Câmara dos Deputados não pode ser palco de discriminação entre estados, defende Chiquinho Escórcio

Publicado em   27/jun/2011
por  Caio Hostilio

O deputado federal Francisco Escórcio (PMDB-MA) repudiou veementemente a possibilidade de convocação, pela Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, do ministro do Turismo, Pedro Novais, para explicar a liberação de recursos para o Maranhão. Em pronunciamento na tarde desta segunda-feira (27) no Plenário da Casa, Escórcio afirmou que a Casa não pode ser palco de discriminação entre os estados brasileiros. “É lamentável quando se traz aqui para esta Casa determinadas questões que dividem o Brasil em capitanias dos mais ricos e dos mais pobres”, destacou.

Francisco Escórcio destacou que o pedido de convocação, defendido por parlamentares do Sudeste brasileiro, é altamente discriminatório ao Maranhão e à região Nordeste. A alegação para o pedido é o fato de o ministro ser maranhense, um verdadeiro absurdo na visão de Escórcio. “Não posso admitir sob hipótese alguma que o Maranhão seja discriminado pelos colegas do Sul do País, a ponto de se chamar o ministro porque mandou recurso para fazer uma avenida em São Luís, que está um caos. É um verdadeiro absurdo pensar dessa forma”, ponderou.

O parlamentar ressaltou, ainda, que casos semelhantes de liberação de recursos ministeriais para outras unidades da Federação não são alvo de questionamentos no Parlamento. “Na história desta Casa, nunca houve questionamentos acerca do privilégio do Rio de Janeiro em receber 80% das verbas destinadas ao Brasil para o combate do crime organizado, do dinheiro gasto nas Olimpíadas, quando fizemos uma ponte Rio-Niterói, por exemplo. Essa Casa tem que dar cabo a essa cantilena de falar que não existem desigualdades regionais, mas questionar apenas quando se trata do Norte e do Nordeste. São os mais ricos que têm que ceder para os mais pobres”, criticou.

O convênio assinado entre o Governo do Maranhão e o Ministério do Turismo prevê a criação da Via Expressa, rota que deve ligar duas importantes avenidas de São Luís, e faz parte de um programa de US$ 50 milhões voltado ao turismo da capital maranhense. Segundo Francisco Escórcio, outros ministros deveriam ser convocados para prestar esclarecimentos à Casa pela liberação de recursos para outros estados. “Se assim fosse teríamos que chamar todos os ministros que defendem essa pujança, que é o sul, o sudeste brasileiro, porque a maior parte da verba dos ministérios é colocada exatamente nesse eixo Sul-Sudeste”, completou.

Veja como o discurso do deputado Chiquinho Escórcio vem conciliar com que tenho dito nas últimas matérias postadas aqui. Quando é para brigar por verbas, os deputados e senadores dos outros estados se unem e brigam, enquanto que os deputados do Maranhão fazem o contrário, não lutam pelo o Estado, apenas são eleitos para viver das benesses do Congresso Nacional e jogar a culpa de tudo no Sarney.

Por outro lado, a luta na Câmara Federal é desigual, visto que as regiões Sul e Sudeste têm o maior número de deputados, que se unem pelo desenvolvimento de seus estados. Imagina um estado em que a bancada é uma das menores e não se une para brigar pelo Estado!!! Veja a divisão: São Paulo – 70, Minas Gerais – 53, Rio de Janeiro – 46, Bahia – 39, Rio Grande do Sul – 31, Paraná – 30, Pernambuco – 25, Ceará – 22, Maranhão – 18, Goiás – 17, Pará – 17, Santa Catarina – 16, Paraíba – 12, Espírito Santo – 10, Piauí – 10, Alagoas – 9, Acre – 8, Amapá – 8, Amazonas – 8, Distrito Federal – 8, Mato Grosso – 8, Mato Grosso do Sul – 8, Rio Grande do Norte – 8, Rondônia – 8, Roraima – 8, Sergipe – 8, Tocantins – 8.

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog