O PSB e a pragmática de Eduardo Campos

Publicado em   06/jun/2011
por  Caio Hostilio

Depois da morte de Miguel Arraes, cujo resultado foi o comando do PSB passar para as mãos do seu neto e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, o partido passou a agir pragmaticamente na política, por isso teve um aumento substancial no número de deputados federais e senadores.

Eduardo Campos, com sua visão de transformar o PSB numa das maiores legendas do Brasil, trabalha conduz o partido de forma lógica, ou seja, o crescimento deve começar pelo Congresso Nacional, pois é exatamente a quantidade de deputados federais que dar sustentação eleitoral e partidária a uma legenda.

Eduardo na eleição de 2010 deixou bem claro que seu objetivo principal era o de aumentar a bancada federal e conquistar mais alguns governos estaduais. O partido conseguiu e agora figura entre os grandes. Ele não deixará que as picuinhas paroquiais atrapalhem sua estratégia para 2014. Com isso, não deixará de apoiar governadores e deputados federais do PSB em detrimento de disputas por diretórios estaduais e municipais.

O atual presidente da legende no Maranhão, José Antônio, sabe bem disso… Pois teve que trair Ricardo Murad em detrimento do próprio Ribamar Alves e de Luciano Leitoa, que eram deputados federais.

Para Eduardo Campos não existe liderança sem mandato, assim como deputado estadual, ainda mais numa bancada de oposição. Na época que José Antonio traiu Ricardo Murad, o PSB tinha quatro deputados estaduais, vários prefeitos e dezenas de vereadores. Bastou a vinda de Casa Grande ao Maranhão, para que o partido fosse dado a Ribamar Alves e Luciano Leitoa (deputados federais), enquanto as duas maiores lideranças do partido na época, Ricardo Murad e José Antonio Almeida não possuíam sequer um mandato de sindico de prédio. Final? O partido foi para rédeas do então governador José Reinaldo, tendo os dois deputados federais toda regalia.

Agora a história se deve se repetir, José Antonio e José Reinaldo não têm mandato nem de vigia de quarteirão, só tem três deputados estaduais. Portanto, Eduardo vai agir novamente bem pragmático, ou seja, o partido deve ficar no comando de Ribamar Alves, que é deputado federal, além de ser o único do partido aqui no Maranhão que garante vantagens a legenda junto ao governo federal.  

Portanto, essa história de Marcelo Tavares tumultuar reunião do PSB para prejudicar Ribamar Alves não terá apoio algum do comando de Eduardo Campos, que trabalha de forma pensada a nível nacional e não em picuinhas estaduais.

Ele sabe bem que tanto José Reinaldo quanto o sobrinho não tem nada, nadica de nada, de esquerdistas ou “socialistas”. Sabe que as artimanhas são apenas as geridas pelo ódio, rancor e inveja a governadora Roseana Sarney.

Por outro lado, vale sempre ressaltar que os senadores do PSB são ligadíssimos a José Sarney, principalmente Valadares de Sergipe, que é um trunfo do PSB para aumentar a bancada do PT no Senado.

Diante do exposto, seria providencial Marcelo Tavares ficar quieto, para que não seja traído pelo seu próprio primo, como aconteceu com Ricardo Murad!!!

Posso falar isso com bastante tranqüilidade, pois fui dirigente do PSB quando aconteceu toda essa patacoada. José Antonio e Antonio Carlos (Totó), hoje assessor de Marcelo Tavares, afirmavam para Ricardo Murad que tinham a maioria e que ele bancasse a vinda dos delegados. Ricardo bancou, fui testemunha ocular do repasse do dinheiro ao Antonio Carlos, numa das salas do antigo Jornal Veja Agora.

No dia seguinte já estava tudo armado e o partido foi rapidinho para as mãos de Ribamar Alves, deputado federal eleito pelo partido.

Fiz esse breve relato, para que conheçam a pragmática do PSB de Eduardo Campos, coisa que já conversei com o deputado Luciano Leitoa, que conhece bem como funcionou e funciona as entranhas do Partido Socialista Brasileiro.  

Vale lembrar que o feitiço sempre vira contra o feiticeiro!!! Ah!!! Apenas uma pergunta: O que Marcelo Tavares, José Reinaldo e seus cupinchas têm a oferecer a Eduardo Campos a nível nacional? A oposição ao governo Roseana, que tem como pai o presidente do Senado e que ambos são do PMDB, o partido do vice-presidente da República??? Só sendo muito inocente para acreditar que Eduardo Campos embarcaria numa barca furada dessas!!!!

  Publicado em: Governo

One Response to O PSB e a pragmática de Eduardo Campos

  1. Pingback: PSB: É com já disse: Eduardo Campos é Pragmático |

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog