ainda assim a prefeitura colocou professora a disposição e ofertou, como de costume, a merenda escolar aos 8 alunos que ali estudam.
É certo que a administração do pref. Nenzim não se sente feliz diante de situações desta natureza, mas infelizmente a burocracia e falta de presença do Estado no tocante a realização da infra-estrutura viária necessária a fruição do tráfego de pessoas e veículos na zona rural do Maranhão não é apenas afeta ao município de Barra do Corda, mas sim situação existente em todo território de nosso Estado.

A administração do Prefeito Manoel Mariano de Souza inaugurou um tempo novo na vida desta secular cidade contribuindo significativamente para a melhoria da qualidade de vida de seus munícipes, de modo que considera lamentável a desinformação do post cuja inidoneidade da fonte é de longe visível. Em tempo, assevera-se que a imprensa séria contribui para o fortalecimento da democracia no que parabeniza a todos os profissionais que se pautam com ética na atuação imensurável de informar e noticiar.
Saudações.
Ass. de comunicação da Prefeitura Municipal de Barra do Corda.

Em tempo:

Caramba!!!

Os “camaradas” cobraram propina até de Pastor!!! O Esporte cobrou 10% para PC do B… Não seria melhor chamar de dizimo dos “camaradas”!!!

Acho que uma das mais bem elaboradas até hoje foi: “O poder corrompe o homem?”. Com certeza John Emerich Edward Dalberg Acton, ( 1834-1902) filósofo e historiador inglês estava iluminado!!!

O fundador de uma igreja que recebeu R$ 1,2 milhão do Ministério do Esporte diz que foi pressionado a repassar 10% do dinheiro para os cofres do PC do B, o partido que controla o ministério, conforme li a pouco na página da UOL.  

“Veio um monte de urubu comer o filezinho do projeto”, disse à Folha o pastor evangélico David Castro, 56, que dirige a Igreja Batista Gera Vida, de Brasília.

Ele diz que se recusou a pagar a propina.

Filiado ao PP, Castro afirmou que sofreu retaliação por não ter pago a propina exigida. “Na hora da prestação de contas [do convênio], houve dificuldade porque evidentemente não houve propina.”

O Esporte afirmou ser mentira que o projeto do pastor foi reprovado por que não houve pagamento de propina. “A prestação de contas não foi aprovada porque o convenente não cumpriu os requisitos legais.”

Com certeza porque não pagou o dizimo de 10% aos “camaradas”….

  Publicado em: Governo

One Response to A emenda saiu pior que o soneto…

  1. luis disse:

    Se formos comparar com Edinho lobão, até que os carinhas do PCdoB estavam pedindo pouco, afinal que não se lembra do ávido “Edinho 30” na época do governo Lobão.

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog