A falsidade e o perdão são agravantes no mundo político, mas são atenuantes na vida do ser humano…

Publicado em   01/out/2011
por  Caio Hostilio

Primeiramente não poderia deixar de fazer um questionamento: O mundo político atual se tornou um caos ou há esperança?

Trago esse assunto, pois gosto muito de observar as atitudes do ser humano… Sempre tive a curiosidade de analisar os seres humanos e seus comportamentos, porém ficou mais aguçado depois que fiquei mais velho.

Gosto de analisar os seres humanos, nas mais diversas áreas sociais e de atuação, contudo a política é a que mais me chama a atenção, pois é nela que se ver algumas atitudes que não condizem com os verdadeiros valores que deveriam pautar os políticos.

 Um dos pontos que me chamam mais a atenção na política é a facilidade que eles tem de se mostrarem falsos e a de não perdoar, usando da falsidade para manter as aparências.

Diante das minhas observações, cheguei a conclusão de que Roseana como política tem um agravante muito forte… Ela não sabe ser falsa, pois quando gosta, o seu sentimento fica evidenciado em seu olhar, mas quando não gosta, ela muda totalmente, não deixando transparecer qualquer sentimento de afeição. Contudo, pode-se afirmar que  sua veracidade é uma atenuante para o ser humano, pois assim ele não está falseando com seu semelhante.

Já o secretário de Saúde, Ricardo Murad, tem como agravante político perdoar facilmente e esquecendo rapidamente dos que os traiu. Pude ver isso muito de perto, quando de minha passagem por Coroatá e região, cujos traidores sempre contaram com o perdão de Ricardo Murad. Talvez esteja aí o porquê de tanto ser traído. Muitos, inclusive familiares e amigos mais próximos, acham que isso é inocência de Ricardo Murad como político… Não vejo dessa forma, pois isso faz parte de sua personalidade, que é uma atenuante ao ser humano.

Se isso é bom politicamente para Roseana e Ricardo Murad não posso mensurar, contudo posso afirmar que para elevação como seres humanos, suas atitudes são nobres, haja vista que são valores contundentes… A falsidade é um mal gigantesco, enquanto que não saber perdoar é não analisar com maior profundidade as causas e as fraquezas que levaram seus semelhantes a não ser justo consigo.  

Com o exposto, muito dirão tudo isso é coisa que não condiz com a realidade e que estou querendo defendê-los. Ora bolas!!! defendê-los do quê? Se essas caractériscas são agravantes fortes para um político atual, ainda mais vivendo num mundo pragmático? Por outro lado, fico a me questionar: Serei eu um centenário? Não!!! E volto a questionar: Onde foram parar esses valores em tão pouco espaço de tempo? Na verdade, ainda alcancei as pessoas, isso independente do seguimento profissional e social, agindo com maior seriedade. A sociedade mantinha uma dignidade coletiva.

Ao observar e analisar o comportamento individual, político e social atual me deparo, com um mundo sórdido da politicalha, da hipocrisia, do ódio e do rancor, da inveja, do interesse pessoal acima de qualquer interesse coletivo, muita falsidade, muita traição, muita falta de vergonha na cara… Para ser político hoje, é preciso usar muito óleo de peroba!!!… Sem valor, sem compromisso, sem caráter, sem dignidade…

  Publicado em: Governo

One Response to A falsidade e o perdão são agravantes no mundo político, mas são atenuantes na vida do ser humano…

  1. everton disse:

    eu nunca vi um cara tao babao como vc!!!!!!

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog